Foto: Divulgação
Sempre reforça campanha de incentivo à amamentação no Agosto Dourado 03 de agosto de 2022 | 08:11

Sempre reforça campanha de incentivo à amamentação no Agosto Dourado

salvador

Com a chegada do Agosto Dourado, mês dedicado ao incentivo à amamentação, a Secretaria Municipal de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esportes e Lazer (Sempre), através da Coordenadoria de Segurança Alimentar (Cosan), intensifica as atividades do projeto Amamentar Sempre.

Durante este mês, grávidas e puérperas, assistidas pela pasta e por instituições sociais, participam de palestras sobre a importância do aleitamento materno. Nesta terça-feira (2), cerca de 40 mulheres, usuárias dos serviços do Restaurante Popular de São Tomé de Paripe, dialogaram sobre a qualidade do leite materno e técnicas de amamentação.

Para promover a educação nutricional das mães e crianças de 0 a 2 anos, o Projeto Amamentar, desde 2019, compartilha informações sobre a importância da amamentação e benefícios para bebês, mães, famílias e sociedade em geral.

“Esse projeto vem reforçar a importância da amamentação para a segurança alimentar do bebê e os benefícios para a mãe e toda a família.”, destaca o secretário da Sempre, Daniel Ribeiro.

Alimento precioso – Durante o Agosto Dourado, vão ocorrer oito palestras em equipamentos socioassistenciais da Prefeitura, com o objetivo de disseminar conhecimento, quebrar mitos e incentivar a amamentação, garantindo a saúde e segurança alimentar dos bebês.

“O leite materno é o alimento mais rico do mundo, por isso é chamado de alimento de ouro. É importante que as pessoas tenham esse espaço para tirar dúvidas, desconstruir paradigmas e serem orientadas”, afirmou o coordenador da Cosan, Wilson Neto.

Insegurança alimentar – Durante a palestra, ministrada pela nutricionista especializada em Pediatria e técnica da Cosan, Mariana Pontes, as assistidas aprendem sobre posição do bebê, ordenha manual, número diário de mamadas, duração e prejuízos associados ao uso de mamadeiras e chupetas. “Nossa ideia é aumentar as taxas de aleitamento materno, que infelizmente estão muito aquém do preconizado pela Organização Mundial de Saúde”, disse a palestrante.

A nutricionista também ressaltou que com o aumento da insegurança alimentar, imposto pela crise econômica gerada pela pandemia, o aleitamento materno se tornou ainda mais importante. “Já é sabida a importância do leite materno para a saúde e desenvolvimento das crianças, mas diante do cenário econômico atual, aumento dos preços dos alimentos, há um número cada vez mais crescente de pessoas em situação de fome”,

Para Mariana, a oferta do leite materno à criança, alimento gratuito e completo, vai permitir o crescimento e desenvolvimento do sistema imunológico das crianças. “Daí o incentivo à prática da amamentação de forma exclusiva, até o sexto mês de vida, e de maneira continuada até pelo menos os 2 anos”, destacou.

Nutrição natural – Ao participar da palestra, a dona de casa Suiane Rebouças, de 26 anos, mãe de quatro filhos, destacou a importância do aleitamento. “Apesar de ter experiências com a maternidade, ainda tinha dúvidas sobre a amamentação. Meu filho mais novo tem 7 meses e estou tendo dificuldades de introduzir outros alimentos. Aqui, durante a palestra, pude ser orientada e tranquilizada quanto a isso. Sei que o meu leite é rico e que as coisas vão acontecer de forma natural”, afirmou.

Mãe de Alexandre Barbosa, de apenas 1 ano e oito meses, a empregada doméstica Gilmara da Paz, 27 anos, afirmou que a amamentação é uma maneira de garantir a nutrição da criança. “O leite materno é sinônimo de saúde. Entendi que amamentar é muito bom para o desenvolvimento saudável dele, evita doenças e aumenta o vínculo entre mãe e filho. Meu pequeno vai mamar até dois anos, porque isso é o certo”.

Comentários