Foto: Divulgação/Arquivo
30 de junho de 2020 | 15:15

Abílio Santana paga pensão, mas não registra filha, diz colunista

bahia

Foram oito meses de relacionamento entre Letícia Mariane e o pastor e deputado federal Abílio Santana (PL). Segundo a esteticista, o caso aconteceu em 2012, quando ela era assessora dele e quem o acompanhava durante os cultos que Abílio fazia em São Paulo.

“Ele é pastor presidente da Assembleia de Deus de Salvador, mas viaja o mundo fazendo palestras e cultos. Quando ele vinha para São Paulo eu que o acompanhava. Tivemos um relacionamento amoroso, mas nunca soube que ele era casado. Na minha cabeça nunca passou que um pastor iria ter uma amante”, disse Mariana, ao colunista Leo Dias, do site Metrópoles.

“Mas a coisa foi ficando séria e eu engravidei. Quando dei a notícia a ele, tive o primeiro choque: ele sugeriu fazer um aborto. Não com essas palavras diretamente, mas deixou subentendido ao me oferecer dinheiro para que eu resolvesse o problema”, ressaltou.

A pequena Esther hoje tem sete anos e não consta o sobrenome nem o nome do pai na certidão. “Já me dispus varias vezes a fazer o DNA, mas ele foge, diz que não é obrigado. No entanto, ele vê a filha quando vem a São Paulo e até diz para nossos amigos em comum da Igreja que é filha “, contou.

“Mas o negócio muda de figura quando está na justiça ou em locais públicos. Outro dia fui levá-la ao aeroporto para vê-lo e ele a tratou com muita frieza. Ela ficou arrasada, porque apesar de tudo sabe que é o pai dela e sofre”, concluiu.

Comentários