Radar do Poder

Radar do Poder: os herdeiros de Paulo Rangel, o líder na mira, o ego inflado de Geraldo Jr. e o recado de Mario Jr. a Jerônimo

radar do poder | 28 fevereiro 2024

Cão que late…

O PT já esperava que o PCdoB fosse espernear após a humilhação imposta ao aliado ao limar, na Assembleia, o deputado comunista Fabrício Falcão da disputa por uma cadeira no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). Até mesmo a posição de neutralidade dos companheiros em relação à eleição para a escolha do novo membro do órgão, anunciada em nota, era esperada pela cúpula petista. Na avaliação das lideranças do partido que agora controlará politicamente o TCM, com a maioria dos conselheiros, a história da relação (e de submissão) com os comunistas mostra que cão que late demais não morde.

Novo conselheiro

O deputado Paulo Rangel (PT), agora definitivamente o único candidato da base do governador Jerônimo Rodrigues (PT) ao TCM, desfila nos corredores da Assembleia como virtual conselheiro. Ele lamentou, no entanto, que os líderes do governo e da oposição, os deputados Rosemberg Pinto (PT) e Alan Sanches (União), respectivamente, tenham marcado a eleição para o dia 5 de março. “Queria mais tempo para poder me despedir das amizades que construí em 20 anos de Casa”.

Suando a camisa

O candidato inscrito pela oposição ao TCM, o ex-deputado Marcelo Nilo (Republicanos), vai suar a camisa para tentar obter o apoio das “viúvas” de Fabrício Falcão. Ele acha que, como a eleição acontece por voto secreto, pode beliscar o apoio de parte da bancada do PCdoB, bem como o do deputado Hilton Coelho (Psol). Difícil mesmo vai ser convencer o deputado Marcinho Oliveira (União), que levou para a Assembleia a rivalidade eleitoral com Nilo em Monte Santo.

Elegância sutil

Antes da nota do PCdoB pela neutralidade crítica, o deputado Bobô, do partido, havia declarado o voto em Paulo Rangel caso Fabrício Falcão não conseguisse a inscrição. “Estarei ao lado do candidato da base do governo ao TCM. Se não for Fabrício, será Rangel”, declarou o parlamentar à coluna com sua elegância sutil. Resta saber se Bobô agora vai mudar de ideia.

Herdeiros de Rangel

Paulo Rangel vai reunir os deputados mais próximos para ratear os quase 50 mil votos que recebeu no pleito de 2022. Como não tem herdeiros políticos naturais, fator que pesou para que o petista fosse alçado na disputa para o cargo vitalício, ele pretende fazer uma divisão das lideranças, o que inclui prefeitos. Terão prioridade, além dos correligionários de partido, os parlamentares que estiveram na linha de frente da campanha, a exemplo de Vitor Bonfim (PV), Nelson Leal (PP) e Vitor Azevedo (PL).

Mais leal

Na semana passada, um desesperado Fabrício Falcão, após sair de uma audiência com Jerônimo e prefeitos, protagonizou uma discussão áspera com Vitor Azevedo na sede do governo do Estado, na Secretaria de Segurança Pública. Ele praticamente exigiu que o colega, membro da Mesa Diretora, estivesse presente na reunião do colegiado que analisaria a inscrição do comunista. O encontro, todos sabem, não ocorreu por falta de quórum. E Azevedo demonstrou mais uma vez lealdade ao governo.

Ira governista

Líder da maioria na Assembleia, o deputado Rosemberg Pinto (PT) provocou a ira de alguns colegas da base ao levar o prefeito de Una, Tiago Birschner (PP), para uma audiência com o chefe de Gabinete do governo, Adolpho Loyola, com o objetivo de assegurar obra de infraestrutura ao município. O problema é que o gestor apoiou a candidatura de ACM Neto (União) ao Palácio de Ondina em 2022. Enquanto isso, prefeitos que são aliados de primeira hora seguem aguardando audiências.

Conveniência

O curioso é que Rosemberg costuma se utilizar, em outros municípios, do discurso de que os aliados de primeira hora devem ter preferência nos atendimentos por parte do governo do Estado, enquanto os que apoiaram ACM Neto, mesmo que em siglas da base, merecem ser deixados em segundo ou terceiro plano. Para o líder, esse é o caso de Itapetinga, onde o prefeito Rodrigo Hagge, do MDB, não parece merecer, contraditoriamente, o mesmo tratamento do gestor de Una, município aonde o petista espera, claro, extrair dividendos eleitorais.

