Foto: Divulgação
Cidade de Riachão do Jacuípe, na Bahia 07 de abril de 2021 | 20:50

‘Atual gestão nada tem a ver com a contratação do Instituto de Saúde e Ação Social’, diz Prefeitura de Riachão do Jacuípe

interior

A Prefeitura Riachão do Jacuípe afirma em nota, a este Política Livre, que a atual gestão nada tem a ver com a contratação do Instituto de Saúde e Ação Social (ISAS) para o combate à Covid-19 (veja aqui). Segundo a administração municipal, “a concessão pública para administração do hospital da cidade “teve um destrato entre a antiga gestão e o instituto no final do governo passado”.

Ainda segundo o texto, por decisão judicial, o instituto tive que cumprir o período de transição por mais 90 dias, encerrando suas atividades no município no mês de março.

Em relação ao contrato emergencial que está sendo investigado pelo Ministério Público Federal (MPF), a Prefeitura alega não ter informações. “Ao que diz respeito a atual gestão, de janeiro a março, nenhum contrato emergencial foi firmado entre a Prefeitura e o ISAS”, esclarece a nota da gestão municipal.

“A Prefeitura de Riachão do Jacuípe informa também que até esta terça-feira, 06 de abril, ainda não foi notificada sobre o procedimento instaurado para apurar as supostas irregularidades entre a gestão pública e a instituição. Mas, irá se pronunciar juridicamente, caso seja convocada”.

Leia a nota na íntegra abaixo:

O Governo Municipal de Riachão do Jacuípe destaca que a atual gestão nada tem a ver com a contratação do Instituto de Saúde e Ação Social (ISAS) para o combate à Covid-19. A concessão pública para administração do Hospital Municipal teve um destrato entre a antiga gestão e o instituto no final do governo passado. Por força da justiça, eles tiveram que cumprir o período de transição por mais 90 dias, encerrando suas atividades no município no mês de março.

Em relação ao contrato emergencial que está sendo investigado pelo Ministério Público Federal (MPF), a Prefeitura não tem informações. Ao que diz respeito a atual gestão, de janeiro a março, nenhum contrato emergencial foi firmado entre a Prefeitura e o ISAS.

A Prefeitura de Riachão do Jacuípe informa também que até esta terça-feira, 06 de abril, ainda não foi notificada sobre o procedimento instaurado para apurar as supostas irregularidades entre a gestão pública e a instituição. Mas, irá se pronunciar juridicamente, caso seja convocada.

Reforçamos que, desde que o novo governo foi iniciado, estamos mostrando como encontramos os cofres públicos e a situação calamitosa em que se encontra o município.

Frota de carros sucateada, débitos com fornecedores de serviços essenciais (água, energia, telefone), débitos com consórcios que o município participa e principalmente, com a conta destinada ao combate à Covid-19 zerada. Lembramos que o município recebeu quase R$ 5 milhões para combater a pandemia em 2020.

Lamentamos que nosso município esteja passando por mais uma situação de investigação. Mas reforçamos nosso compromisso com a moralidade e legalidade, e, caso existam irregularidades, que os responsáveis sejam punidos.

Comentários