Eduardo Salles

Agronomia

Eduardo Salles é engenheiro agrônomo e mestre em engenharia agrícola pela Universidade Federal de Viçosa, ex-secretário de agricultura da Bahia e ex-presidente do Conselho Nacional de Secretários de Agricultura (Conseagri). Foi presidente da Associação de Produtores de Café da Bahia e também da Câmara de Comércio Brasil/Portugal e é, há 14 anos, diretor da Associação Comercial da Bahia. Ele escreve neste Política Livre quinzenalmente, às quartas-feiras.

Podemos fazer mais

Após dois anos em que sofremos muito com a perda de milhares de vidas por causa da COVID-19, está na hora de, independente da coloração partidária ou preferência por candidatos, começarmos a debater as questões estruturantes do país: infraestrutura, burocracia, tamanho do estado e investimento com políticas públicas adequadas em educação, saúde e segurança pública. Essa é, acredito, a condição necessária para gerarmos emprego, maior flagelo nacional atualmente.

Em pouco mais de sete anos como deputado estadual, dediquei grande parte do meu mandato à elaboração de projetos que utilizassem as potencialidades de municípios e regiões para gerar emprego e ajudei os governos Federal e Estadual, sem olhar quem ocupava a cadeira, a melhorar a infraestrutura oferecida à população e ao setor produtivo.

Quando estive à frente da Secretaria Estadual de Agricultura, trabalhei para estruturar as cadeias produtivas do setor por entender que sem planejamento não conseguiríamos oferecer mais infraestrutura e, consequentemente, mais competitividade à agropecuária baiana.

Na Assembleia Legislativa da Bahia desde fevereiro de 2015, propus e presidi, com a ajuda inestimável de colegas da Casa e de entidades, as frentes parlamentares da Micro, Pequena e Média Empresa e a do Setor Produtivo da Bahia, que trabalharam para ajudar a desburocratizar, reduzir impostos, aplicar na Bahia ações exitosas em outros estados e oferecer uma legislação que fortaleçam e ampliem o setor produtivo.

Adotei como pilar do meu mandato a presença constante nos municípios para ouvir a população, conhecer os problemas de perto e propor soluções. Minha vida nos últimos anos tem sido na estrada. Não abro mão de estar ao lado da população, mesmo sacrificando muitos momentos com a família e amigos.

Outra ferramenta importante do nosso mandato tem sido as constantes audiências com prefeitos, vice-prefeitos, ex-prefeitos, vereadores, secretários municipais, lideranças políticas, presidentes de sindicatos, federações e associações e demais representantes da sociedade civil em órgãos federais e estaduais para levar obras e ações que melhoraram a vida dos moradores dos municípios que represento.

Paralelo às viagens, sempre estive, desde 2015, como um dos parlamentares mais presentes às sessões do plenário e comissões. Desde 2019 sou líder do Progressistas, uma das três maiores bancadas da Assembleia Legislativa.

Como se não bastasse os problemas históricos brasileiros, enfrentamos atualmente um cenário internacional conturbado, com conflitos militares de grandes potências, o que tem ajudado a piorar a economia nacional, bastante debilitada pela pandemia do novo coronavírus.

Conheço a dura realidade da falta de oportunidades e dificuldades encontradas pela população, e posso afirmar que, mesmo com todos os problemas, temos totais condições de fazer muito mais nos próximos quatro anos.

Acredito na política como a única forma de construirmos um país melhor para nossos filhos e netos. Entendo que em muitos momentos há dissabores e decepções, mas existem também diversos exemplos de homens públicos que mostram ser possível crer em dias melhores.

Meu pai ensinou aos filhos que os momentos de dificuldade são superados com mais trabalho, e coloco em prática esse aprendizado todos os dias. E será assim que pretendo caminhar nos meses a seguir apresentando tudo o que fizemos e o que pretendo fazer por nosso Estado nos próximos anos.

Não acredito em fórmula mágica, salvadores, resposta fácil e radicalismo. Acredito no trabalho e no respeito às leis.

Comentários