PEC da Reeleição

Por falar em Rosemberg, parlamentares do governo e da oposição não acreditam que ele tente “melar” a votação da proposta que permite a segunda reeleição consecutiva do deputado Adolfo Menezes (PSD) no comando da Assembleia. A tendência é que a proposição seja votada no mesmo dia da eleição para o TCM, por conta da presença em grande número de legisladores. A avaliação é que o petista “deu uma segurada” no projeto de tentar suceder Adolfo, que não para de provar sua lealdade a Jerônimo.

Sem emendas

O prefeito de Jequié, Zé Cocá (PP), acusa o deputado federal Antonio Brito (PSD) de não destinar emendas do orçamento da União para o município onde o parlamentar foi o mais votado em 2022. “Desde que assumi, em 2021, ele só mandou R$ 500 mil em emendas impositivas”, declarou o pepista à coluna. Vale lembrar que Brito, que não quis comentar o assunto com a coluna, lançou como candidato a prefeito o administrador Alexandre Iossef (PSD), uma verdadeira pedra no sapato para que Cocá conquiste a reeleição.

Ego inflado

Fontes do Palácio Thomé de Souza disseram à coluna que o prefeito Bruno Reis (União) deu gargalhadas quando soube que foi acusado pelo vice-governador Geraldo Júnior (MDB), pré-candidato ao Executivo municipal, de não ter procurado o emedebista para tratar da situação dos ambulantes no Carnaval. A avaliação na Prefeitura é que o fato de assumir o comando do Executivo estadual pela terceira vez inflou o ego do emedebista, que, apesar da oportunidade lhe dada por Jerônimo Rodrigues (PT) ao nomeá-lo como ‘coordenador’ da festa pelo governo, foi um mero coadjuvante durante a folia momesca.

Sinal para Ondina

Presidente do PP da Bahia, o deputado federal Mário Negromonte Júnior optou por não participar do evento em que o partido declarou apoio à reeleição de Bruno Reis, realizado na última segunda (26), em Salvador. Da Executiva estadual da sigla, ele optou por enviar o secretário-geral, Jabes Ribeiro. Com essa decisão, Mário Júnior sinalizou que busca também prosseguir com o movimento de reaproximação com o PT no Estado, como deseja a outra parte da legenda.

Acerto com o Novo

As negociações conduzidas por Bruno Reis para ter o apoio do Novo na disputa à reeleição envolvem a promessa de que a administradora Luciana Buck, pré-candidata ao Palácio Thomé de Souza pelo partido, terá o caminho facilitado para ser vereadora caso saia da corrida majoritária. Bruno se colocou à disposição para ajudar na montagem da chapa proporcional da legenda, que nunca elegeu um representante para a Câmara Municipal. E, assim, o Novo se torna o velho em Salvador.

Puxadores de voto

Além do vereador Ricardo Almeida, que está no Podemos e é da Primeira Igreja Batista, o DC em Salvador deve abrigar ainda o pastor Kênio Resende, uma das apostas da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) nas eleições proporcionais deste ano na capital. Dessa forma, a sigla, que dialoga ainda com o vereador Sabá (PP), terá dois bons puxadores de votos e caminha de forma segura para eleger até quatro edis. O Republicanos, partido oficial da Iurd, deve pelo menos manter a bancada de três.

Olho na Conder

Líder do prefeito Bruno Reis na Câmara Municipal, o vereador Kiki Bispo (União) diz que estará atento a eventuais abusos eleitorais que possam ser cometidos pela Conder no pleito de 2024 para favorecer Geraldo Júnior. “Não é algo comum a esse órgão, por exemplo, fazer escadaria aqui e acolá. As regras precisam ser respeitadas. Mas confiamos na lisura do presidente da Conder, José Trindade (PSB), que foi vereador como nós”.

Pitacos

* A piada que corre na Assembleia é que o TCM terá tanto petista com conselheiro que caso ACM Neto vença a disputa pelo Palácio de Ondina, em 2026, a primeira medida dele será extinguir a Corte de contas.

* O deputado estadual Vitor Bonfim (PV) tem sido acusado de legislar em causa própria por apresentar projeto de lei que garante prioridade a advogados no atendimento das agências bancárias. O parlamentar é formado em Direito e tem muitos amigos na área.

* Provocou risos em plenário o discurso feito esta semana pelo deputado Raimundinho da JR (PL) no qual disse que poderia ter sido doutor, se não fosse reprovado duas vezes na escola. Ele tentou defender a portaria do Estado que revê os critérios de reprovação.

* Alexandre Marques será mantido na presidência do PRD em Lauro de Freitas. A medida faz parte do acordo para que Bruno Reis indicasse o assessor Francisco Elde para o comando estadual da legenda.

