Foto: Valdemiro Lopes/CMS
Marta Rodrigues 08 de abril de 2021 | 09:33

Audiência Pública discute tentativa de privatização da Chesf e os prejuízos no desenvolvimento social do Nordeste e do Brasil

salvador

A Câmara Municipal de Salvador realiza, nesta quinta-feira (8), às 14h30, a audiência pública “Diga Não à privatização da Eletrobras e da Chesf”. A audiência foi solicitada pela vereadoras Marta Rodrigues (PT) diante da urgência em se opor ao desmonte promovido pelo governo federal e a pressão feita para acelerar a entrega de parecer favorável da MP da capitalização da estatal no Senado, previsto ainda para as próximas semanas.

O debate ocorrerá de forma virtual e será transmitido ao vivo pela TV Câmara e pelas redes sociais (facebook.com/tveradiocam). Segundo a vereadora e líder da oposição na Câmara, a privatização da Eletrobras impacta diretamente a população do Nordeste, uma vez que a MP que pretende vender as ações do governo federal, cujo relator levanta a questão de vendas das subsidiárias separadamente e integralmente, entre elas a Chesf, uma das 14 subisidiárias da estatal, com enorme trajetória e avanços na egião e para o povo baiano.

Participam da mesa da audiência o economista e presidente da Confederação Nacional dos Urbanitários (CNU), Paulo de Tarso; o presidente da Federação Regional dos Urbanitários do Nordeste (Frune), Raimundo Lucena; O membros das Coordenação Estadual do MAB-Juazeiro, Luiz Carvalho; o coordenador do Sinergia-Ba, Rafael Oliveira, a presidenta da CUT-BA, Maria Madalena Firmo (Leninha) e o presidente do SENGE-Pernambuco, Mozart Bandeira.

A atividade contará também com a participação do público através das redes sociais e de posicionamentos de diversos movimentos sociais, sindicatos, representantes e entidades de Salvador e outros municípios baianos.

O objetivo da audiência é denunciar os déficits sociais graves em regiões com maior índice de pobreza que o desmonte da estatal e da Chesf causarão, principalmente na região Nordeste, onde a Chesf é responsável em controlar a vazão das águas do Rio São Francisco, de extrema importância para a economia da região, para a pesca, para o acesso a água limpa e sobrevivência de milhares de pessoas.

Importante ressaltar que Chesf é um dos principais ativos do Brasil e uma das maiores estatais da América Latina, contribuído para o desenvolvimento nacional e que nas mãos da iniciativa privada perderá sua função social. “A tentativa de acelerar essa MP condiz com o período nefasto que estamos vivendo da pandemia. Aproveitam uma tragédia de dimensões gigantescas para continuar, fora dos holofotes, desmontando o estado democrático de direito, conquistas do povo, dos trabalhadores e trabalhadoras”, declarou a solicitante da sessão.

Comentários