02 de novembro de 2019 | 14:00

Protestos em Hong Kong chegam a 22º final de semana consecutivo

mundo

No 22º final de semana consecutivo de protestos nas ruas de Hong Kong, na China, milhares de manifestantes pró-democracia foram forçados a fugir após a polícia utilizar gás lacrimogêneo para dispersar as manifestações no Victoria Park, região rica da cidade.

Ao menos dois canhões de água foram usados. Segundo a polícia, a manifestação não havia sido autorizada e as pessoas presentes estavam desrespeitando a regra que proíbe o uso de máscaras. Diversos manifestantes foram presos.

Em Wan Chai, um grupo atacou a agência oficial de notícias da China, Xinhua News Agency, pela primeira vez, após meses de manifestações. Veículos locais mostraram fogo no lobby do escritório, com janelas quebradas.

Os alvos das manifestações têm sido bancos e negócios ligados à China. Eles acusam Pequim de infringir as liberdades garantidas quando a Inglaterra devolveu Hong Kong ao país asiático, em 1997.

Mais de 3 mil pessoas foram detidas durante os últimos cinco anos e meio. Na sexta-feira, o governo chinês afirmou que vai impedir que poderes estrangeiros plantem atos de “separatismo, subversão, infiltração e sabotagem” em Hong Kong.

Estadão Conteúdo
Comentários