* Marques, para quem não lembra, era o presidente do Patriota na Bahia, partido que, na fusão com o PTB, deu origem ao PRD. Ele é aliado do PT e secretário de Meio Ambiente da prefeita petista de Lauro de Freitas, Moema Gramacho.

* O vereador de Salvador André Fraga decidiu que fica no PV como aliado de Bruno Reis. Até os petistas desistiram de tentar expulsá-lo da federação. “Não é à toa que ele foi secretário municipal da Resiliência”, brincou um membro da Executiva do PT.

* A indefinição do PT, PCdoB e PV sobre quem será o candidato do grupo a prefeito de Juazeiro tem dificultado a arrumação da chapa proporcional da federação no município. Com a indefinição, muitos pré-candidatos a vereadores ameaçam pular fora do barco.

* Presidente estadual do PT, Éden Valadares garante que o pré-candidato do partido a prefeito Juazeiro, o ex-gestor Isaac Carvalho, que lidera as pesquisas, está juridicamente apto a concorrer.

* Prefeito de Ilhéus, Marão (PSD) tem sinalizado a aliados que vai indicar como sucessor o atual secretário municipal de gestão, Bento Lima. Antes do anúncio, ele ainda deve ter uma conversa com o governador Jerônimo Rodrigues.

* Em Candeias, o PV ainda mantém vivo o projeto do vereador Sílvio Correia de ser candidato a prefeito. A sigla não considera natural a candidatura, pela base do governo, da vice-prefeita Marivalda da Silva (PT).

Radar do Poder: O candidato oficial ao TCM, o paredão de Elmar, a volta ao jogo de Leo Prates e o sangramento do PSD

radar do poder | 21 fevereiro 2024

Deu de ombros

O governador Jerônimo Rodrigues (PT) segue evitando tratar da eleição para o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) com os aliados do PCdoB, que insistem na candidatura do deputado estadual Fabrício Falcão. O último diálogo com a sigla, que foi duro, aconteceu em dezembro de 2022. Depois do Carnaval, durante um evento com municípios afetados pela seca, em Manoel Vitorino, o próprio Fabrício, que estava presente, tentou puxar conversa com o petista, que, no entanto, deu de ombros.

Candidato oficial

Quem tem tratado do tema com parlamentares quando procurado é o chefe de Gabinete do governador, Adolpho Loyola (PT). Apesar do silêncio de Jerônimo, ele tem deixado claro que o candidato da base é o petista Paulo Rangel, franco favorito na disputa por ter reunido 38 assinaturas de partidos aliados na Assembleia. Com o apoio do palácio e do PT, parlamentares governistas trabalham em alta para evitar que aconteça a reunião da Mesa Diretora que vai avaliar o pedido de inscrição de Fabrício, na terça que vem, dia 27.

Pé do ouvido

Na sessão desta terça (20) na Assembleia, Paulo Rangel foi flagrado em conversa ao pé do ouvido com o deputado Antônio Henrique Júnior (PP), que é um dos membros da Mesa Diretora (terceiro vice-presidente). Há quem aposte que o conteúdo do papo tenha sido a marcação de uma reunião, que pode ser em Barreiras, para o mesmo dia e horário do encontro do colegiado que comanda a Casa, que só não teria acontecido esta semana porque o presidente da Assembleia, Adolfo Menezes (PSD), retorna de Bangladesh na sexta (23).

Desprezo aos comunistas

O episódio da eleição do TCM, por sinal, é mais um no longo capítulo da novela em que o PT tira o protagonismo do PCdoB, aliado de primeira hora, apesar de acordos pré-estabelecidos (havia a promessa do governo de que a vaga de conselheiro seria agora, finalmente, dos comunistas). O desprezo é tanto que o líder da maioria na Assembleia, Rosemberg Pinto (PT), chegou a dizer ontem (20) à imprensa que nem sabia do interesse de Fabrício Falcão em pedir a inscrição via Mesa Diretora.

Elmar paredão

Líder do União Brasil na Câmara Federal, o deputado Elmar Nascimento trabalha para que seja pequeno o número de parlamentares do partido a assinar o pedido de impeachment do presidente Lula, proposto pela deputada Carla Zambelli (PL-SP) por conta das falas do petista sobre Israel. Até aqui, 11 dos 59 deputados da legenda assinaram o requerimento. Elmar não quer, sobretudo, que baianos do União façam parte da lista. Assim, fortalece junto aos petistas o nome para a sucessão na Casa.

