Foto: Agência Brasil
Carteira de Trabalho 29 de junho de 2020 | 21:46

Bahia encerra mais de 17 mil postos de trabalho em maio

economia

De acordo com as informações do Novo Caged, que emprega dados do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial), do Empregador Web e do antigo Caged, a Bahia fechou 17.033 postos de trabalho com carteira assinada em maio de 2020. O resultado decorre da diferença entre 24.664 admissões e 41.697 desligamentos.

Diferentemente do que predomina na série histórica do mês de maio (2010-2020), o resultado foi negativo e ficou muito abaixo do verificado no referido mês do ano imediatamente anterior, quando 2.540 postos de trabalho foram criados, sem as declarações fora do prazo. Todavia, o resultado é melhor do que o registrado no mês anterior, quando 32.482 postos celetistas foram fechados.

Análise regional

Em maio de 2020, o estado ocupou a nona posição em relação à geração de posições celetistas dentre os estados nordestinos e a 21ª dentre os estados brasileiros. A crise se desdobrou por todo o país e exceto o Acre (+130 postos), todos os outros estados fecharam postos com carteira assinada. No Nordeste, a Bahia foi acompanhada pelo Ceará (-9.476 postos), Pernambuco (-6.952 postos), Sergipe (-3.410 postos), Paraíba (-3.405 postos), Piauí (-3.359 postos), Rio Grande do Norte (-3.027 postos), Alagoas (-2.372 postos) e Maranhão (-1.238 postos).

Acumulado do ano

O resultado para o acumulado do ano (-56.218 postos) exibe, no estado, os efeitos da epidemia, que também atingiu a região nordestina (-248.635 postos) e o país (-1.144.875 postos). No fechamento do ano de 2019, a Bahia exerceu a liderança na geração de posições celetistas no Nordeste, com a criação de 30.858 postos. A perda nos cinco primeiros meses de 2020 já superou o ganho do ano de 2019. No acumulado de janeiro a maio de 2020, a Bahia ocupa a oitava posição, a derradeira disposição foi preenchida pelo estado de Pernambuco (-63.558 postos). No Brasil, o estado está no 22° lugar, levando em conta a série ajustada, que incorpora as informações declaradas fora do prazo.

Análise setorial

Com exceção dos Serviços domésticos que não registrou saldo e da Administração pública que totalizou saldo positivo de +1.305 postos, todos os outros segmentos contabilizaram saldos negativos no mês de maio de 2020: Indústria geral (-4.834 postos), Comércio (-4.176 postos), Alojamento e alimentação (-3.796 postos), Informação, comunicação e outras atividades (-2.159 postos), Construção (-1.703 postos), Transporte, armazenagem e correio (-1.278 postos), Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (-206 postos) e Outros serviços (-186 postos).

Análise RMS e Interior

Analisando-se os dados referentes aos saldos de empregos distribuídos no estado, em maio de 2020, constata-se perda de emprego na RMS e no interior. De forma mais precisa, na RMS foram fechados 7.435 postos de trabalho no quinto mês do ano e no interior foram encerradas 9.598 posições celetistas.

Quanto ao saldo de emprego acumulado no ano de 2020, enfatiza-se, novamente, na RMS (-30.613 postos) e no interior (-25.605 postos), o fechamento de postos de trabalho com carteira assinada.

Análise Municipal

Em maio de 2020, o município de Salvador fechou 4.129 postos celetistas e foi seguido por Camaçari (-1.337 postos) e Feira de Santana (-1.300). Nos primeiros cinco meses, Salvador registrou perda acumulada de 18.676 posições celetistas. O município foi acompanhado principalmente por Porto Seguro (-6.238 postos) e Feira de Santana (-4.099 postos).

Folhapress
Comentários