Foto: Reprodução/Facebook
Na imagem, o prefeito de Mata de São João, João Gualberto, do PSDB 11 de maio de 2021 | 07:00

‘Se for Bolsonaro e Lula, eu voto em Bolsonaro de novo’, garante Gualberto

bahia

O prefeito de Mata de São João, João Gualberto (PSDB), disse, em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia divulgada nesta terça-feira (11), que não se arrepende de ter votado no presidente Jair Bolsonaro na eleição de 2018, e ressaltou que, se no segundo turno for um confronto entre o capitão reformado e o ex-presidente Lula (PT), ele votará novamente no atual chefe do Palácio do Planalto no pleito do próximo ano.

Para Gualberto, tanto Bolsonaro quanto Lula são favoráveis à polarização porque ambos se beneficiam. “Se for Bolsonaro e Lula, eu voto em Bolsonaro de novo. Só que Deus me livre que aconteça isso de novo. A gente não quer isso para o Brasil”, declarou o tucano, ao impresso.

“Tanto é que Bolsonaro só quer disputar com Lula, e Lula só quer disputar com Bolsonaro. Todos os dois sabem que qualquer um deles que disputar com um nome diferente, está perdida a eleição. Se disputar os dois, eles sabem que têm 50% de ganhar, um ou outro. Se for Lula com um candidato da centro-direita, Lula já perdeu. Ele sabe disso. A mesma coisa é o Bolsonaro. Com quem eu converso, com todo mundo, pelo menos com quem me relaciono, diz que não quer votar em nenhum dos dois. Basta surgir um nome e começar a crescer, que ele sobe. É a minha visão hoje”, acrescentou.

Conforme a Tribuna, Gualberto, que já foi deputado federal e presidente do PSDB na Bahia, afirmou ainda que apoiaria o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), em um cenário sem a presença de um candidato tucano. “Se tiver Bolsonaro, Ciro e Lula, por exemplo, e o PSDB não tiver [candidato], zero de dificuldades [de votar em Ciro]. Neste contexto, com Bolsonaro, Lula e Ciro, eu sou Ciro. Não tenha dúvida”, frisou. “Se espera que tenha um nome de consenso no centro, não sei se vai acontecer. Todos os partidos naturalmente agora vão discutir possibilidades”, emendou.

O prefeito negou qualquer possibilidade de o PSDB nacional interferir no diretório baiano. Segundo ele, a Executiva estadual é quem decidirá sobre o apoio na eleição baiana. “Nunca existiu isso no PSDB [de interferir na Bahia]. Não existe essa possibilidade. Zero. (As decisões são locais) sempre foi assim. Não só na Bahia, mas em todos os estados. O PSDB não é cartório. São diretórios. Diferentemente de outros partidos, o PSDB tem respeito pelos estados, pelos diretórios estaduais. Nunca existiu [intervenção]. Não vai ser agora que vai existir”, ressaltou.

Gualberto falou ainda sobre a especulação da semana passada de que o presidente do Esporte Clube Bahia, Guilherme Bellintani, irá se filiar ao PSDB. Nos bastidores, comenta-se que o dirigente esportivo procura um partido para ser candidato a vice-governador na chapa encabeçada pelo ex-prefeito soteropolitano ACM Neto (DEM) ao governo da Bahia. “Nunca existiu isso. O PSDB, ele não procurou. Isso é especulação de alguém. [Agora a] possibilidade, existe. Na política, existe tudo”, disse Gualberto, que também deseja ser o vice de Neto. “Isso só vai ser discutido no próximo ano. Apressado come cru”, concluiu.

Comentários