Devolutiva

Os vereadores do PT de Salvador esperam que, findo o Carnaval, o vice-governador Geraldo Júnior (MDB), pré-candidato ao Palácio Thomé de Souza, dê andamento prático às conversas que manteve individualmente com os edis, em janeiro. Os petistas esperam que o emedebista faça o meio de campo com a Conder para que tenham os pleitos atendidos e transformados em obras nos bairros da cidade. Tudo, garantem os atores envolvidos, de acordo com a lei eleitoral.

Volta ao jogo

O nome do deputado federal Leo Prates voltou a ganhar força dentro do partido dele, o PDT, para ser indicado como companheiro de chapa do prefeito Bruno Reis (União) nas eleições deste ano. Além disso, o pedetista teria a preferência do União Brasil e da maior liderança da legenda e da oposição na Bahia, o ex-prefeito ACM Neto. Não haveria mais resistências nem por parte do deputado federal Félix Mendonça Júnior (PDT), defensor da permanência na chapa da atual vice-prefeita Ana Paula (PDT).

Linha de corte

O vereador de Salvador Sabá (PP) articula para que o colega Ricardo Almeida (Podemos) não ingresse no DC. O pepista alega que teria prioridade em se filiar à legenda pela qual foi originalmente eleito no pleito de 2020. A exemplo do próprio, defende que o partido tenha candidatos de no máximo 5 mil votos. Só que Almeida, edil de 10 mil, promete levar à legenda outros candidatos, como já revelou a coluna. Quem vai decidir a dividida é o prefeito Bruno Reis (União).

Planos de Zó

O deputado estadual Zó deve deixar o PCdoB e a federação formada pelo PT e o PV e migrar para outra sigla da base do governo baiano se não for o escolhido do grupo para disputar a Prefeitura de Juazeiro. A manobra é defendida pelas lideranças ligadas ao parlamentar no município do norte do Estado. O comunista anda irritado com o fato de o PT seguir defendendo a candidatura do ex-prefeito Isaac Carvalho, que ainda estaria inelegível.

Umbigo grande

Por sinal, Isaac Carvalho sequer tem participado das reuniões promovidas por Zó e pelo deputado estadual Roberto Carlos (PV), outro pré-candidato da federação em Juazeiro, para tentar unir a base de Jerônimo. A atitude tem deixado os aliados no município indignados. “Isaac só pensa nele, só faz reunião para ele. Não tem o menor senso de unidade e acha que, se não puder ser candidato, pode botar novamente a esposa”, afirmou à coluna uma liderança governista do município.

PSD sangrando

Somente nesta semana, o PSD do senador Otto Alencar perdeu dois prefeitos para o Avante, comandado na Bahia pelo ex-deputado federal Ronaldo Carletto. Foram eles: os gestores de Itajuípe, Léo da Capoeira, e de Itanhém, Mildson Medeiros. Outros dois já acertaram com o MDB, como revelou nesta terça (20) o Política Livre: os de Tucano, Ricardo Maia Filho, e de Ribeira do Pombal, Eriksson Silva.

Racha no Republicanos

Contrariando ACM Neto (União), o Republicanos lançou em Camaçari a pré-candidatura de Sineide Lopes, ex-PSD, à Prefeitura do município. O movimento provocou um racha no próprio partido, uma vez que o deputado estadual Samuel Júnior, quadro da sigla, declarou apoio ao presidente da Câmara Municipal, Flávio Matos (União), lançado como sucessor do prefeito Antonio Elinaldo (União). No pleito de 2022, Samuel teve mais de 4,3 mil votos na cidade, contra menos de 2 mil de Sineide.

Desvio de foco

O prefeito de Conceição da Feira, João de Furão (PSB), adotou uma estratégia para evitar críticas sobre os gastos com atrações juninas. Para cada artista ou grupo contrato, ele promete anunciar uma obra. Exemplo: ao anunciar banda Limão com Mel, ele prometeu pavimentar dois loteamentos na cidade. Resta saber se o Ministério Público e o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) vão cair na conversa.

Volta ao lar

Homem de confiança de ACM Neto, de quem coordenou a pré-campanha no interior em 2022, Luciano Ribeiro (União), que não conseguiu retornar à Assembleia, vai tentar se eleger prefeito de Caculé pela terceira vez. O lançamento da pré-candidatura acontece nesta sexta (23), com a presença de diversas lideranças políticas, incluindo o próprio Neto. Antes, Ribeiro, que não deu certo na Secretaria de Ordem Pública de Salvador (Semop), dizia aos aliados que não tinha mais a intenção de disputar a Prefeitura.

