Foto: Reprodução/Facebook
15 de setembro de 2019 | 13:14

Após crítica do PT, Rui defende Lula e diz que tem história de vida no partido

bahia

Após os ataques recebidos pela militância do PT e a nota divulgada pelo partido criticando suas declarações à revista Veja, o governador Rui Costa divulgou uma nota, no fim da manhã deste domingo (15), em suas redes sociais, defendendo a soltura do ex-presidente Lula. O governador também pediu respeito pela sua história de vida no partido e reafirmou sua posição a favor da candidatura própria na última eleição presidencial, na qual o partido lançou a candidatura do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.

“Nunca abri e nunca abrirei mão de denunciar a conspiração que retirou Dilma e montou esta farsa contra Lula. No entanto, não posso impor isso a ninguém, assim como não podem os governos progressistas. Quanto à posição sobre a candidatura própria em caso da impossibilidade de Lula em 2018, esta foi posição pública expressada por muitas pessoas do PT, entre elas eu e Wagner. Estamos entre aqueles que mais se empenharam na candidatura de Haddad. Ele sabe disso. O resultado das eleições na Bahia não deixa dúvida, ganhamos em 413 das 417 cidades da Bahia”, afirmou o petista ao lamentar os ataques recebidos em suas redes sociais “por gente que sequer leu a revista”.

Ainda na nota, o comandante do Palácio de Ondina relembrou sua última visita ao ex-presidente Lula na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, em 27 de junho. “Acompanhado do governador Wellington Dias, ele [Lula] como grande Estadista que sempre foi, disse: ‘Vocês têm muito o que mostrar. Falem, mobilizem, ajudem a mobilizar a juventude a barrar o desmonte da Educação; ajudem a mobilizar os trabalhadores contra a retirada de direitos e o desemprego; ajudem a mobilizar os brasileiros pela soberania do nosso País. Se alguns não defendem o Lula Livre, não tem problema. O mais importante é salvar nosso País do desmonte. Nós vamos provar esta farsa que foi o meu julgamento’. Também ouvi dele neste dia: ‘Solidariedade é algo que não se impõe, é algo voluntário’”, ponderou o petista baiano ressaltando que nunca abriu e nunca abrirá “mão de denunciar a conspiração que retirou Dilma e montou esta farsa contra Lula”. “No entanto, não posso impor isso a ninguém, assim como não podem os governos progressistas”, completou Rui se referindo ao fato de ter dito na entrevista às páginas amarelas defender a união dos partidos de esquerda sem condicionar o apoio ao movimento Lula Livre.

Para completar, o governador exig

Raiane Veríssimo
Comentários