Exclusivas

Radar do Poder: A rebeldia da turma de Otto contra Jerônimo, a conversa de Wagner com Elmar e o assédio dos “assessores” de Geraldinho

radar do poder | 22 maio 2024

Blefe do líder

O líder do governo na Assembleia, deputado Rosemberg Pinto (PT), disfarçou o motivo que o levou a derrubar a sessão desta terça-feira (21) que votaria a proposta de reajuste dos servidores do Estado. Em discurso, ele bradou que nada seria apreciado por conta do “desrespeito dos sindicalistas” presentes nas galerias, que defendiam um aumento maior do que os 4% propostos. Mas a verdade é que o petista derrubou a sessão com receio de não garantir o quórum para votar o texto e passar vexame.

Turma de Otto

O fato é que os deputados do PSD, partido presidido na Bahia pelo senador Otto Alencar, se recusaram a dar presença em plenário. A legenda, aliada tradicional do PT, tem nove parlamentares na Assembleia que demonstram insatisfação com o Executivo. Três disseram à coluna que a bancada chegou ao limite do aceitável. “O governo não paga as emendas, não atende os prefeitos, não honra os compromissos assumidos nos municípios e, ainda por cima, tem as questões políticas”, disse um deles.

Privilégios petistas

Quais questões políticas? Segundo parlamentares do PSD ouvidos, o governo dá prioridade ao atendimento dos prefeitos e pré-candidatos petistas. A queixa se estende à resistência do governador Jerônimo Rodrigues (PT) em resolver, a favor do PSD e de outros aliados, disputas municipais dentro da base por candidaturas majoritárias. “Veja a novela que foi para decidirem que o candidato de Jerônimo em Itabuna seria o prefeito Augusto Castro (PSD)”, observou um deputado.

Vozes do interior

Deputados do PSD garantem que não irão dar quórum até que o governo sente para rediscutir a relação com a bancada. As votações ficaram para a semana que vem. Otto deu autonomia para que os parlamentares da legenda façam o movimento de pressão, uma vez os prefeitos do partido também estão insatisfeitos com a postura de Jerônimo às vésperas da eleição. Eles alegam que o momento é de o governador viajar menos e atender mais. Vale lembrar que o PSD conta hoje com 125 prefeitos.

Esforço mínimo

Segundo os liderados de Otto, os prefeitos dizem ainda que, em 2022, inúmeros convênios foram celebrados no interior e o governo não poupou esforços para eleger Jerônimo. Agora, o Executivo estadual não estaria fazendo o mínimo esforço necessário para ajudá-los. Muitos prefeitos do PSD alegam que até hoje aguardam uma audiência com o governador, acusado também de dar munição à oposição na medida em que estaria tratando todos os deputados de forma igual, sem priorizar aliados.

Bloco dos faltosos

Vale lembrar que, na semana passada, o deputado Angelo Coronel Filho (PSD) já havia se juntado aos faltosos de partidos como o PL, o PP, o Avante, o Podemos e o Solidariedade, que atuaram em conjunto para atrasar a votação do empréstimo R$2 bilhões, visando mandar um recado ao governo diante do clima de insatisfação. A brincadeira ontem na Assembleia envolveu apostas sobre qual será o bloco dos ausentes na próxima semana.

Trama do meio-dia

Aliás, alguns dos faltosos da semana passada foram flagrados juntos em um almoço, nesta terça (21), em um restaurante de Salvador. Participaram os deputados Niltinho (PP), aniversariante da semana, Nelson Leal (PP), Raimundinho da JR (PL), Luciano Araújo (Solidariedade), Hassan (PP), Vitor Azevedo (PL), Felipe Duarte (PP) e Ricardo Rodrigues (PSD).

Acima do amistoso

Na mesma semana em que abriu a artilharia para rebater críticas do ex-prefeito de Salvador ACM Neto (União) a Jerônimo Rodrigues, o senador Jaques Wagner (PT) também se reuniu com o deputado federal Elmar Nascimento (União). O encontro aconteceu na quinta-feira (16), a portas fechadas. Elmar, que se aproximou de Rui Costa, busca o apoio do senador para ser o próximo presidente da Câmara. Segundo fontes da coluna, o diálogo foi acima do amistoso.

Dando guarida

Presidente do PP baiano, o deputado federal Mário Negromonte Júnior ofereceu abrigo no partido caso os principais aliados de Elmar na Assembleia, Marcinho Oliveira e Júnior Nascimento, sejam de fato expulsos do União Brasil por votarem a favor de projetos de Jerônimo, conforme ameaçou a Executiva estadual da legenda liderada por ACM Neto na Bahia. O PL, por meio de Vitor Azevedo, também já fez o mesmo convite aos dois.

Família Nilo

Aliás, quem pode deixar o União Brasil na próxima janela partidária e migrar para o PP é o deputado estadual Marcelinho Veiga, que é genro do ex-presidente da Assembleia Marcelo Nilo (Republicanos). Em Antas, parentes e aliados de Nilo, que ainda avalia por qual partido pretende concorrer a deputado federal em 2026, já ingressaram no ninho pepista.