Sinuca

A grande incógnita que já fica é se Luciano Ribeiro vai abrir mão do mandato de prefeito, caso seja eleito, num cenário de eventual vitória do deputado estadual Robinho (União) na disputa pela Prefeitura de Mucuri – o parlamentar também é pré-candidato, e tem como suplente o correligionário de partido. A segunda suplência é de Soldado Prisco (União).

Pitacos

* Depois da agenda em março, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) já estuda retornar a solo baiano entre os dias 11 e 15 de junho para participar da Bahia Farm Show, que acontece em Luiz Eduardo Magalhães, no oeste.

* O deputado estadual Diego Castro (PL) disse que vai assinar a lista em apoio à candidatura do ex-presidente da Assembleia Marcelo Nilo (Republicanos) ao TCM. Já o deputado Marcinho Oliveira (União) afirmou que vai seguir sem assinar.

* Bateu o desespero no vereador de Salvador Anderson Ninho, que tem feito de tudo para permanecer no PDT, mas a cúpula estadual da sigla não quer. Ele acredita que no ninho pedetista a reeleição seria garantida.

* O colégio de líderes da Câmara Municipal de Salvador pretende analisar na próxima terça-feira (27) projetos propostos por vereadores sobre mudanças no Carnaval, inclusive o acréscimo de novos circuitos à festa.

* Prefeito de Camaçari, Antonio Elinaldo (União) quer fazer um ato de adesões ao sucessor e vereador Flávio Matos (União) no mesmo dia do anúncio da pré-candidatura do secretário estadual de Relações Institucionais, Luiz Caetano (PT), em 1º de março.

* Já tem aliado da prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho (PT), ameaçando trocar de partido se não for o escolhido para a sucessão.

* Aliás, a principal adversária de Moema, a vereadora Débora Régis (PDT), promete fazer esta semana uma denúncia sobre a compra de aparelhos de ar-condicionado pelo município que nunca foram entregues. Seriam para climatizar escolas.

* Pré-candidato do PSDB à Prefeitura de Feira de Santana, o deputado estadual Pablo Roberto busca o apoio do PP no município.

* Nome do MDB para a Prefeitura de Barreiras, a ex-vereadora Karlúcia Macêdo tem tratado da sucessão com o pré-candidato do PP, Danilo Henrique, que é aliado do deputado federal pepista João Leão.

* Se tiver a candidatura em Itabuna mantida pelo PT local, o ex-prefeito Geraldo Simões terá o projeto eleitoral embargado pela federação dos petistas com o PCdoB e o PV, siglas que ocupam cargos na gestão Augusto Castro (PSD), postulante à reeleição.

Radar do Poder: O beijo no bruxo, a conexão Bangladesh, o nanico encorpado e o tucano resiliente

radar do poder | 14 fevereiro 2024

Baixo aproveitamento

Membros da base do chefe do Executivo estadual, Jerônimo Rodrigues (PT), consideram que o vice-governador Geraldo Júnior, pré-candidato do MDB à Prefeitura de Salvador, poderia ter aproveitado melhor os holofotes do cargo temporário de coordenador do Carnaval. No último dia da folia, quando Jerônimo estava em Cândido Sales a maior parte do tempo, o emedebista sequer organizou uma coletiva de imprensa de balanço parcial da festa. Deixou o prefeito Bruno Reis (União) brilhar sozinho.

Beijo no bruxo

Geraldo Júnior pode não ser bom ainda em falar com objetividade – o que talvez tenha sido o motivo da falta de uma coletiva comandada por ele –, mas é craque na tentativa de agradar os aliados com gestos de carinho melosos. Como Carnaval também é a festa do beijo, fez questão de umedecer a cabeça branca do senador Jaques Wagner (PT) na noite da terça (13), no Campo Grande. Foi o que o “bruxo” recebeu ao desembarcar de uma viagem ao EUA para visitar a filha e curtir a única noite de folia.

Bandeira branca

No campo político, o Carnaval deste ano foi de paz e amor entre os grupos de Jerônimo e Geraldinho e aquele de Bruno Reis e do antecessor ACM Neto (União). O único momento em que a bandeira branca quase foi deitada ocorreu quando o secretário estadual da Segurança Pública, Marcelo Werner, ensaiou criticar a iluminação colocada pela Prefeitura no entorno dos circuitos. Werner foi aconselhado no próprio governo a não insistir no discurso.

