Foto: Divulgação
Secretária estadual de Cultura, Arany Santana 12 de fevereiro de 2020 | 15:23

Coletivo petista sai em defesa de Arany e Taquari por “terceirização” da Secult

bahia

Em nota divulgada nesta quarta-feira (12), o coletivo Estadual de Mulheres do PT declarou apoio a secretária estadual de Cultura (Secult), Arany Santana e a chefe de gabinete da pasta, Cristiane Taquari. Arany é acusada de “terceirizar” a gestão da Secult para Taquari.

Segundo o coletivo “é sabido que a sociedade reflete as estruturas do patriarcado em todos os espaços sobretudo nos de poder. Assim sabemos também que quando uma mulher ocupa um espaço de poder ela é alvo das críticas mais sortidas e vis. Cabe a chefe de gabinete de um órgão, por exercício de ofício, entre outras funções, encaminhar as ordens deliberadas por uma secretária. Portanto é evidente que passa pelo crivo da chefia de gabinete, respeitando hierarquias e pautas os atendimentos que fará a secretária”.

Ainda segundo a nota, as acusações são fruto de acovardamento por meio de informações injustas e desonestas sobre a secretária e a sua chefe de Gabinete. “Acovardamento é um substantivo masculino, pois na intenção de desacreditar a capacidade e a grandeza da secretária e sua chefe de gabinete, o máximo que um homem consegue fazer é plantar uma nota injusta e desonesta, escondendo seu nome. Explica também porque coragem é substantivo feminino, pois diante de tantas dificuldades de gestar uma política pública de cultura, essas mulheres não vacilam. Executam com maestria”, diz a nota, assinada pela Secretaria Estadual de Mulheres do PT baiano.

Leia também: Arany Santana é acusada de “terceirizar” gestão da Secult para chefe de Gabinete

Comentários