Foto: Arquivo Agência AL-BA
Robinson Almeida 22 de julho de 2021 | 12:33

Robinson critica ameaça golpista contra democracia e pede afastamento de Braga Netto: “chega”

brasil

O vice-líder do governo na Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Robinson Almeida (PT), criticou veementemente a declaração “golpista” do ministro da Defesa do governo Bolsonaro, Braga Netto, que condicionou as eleições de 2022 à aprovação do voto impresso no Brasil. Desde as eleições de 1996 que o país utiliza a urna eletrônica, o processo é auditável e seguro. Reportagem do jornal “O Estado de S. Paulo” relatou que Braga Netto teria enviado um recado ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), no dia 8 de julho, dizendo que, se não for aprovado o voto impresso e “auditável”, não haverá eleições em 2022.

“Chega! O Brasil não pode aceitar as seguidas ameaças à democracia do governo Bolsonaro. Os responsáveis deviam estar afastados do poder e presos. As instituições nacionais precisam reagir com firmeza diante desse absurdo”, afirmou o deputado baiano.

Depois da repercussão negativa do caso, Braga Netto negou que tenha feito ameaças à democracia. O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), também negou ter recebido qualquer comunicado pressionando pelo retorno do voto impresso no Brasil. Parlamentares de oposição também criticaram a insinuação.

Polêmicas

De acordo com o deputado, a subida de tom de Braga Netto acontece justamente no momento em que a CPI da Covid passa a descobrir o envolvimento de militares nas negociações para a compra de doses de vacinas. Ainda segundo o parlamentar, Braga Netto e os três comandantes das Forças Armadas, contrariados com os avanços das investigações, já haviam ameaçado, através de nota, o presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), quando este afirmou que “membros do lado podre das Forças Armadas estão envolvidos com falcatrua dentro do governo” e que os honestos devem estar muito envergonhados.

Comentários