Conexão Bangladesh

Depois de curtir três dias do Carnaval de Salvador, o presidente da Assembleia, Adolfo Menezes (PSD), embarcou domingo (11) para mais uma viagem internacional. O destino: Bangladesh, na Ásia, de onde só retorna na próxima semana. Na abertura oficial da folia, Adolfo conseguiu unir numa mesma foto o prefeito Bruno Reis, a vice-prefeita Ana Paula Matos (PDT) e os governadores da Bahia, Jerônimo Rodrigues, e do Rio, Cláudio Castro (PL), aliado do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Fugiu do Ilê

Presente mais uma vez no Carnaval de Salvador, o presidente da Câmara Federal, deputado Arthur Lira (PP-AL), recusou o convite de Jerônimo Rodrigues (PT), com quem almoçou no sábado (10), junto com outros parlamentares, para conferir a saída do bloco Ilê Aiyê, no mesmo dia. Preferiu o trio de Bell Marques e o conforto dos camarotes, além de evitar o risco de ser vaiado num ambiente estranho a ele. Bell, por sinal, tem sido beneficiado com o “mecenato” dos amigos políticos baianos de Lira.

Relação de respeito

Quem também marcou presença no almoço no Palácio de Ondina para Arthur Lira foi o líder do União Brasil na Assembleia, deputado Marcinho Oliveira. Em conversa com a coluna, Jerônimo disse que gostaria de ter com o restante da oposição a mesma relação de respeito que tem com o parlamentar liderado do deputado federal Elmar Nascimento (União). “Nós nos respeitamos e nos encontramos em alguns eventos, o que deveria ser visto com naturalidade por todos”, declarou o governador.

Papo carnavalesco

Presidente da Câmara Municipal de Salvador, Carlos Muniz (PSDB) visitou Geraldo Jr. no camarote oficial do Estado no Campo Grande, na terça (13) de Carnaval. O tucano garantiu à coluna que não conversou sobre política com o ex-aliado. “Falamos sobre a festa, que esse ano estava mais animada e melhor do que em 2023”. Quem testemunhou o encontro foi a prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho (PT).

DC encorpado

Como já havia antecipado o site e a coluna, o vereador Ricardo Almeida vai trocar o Podemos, que hoje faz oposição a Bruno Reis, pelo DC, agora comandado pelo assessor particular do prefeito Igor Dominguez. Membro da Primeira Igreja Batista, o edil promete levar 30 mil votos para a legenda. Ou seja, além dele, que recebeu mais de dez mil sufrágios no pleito de 2020, articula a filiação de outros candidatos, alguns do extinto PSC. Quem também deve retornar ao DC é o vereador Sabá, hoje no PP.

PP desfalcado

Há outros vereadores negociando o ingresso no DC, a exemplo de Leandro Guerrilha (PP) e Marcelo Maia (PMN). Com essas movimentações, o PP, atualmente com seis edis, só deve permanecer com quatro até a eleição, e o PMN, partido em cujo comando Bruno Reis não confia para inclui-lo entre as siglas nanicas aliadas, perde o único representante.

Desconforto “verde”

Do vereador petista Arnando Lessa defendendo a saída do vereador André Fraga do PV e da federação formada pelo partido com o PT e o PCdoB: “Ele é um filiado histórico do PV, mas se eu fosse ele pediria para sair, pois não seria justo a gente trabalhar para elegê-lo, já que ele apoia Bruno Reis”. À coluna, Lessa emendou: “Mas se ele insistir em ficar, vamos seguir a regra do jogo e não podemos tirá-lo à força”. Por sinal, André Fraga já avisou que não sai da sigla nem se o prefeito pedir.

Resiliência

O vereador Téo Senna não pretende deixar o PSDB, apesar de esse ser o desejo dos colegas de partido, incluindo o presidente da Câmara Municipal, Carlos Muniz – embora ninguém admita abertamente. Téo é visto como um corpo estranho no ninho tucano. Ninguém esquece, por exemplo, que quando o partido dialogava com o governo do Estado para marcar posição, o vereador criticava o movimento pela imprensa. Ele se agarra a Bruno Reis para permanecer.

Senso de oportunidade

Uma eventual saída de Téo Senna poderia abrir as portas do PSDB para o ingresso do vereador Sidninho, hoje no Podemos. A manobra é vista com simpatia entre os tucanos. Há muito Sidninho manifesta o desejo de concorrer à reeleição no partido, que forma uma federação com o Cidadania do vereador Joceval Rodrigues – que deve migrar para o MDB por fazer parte da base do governo estadual.

Briga no Nordeste

Filho do deputado federal Bacelar (PV) e pré-candidato a vereador, João Cláudio Bacelar, presidente do Podemos em Salvador, aproveitou o Carnaval para marcar presença no Nordeste de Amaralina, considerado reduto eleitoral do vereador Cláudio Tinoco (União), um dos principais aliados do prefeito Bruno Reis. Até Geraldo Júnior esteve presente na localidade. A briga promete ser boa!

