Foto: Divulgação
O ex-policial militar Adriano Magalhães da Nóbrega, apontado como chefe da milícia Escritório do Crime 12 de fevereiro de 2020 | 20:50

Polícia baiana trabalha em mais dois laudos sobre a morte de Adriano

bahia

Além da necropsia, que mostrou que Adriano da Nóbrega morreu com tiros no tórax e no pescoço, a Polícia Técnica da Bahia ainda concluirá dois laudos, um com a perícia sobre o local do crime e outro com o exame de balística.

O primeiro deverá apontar a dinâmica do confronto, reconstruindo a cena do crime e os locais exatos de onde partiram os tiros dos dois lados; o segundo comprovará de que arma partiram os disparos. A perícia ainda trabalha na análise desses elementos e deverá entregar os documentos somente na semana que vem.

Os celulares e armas apreendidas com Adriano serão analisadas pela Polícia Civil do Rio, para onde o material já foi enviado.

A Corregedoria da Polícia Militar, que apura como ocorreu o confronto, já ouviu os oito policiais diretamente envolvidos no confronto e, até o momento, não apontou nenhuma irregularidade na conduta dos agentes. As informações são do site O Antagonista.

Comentários