Foto: Fernanda Chagas/Política Livre
Segundo Rui, a meta é juntar esforços para tirar o país e a Bahia da crise 13 de setembro de 2019 | 19:59

Sob discurso de que é cedo, governador se esquiva sobre nomes para sua sucessão

bahia

Presente na abertura do 7º Encontro de Prefeitos, promovido pela União dos Municípios da Bahia (UPB), na tarde desta sexta-feira (13), em Guarajuba, o governador Rui Costa (PT), se esquivou ao ser questionado sobre a eleição estadual, em que fará seu sucessor e, tende a ter como principal adversário o prefeito ACM Neto (DEM).

Assim como ocorre em relação ao pleito municipal, em que o líder do grupo de esquerda não confirma nomes para a disputa e nem se o seu partido, o PT terá candidato, sobre a possibilidade de o senador Jaques Wagner (PT) ser a grande aposta do seu time para derrotar Neto, manteve o discurso de que ainda é cedo para tratar de eleição, ainda que seja a de 2022.

“Acho que ainda é cedo para falar de eleição. Vamos trabalhar, eu quero juntar esforços para a gente superar a crise no Brasil, a crise na Bahia e fazer o povo viver melhor”, disse em conversa com o Política Livre.

Questionado sobre a saída da Petrobras da Bahia, o líder do Executivo estadual classificou se tratar de um ‘absurdo’, ao qual ele é totalmente contra.

Fernanda Chagas
Comentários