Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados
Na imagem, o ex-deputado federal José Carlos Aleluia, do Democratas 16 de outubro de 2020 | 08:33

Em livro, Mandetta revela que Aleluia quase foi presidente da Câmara e ministro de Minas e Energia no Governo Temer

bahia

O ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM) revelou, em seu livro “Um Paciente Chamado Brasil”, que o ex-deputado federal José Carlos Aleluia, também do DEM, quase se tornou presidente da Câmara dos Deputados e ministro de Minas e Energia do governo de Michel Temer.

Mandetta, em um trecho, citou que o Democratas não havia decidido qual ministério iria aceitar no governo do então presidente. Caso a pasta escolhida fosse a Minas e Energia, o indicado seria Aleluia. Porém, caso optasse pelo Ministério da Educação (MEC), o dirigente seria Mendonça Filho.

Na época, ele conta que a votação ficou empatada e coube a ele desempatar. Mandetta, então, decidiu por Mendonça, mas confessou que se arrepende: “Ainda carrego essa dor na consciência”.

Mandetta apresenta Aleluia como um conselheiro político da gestão na Saúde. Para ele, o ex-deputado é capaz de perceber os movimentos de forma “sofisticada” e como poucos, sendo capaz de antever os acontecimentos.

O ex-ministro relata dois episódios. Em um deles, Mandetta comenta com Aleluia que o ex-ministro da Cidadania, Osmar Terra, estaria usando a primeira-dama Michelle Bolsonaro para se cacifar politicamente.

Segundo ele, Aleluia disse: “Osmar Terra acaba de assinar a sua própria carta de demissão. Não se tira proveito político de uma primeira-dama sem incomodar o presidente”. Terra acabou sendo demitido do cargo.

Já em outro episódio, o atual ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, havia sido flagrado por um jornalista da CNN Brasil tramando a saída de Mandetta do Governo Bolsonaro.

Ao comentar com Aleluia que chamaria o colega de “Judas” em uma coletiva, Aleluia sugeriu que não fizesse isso. “Se você chamar o Onyx de Judas, vai estar se autorrefenciando como Jesus Cristo. Muita arrogância sua. Menos, né? O problema não é ele ser Judas, mas você achar que é Jesus”, lembrou Mandetta.

Comentários