Apelo à Mesa

O deputado estadual Fabrício Falcão (PCdoB) promete fazer na próxima semana um discurso para tentar sensibilizar os colegas de que deve ser inscrito para disputar a cadeira de conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). O objetivo é apelar principalmente aos colegas da Mesa Diretora, que têm a prerrogativa de aprovar postulantes ao cargo. Matematicamente, Fabrício não tem mais como obter as 13 assinaturas necessárias para se inscrever diretamente.

Pitacos

* Bruno Reis pretende fazer, ainda esta semana, um ato formal para dar posse aos novos presidentes do PRD e do DC, os assessores da Prefeitura Francisco Elde e Igor Dominguez, respectivamente. Na prática, os dois já assumiram as funções.

* A federação PT, PCdoB e PV convidou o vereador Joceval Rodrgues (Cidadania) para ingressar no grupo. Sabendo que lá as chances de reeleição seriam pesadas, mesmo com muita reza, o edil pulou fora.

* O deputado estadual Ângelo Coronel Filho (PSD) defende que a PEC da reeleição, que garante o terceiro mandato do aliado Adolfo Menezes (PSD) no comando da Assembleia, seja votada ainda em março. “Adolfo já é quase unanimidade”.

* Os deputados do G+, um dos dois grupos informais de oito membros na Assembleia, analisam a possibilidade de não se oficializar em 2024. Com isso, não deve haver mudanças na união de forças no comando das comissões da Casa.

* Tem gente graúda no PT contabilizando que o ex-deputado Marcelo Nilo (Republicanos) não terá os votos dos 19 parlamentares da oposição que assinaram a lista de inscrição dele para o TCM.

* O mesmo petista disse à Radar do Poder não acreditar no voto de protesto do deputado Fabrício Falcão (PCdoB), que dificilmente conseguirá a inscrição para entrar na disputa, em Marcelo Nilo. “Fabrício e os demais do PCdoB devem votar nulo”.

* Em coletiva no Carnaval, Jerônimo Rodrigues disse que deve apoiar, em Ribeira do Pombal, a reeleição do prefeito Eriksson Silva (PSD). Mas admitiu que Nay Grillo (PSB), ex-aliada de ACM Neto, representa a “banda b” governista.

* No caso de Santo Antônio de Jesus, capital do Recôncavo, Jerônimo afirmou que estão bem avançadas as tratativas para que o candidato da base seja o ex-prefeito Euvaldo Rosa (PSD).

* O vice-prefeito de Barreiras, Emerson Cardoso (União), não gostou nada de ser preterido da sucessão pelo prefeito Zito Barbosa (União), que escolheu como candidato em 2024 o vereador Otoniel Teixeira (PSD).

* Emerson Cardoso ficou irritado porque tinha a palavra de Zito Barbosa de que seria o indicado. Agora, se diz traído e ameaça entrar na disputa por outra sigla. A divisão agradou o ex-deputado Tito (PT), que deve ser o candidato de Jerônimo.

Radar do Poder: O pêndulo de Jerônimo, a cisma com Lídice, o sucessor de Edvaldo e o plano da Universal

radar do poder | 07 fevereiro 2024

Pêndulo de Jerônimo

O governo Jerônimo Rodrigues (PT) articula para tentar equilibrar as forças entre os aliados com o objetivo de evitar que um ou dois partidos da base eleja em 2024 um número de prefeitos que destoe em escala muito grande dos demais, como aconteceu em 2020 com o PSD e o PP  – o primeiro saiu das urnas com 107 e o segundo com 92. A estratégia visa ainda fortalecer o PT, que só elegeu 32 no último pleito, porém já filiou mais de 10 em 2023 com o respaldo do Palácio de Ondina, mirando sair das urnas com cerca de 70.

Operação Avante

As movimentações no interior acontecem também para tentar conter a “sede” do Avante, que tem incomodado aliados de Jerônimo. A sigla, que só elegeu quatro prefeitos em 2020, já teria filiado mais de 50 desde que o ex-deputado federal Ronaldo Carletto assumiu o comando do partido na Bahia. Para o governo, que atuou no sentido de dar musculatura à legenda para provocar baixas na oposição, já está de bom tamanho, embora aliados ainda se queixem do assédio de Carletto a pré-candidatos.

Caminhos aconselhados

Exemplo de que o governo atua no equilíbrio de forças se dá em Jacobina. Lá, a ex-presidente do PT Mariana Oliveira, que saiu do partido para ser candidata à Prefeitura – a federação dos petistas com o PCdoB e o PV decidiu, a contragosto de muitos, apoiar a reeleição do prefeito comunista Tiago Dias -, negociava com o Avante, mas foi aconselhada a ir para o PSB. O Solidariedade é outro partido indicado pelos operadores governistas para pré-candidatos, sobretudo aqueles sem tradição na esquerda.

