Foto: Reprodução
A prefeita de Eunápolis, Cordélia Torres (DEM) 08 de janeiro de 2021 | 21:01

Prefeita de Eunápolis diz que ex-gestor deixou dívida de cerca de R$ 5 mi com funcionalismo público

interior

A prefeita de Eunápolis, Cordélia Torres (DEM), acusa o ex-gestor do município Robério Oliveira (PSD) de ter deixado uma “dívida enorme” na folha de pagamento, com salários atrasados na ordem de cerca de R$ 5 milhões”.

Segundo a Prefeitura, além da folha de pagamento, os débitos são referentes também a empréstimos consignados, INSS e pensão alimentícia, referente ao mês de dezembro de 2020 dos servidores.

Ainda segundo a administração municipal, os valores deixados em caixa pelo ex-prefeito são verbas destinadas à Covid-19, Fundo de Assistência Social, Fundo Municipal de Saúde, dentre outros valores carimbados que ultrapassam o montante de R$ 21 milhões.

De acordo com a prefeita, “estes recursos não foram utilizados pelo ex-gestor, que deixou pessoas morrerem sem recursos nos hospitais, testes e falta de estrutura para atendimento, além da falta de investimentos em educação, assistência social, dentre outras áreas”. Segundo a atual gestão, o município ficou seis meses sem testes de Covid-19.

A prefeita Cordélia Torres pontuou que apenas o valor de R$ 1.301.823,81 pode ser destinado ao pagamento dos servidores municipais, “valor muito menor que a dívida com os colaboradores”.

“A população precisa saber da verdade e esse é o nosso compromisso”, afirmou a prefeita. Segundo a gestora, o governo que “faltava com a verdade” foi encerrado no dia 31 de dezembro e o compromisso da gestão atual é com a transparência.

“Não governarei olhando para o retrovisor e sim para frente, mas esses esclarecimentos serão colocados através de uma auditoria e dos órgãos competentes”, frisou.

Comentários