Foto: Divulgação
Policiais Civis da Bahia convocam Assembleia Geral Extraordinária e categoria pode entrar em greve 14 de janeiro de 2022 | 11:48

Policiais civis convocam assembleia e categoria pode entrar em greve

bahia

Assim como tem acontecido em outras cidades do país, a Bahia tem vivido um surto de gripe e da nova variante da Covid–19, a Ômicron. Com isso, o Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (SINDPOC) realiza na próxima terça-feira (18), às 18h, uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE) Virtual, quando será votado um indicativo de greve da categoria.

Os servidores reclamam que diferentemente do que ocorre em outros órgãos e repartições públicas, onde a população para adentrar nesses ambientes precisam apresentar o “passaporte de vacinação”, nas delegacias não acontece o mesmo. Dessa forma, expondo os policiais aos riscos de infecção pela Covid-19, além disso, descumprindo o decreto do Governo do Estado.

Para Eustácio Lopes, presidente do SINDPOC, está faltando gestão por parte do comando da Polícia Civil da Bahia. “Já passamos essa demanda à Delegada Geral, Heloisa Campos, mas infelizmente não tivemos devolutiva no sentido que a Policia Civil da Bahia cumpra o decreto do governador, que determina que para a entrada de pessoas em locais de serviço público tenha em mãos a carteira de vacinação”, pontou Lopes.

Dados

Atualmente, a Bahia possui 5.500 policiais civis, divididos entre delegados, investigadores e escrivães. No entanto, mais de 30% desse efetivo está em idade de se aposentar.

Nesse contexto, 80% desses policiais são oriundos dos concursos de 97, 92, 88 que possuem mais de 50 anos e são detentores de várias morbidades. Como explica o representante do SINDPOC, Eustácio Lopes. “Estamos diante de uma situação alarmante, em que somente 700 policiais são jovens, os demais servidores têm pressão alta, diabetes, cardíacos e hipertensos. Diante desse quadro só temos 3.000 policiais nas ruas com a dura missão de combater a violência através do trabalho de investigação”, falou o líder sindical.

“Infelizmente, o cenário atual tem nos obrigado a tomar essa medida drástica. Assembleia da semana que vem é para deliberarmos um indicativo de greve. Além da desvalorização categoria, falta de estrutura, estamos trabalhando exposto ao Covid–19, com sua variante Ômicron e a H3N2 que é um dos subtipos do vírus Influenza, porque o Governo do Estado não consegue através da Policia Civil fazer com que as pessoas apresentem a carteira de vacinação, o chamado “Passaporte da Vacina”. É no mínimo estranho, pois os outros órgãos conseguem fazer essa exigência para o bem do servidor, somente a policia Civil, não”, denunciou o presidente do SINDPOC.

Comentários