Proposta$ indecorosa$

Vereadores da base do prefeito Bruno Reis (União) detectaram sinais de articulações nada republicanas de emissários do vice-governador Geraldo Júnior (MDB) junto a lideranças comunitárias de bairros da cidade. Esses “assessores” estariam oferecendo todo tipo de vantagem para cabos eleitorais, alguns com cargos na Prefeitura, trocarem de lado. As propostas permitiriam até que as tais lideranças sondadas mantivessem o apoio a edis ligados a Bruno, mudando de posição apenas na majoritária.

Adversários cordiais

Todo mundo sabe que eleição para vereador é guerra. Mas, embora disputem o voto na região do Nordeste de Amaralina, o vereador Cláudio Tinoco (União) e o presidente do Podemos em Salvador, João Cláudio, filho do deputado federal Bacelar (PV), não escondem a relação de amizade que os filhos pequenos herdaram, embora estejam em lados opostos. Ambos com temperamento cordial, um garante que torce para que o outro seja eleito. É esperar para ver!

Doa a quem doer

Por falar em cordialidade, o vereador Luiz Carlos Suíca (PT) foi o único da bancada de oposição a marcar presença na festinha de aniversário de Bruno Reis, realizada na semana passada, no Palácio Thomé de Souza. Companheiros do edil, no entanto, não gostaram nada disso, uma vez que Suíca não teria sido tão afetuoso quando da passagem do aniversário de Geraldo Júnior, no início deste mês. O vereador não esconde de ninguém que tem uma relação pessoal com o prefeito, doa a quem doer.

Soberano de Juazeiro

O ex-prefeito de Juazeiro Isaac Carvalho está tão confiante de que será o escolhido pelo governador para ser candidato ao Executivo municipal em outubro que não faz a menor questão de comparecer a reuniões ou eventos dos demais postulantes da base aliada. O petista não tem dialogado sequer com os dois concorrentes dentro da federação Brasil da Esperança: os deputados estaduais Roberto Carlos (PV) e Zó (PCdoB).

Espada na cabeça

Isaac Carvalho foi desmentido publicamente pelo presidente de honra do MDB, Lúcio Vieira Lima, depois de dizer, em entrevista, que estava dialogando para receber o apoio da cúpula emedebista. “Ele não nos procurou. E ainda nem se sabe se o Isaac pode ou não ser candidato, porque tem sempre essa boataria. Vai ficar essa espada na cabeça dele até que a Justiça Eleitoral decida”, disse Lúcio. O MDB tem como pré-candidato em Juazeiro o empresário Andrei da Caixa.

Pitacos

* Em reunião realizada neste segunda (21), a coordenação de campanha de Geraldo Júnior iniciou as discussões para a escolha do local de lançamento da pré-candidatura do emedebista, que, conforme antecipado com exclusividade pelo Política Livre, será no próximo dia 6.

* Entre os locais cogitados estão o Parque de Exposições e o Hotel Fiesta. Antes da data, haverá uma reunião com lideranças e pré-candidatos a vereadora da base de Jerônimo, com as presenças de deputados votados na capital e de Jaques Wagner.

* Presidente do PL na Bahia, João Roma informou que a sigla terá 23 pré-candidatos a prefeito, número aquém do esperado para aquele que é o maior partido do Brasil e para quem deseja ser candidato a governador em 2026.

* Na semana que vem, Roma vai oficiar o apoio a mais um quadro do União Brasil nas disputas municipais: a vereadora Débora Régis (União), pré-candidata em Lauro de Freitas. Os dois estiveram reunidos esta semana para fazer os ajustes políticos.

* O PL chegou a cogitar duas candidaturas em Lauro: a do deputado estadual Leandro de Jesus e a do vereador Tenóbio, que se filiou recentemente e costuma usar e abusar do humor para criticar a gestão da prefeita Moema Gramaho (PT).

* Dois importantes pré-candidatos do PT circularam intensamente esta semana na Assembleia: o deputado federal Waldenor Pereira, de Vitória da Conquista, e o ex-prefeito Isaac Carvalho, de Juazeiro.

* O deputado estadual Marquinho Viana (PV) se queixa de que o governo Jerônimo tem ajudado demais os parlamentares da oposição na Assembleia. Ele alega, por exemplo, que recebeu menos ambulâncias do que alguns oposicionistas na Casa.

* Talvez com o desejo de se redimir pelos ‘pecados’, o deputado estadual Binho Galinha (PRD), acusado pela polícia de chefiar milícia, garantiu R$1,5 milhão, por meio de emenda, ao Hospital Dom Pedro de Alcântara, em Feira de Santana.

* O presidente do Tribunal de Contas do Estado, Marcus Presídio, encaminhou nesta quarta (22) para a Assembleia projeto que reajusta em 4% os salários dos servidores da Corte.

* O prefeito de Conceição do Coité, Marcelo Araújo (União), decidiu fazer uso eleitoreiro da decisão do governo da Bahia de instalar o futuro hospital do sisal em Serrinha, município vizinho.

* Mesmo sabendo que a escolha por Serrinha estava tomada há tempos, por meio de critérios técnicos, Marcelo Araújo tentou aproveitar a oportunidade para atacar o PT, acusando o partido de privilegiar uma prefeitura aliada. Pegou mal!