Foto: Divulgação/Arquivo
José Carlos Araújo disse ao governador que ele precisava dar um pouco mais de atenção aos políticos 11 de setembro de 2020 | 19:12

Lamentando que Rui chegou tarde para negociar, PL anuncia apoio a Bruno na 2ª

exclusivas

O PL vai anunciar na próxima segunda-feira apoio ao pré-candidato do DEM à Prefeitura de Salvador, Bruno Reis. A decisão foi tomada pelo presidente estadual da legenda, o ex-deputado federal José Carlos Araújo, depois de uma conversa conclusiva, na última terça-feira, com Rui Costa (PT), no Palácio de Ondina, residência oficial do governador, na qual comunicou que a opção era em caráter irrevogável.

No encontro, o terceiro tido nas últimas duas semanas entre Rui e o presidente do PL, Araújo relatou ao governador que foi obrigado a tomar a decisão depois de ter tentado, sem sucesso, conversar com ele sobre a proposta de a sigla lançar o ex-deputado Irmão Lázaro como candidato a prefeito em Salvador numa chapa em que o PT seria convidado a indicar o vice, o que, em sua avaliação, possibilitaria ao grupo chegar ao segundo turno.

“Levei muito tempo, desde o ano passado, pedindo para conversar com ele (Rui). Até pedi para que (o senador) Otto (Alencar) intercedesse, mas ele não teve tempo para abrir a agenda, deixou para conversar na última hora e o resultado é que não posso mais reverter a decisão”, disse Araújo a este Política Livre, acrescentando, no entanto, que o encontro foi bastante cordial e amistoso e que nada impede o PL de estar com o governo em 2022.

“Se (o governo) der uma atenção em 2022, estamos aí, o PL não quer sair da base”, afirmou Araújo, que teria ainda dito a Rui que ele fez “uma grande administração, foi um grande governador, em Salvador conseguiu competir com o prefeito ACM Neto (DEM), mas que, agora, precisaria dar um pouco de afeto aos políticos”. O ex-deputado calcula que ficou com 20% do espaço que deveria ter ocupado na secretaria estadual de Turismo.

“Foi tudo sendo ocupado pelo secretário (Fausto Franco)”, disse. Quanto ao filho, Samuel Araújo, que comanda a Prodeb, empresa de processamento de dados do Estado, lembra que foi indicado pelo senador Otto Alencar, do PSD, na época em que estava na agremiação, dando a entender que já assimilou a idéia do seu desligamento do governo como forma de retaliação pela rebeldia.

A tentativa de Rui de segurar o PL é mais um sinal de que ele acordou tarde para o risco de assumir a responsabilidade pela derrota da pré-candidata do PT, major Denice Santiago, em Salvador. O partido vinha dando mostras há meses de que desembarcaria do governo, tendo aberto um canal de negociação com Bruno que não era mais segredo de ninguém. Outra baixa certa no governo é a do PDT.

Com malas também prontas para o desembarque há pelo menos duas semanas, a sigla, que é liderada na Bahia pelo deputado federal Félix Mendonça Jr., só não anunciou o nome da vice – a ex-secretária de Ação Social Ana Paula – do democrata na última quinta-feira porque seu presidente nacional, Carlos Lupi, entrou numa quarentena depois de ter contraído Covid 19. A convenção do DEM está marcada para segunda-feira.

Comentários