Incorporando adesistas

Aliás, a presidente do PSB da Bahia, deputada federal Lídice da Mata, planeja um salto do partido nas eleições deste ano – em 2020, saiu das urnas com 30 prefeitos. Semelhante à do Avante, a estratégia visa, inclusive, atrair gestores e lideranças da oposição, como aconteceu em Mucugê, com a filiação da prefeita Ana Medrado, ex-União Brasil e postulante à reeleição, e em Ribeira do Pombal, com o ingresso da pré-candidata à Prefeitura de Nai Grillo, ex-PDT.

Banda B

Lídice disse que nas conversas com essas lideranças que estiveram com o ex-prefeito de Salvador ACM Neto (União) nas eleições de 2022 e que ingressaram no PSB ficou claro que não há garantias de apoio de Jerônimo na disputa municipal. “Todo mundo entende que a preferência é de quem esteve no projeto em 2022, mas onde for possível a aliança com o governador, vamos trabalhar por isso”, afirmou à Radar do Poder. O não apoio, no entanto, não descarta os planos dessas lideranças, mesmo como “banda B” do governo. Esse e o caso, também, da governista Mariana Oliveira em Jacobina.

Cismado com Lídice

Em Ribeira do Pombal, quem não gostou nada da manobra de Lídice foi o deputado federal Ricardo Maia (MDB), que apoia o prefeito Eriksson Silva (PSD). Maia não abre mão do respaldo de Jerônimo à reeleição do aliado, que “comeu poeira” com o hoje governador no pleito de 2022. Eriksson, por sinal, vai trocar o PSD pelo MDB. A mesma mudança fará o prefeito de Tucano e filho homônimo do parlamentar emedebista.

Eu não sou a Universal

O vereador Isnard Araújo (PL) rompeu com a Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) porque os líderes da entidade pediram que ele não disputasse a reeleição para a Câmara Municipal em 2024. O plano dos pastores para o edil era empregá-lo, a partir de 2025, no gabinete do deputado federal Márcio Marinho (Republicanos), que é bispo. Antes mesmo do rompimento, a Iurd já tinha planos de lançar a candidatura a vereador do pastor Kênio Resende para substituir Isnard, com as bençãos de Marinho.

Alvo anterior

Vale lembrar que algo semelhante aconteceu, antes das eleições de 2018, com o então deputado estadual Sildevan Nóbrega, que também foi vereador de Salvador e era pastor da Iurd, a exemplo de Isnard. A igreja decidiu que o irmão de fé não seria mais candidato à reeleição pelo então PRB, hoje Republicanos, para renovar quadros políticos, provocando o rompimento. Nóbrega, então, se filiou ao Podemos, mas não alcançou os votos suficientes para se reeleger.

Desanimado

Como prêmio de consolação, Sildevan Nóbrega foi nomeado para um cargo na Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) por indicação do atual presidente do Podemos na Bahia, o deputado federal Raimundo Costa, mas foi exonerado esta semana, uma vez que a sigla está na base de Jerônimo. “Estou sem perspectiva para a política”, disse Sildevan à coluna ao descartar candidatura a vereador este ano.

Sucessor de Edvaldo

O deputado federal Antônio Brito (PSD) tem trabalhado para garantir  um vereador de sua confiança na Câmara Municipal de Salvador. Com a provável aposentadoria do pai, o vereador Edvaldo Brito (PSD), o parlamentar busca emplacar o atual diretor de Habitação da Conder, Carlos Kleber, que já foi seu assessor. O deputado busca candidatos com até três mil votos para formar uma lista de postulantes para poder eleger o aliado com folga.

Depois do Carnaval

O PP marcou para depois do Carnaval a tão aguardada reunião para discutir o posicionamento oficial do partido no pleito em Salvador. O encontro, que aconteceria no início de janeiro, já foi adiado ao menos duas vezes. Um dos temas discutidos será a presidência municipal da legenda. Líder do PP na Assembleia e representante da legenda na capital, o deputado Niltinho já descartou assumir o posto. Os pepistas devem anunciar o apoio à reeleição do prefeito Bruno Reis (União).

 

Relação afinada

Líder do governo na Assembleia, o deputado petista Rosemberg Pinto reuniu na residência de Lauro de Freitas, nesta terça (06), o ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB) e o presidente do PT da Bahia, Éden Valadares, além do vice-governador Geraldo Júnior (MDB) e do chefe de Gabinete do governador Jerônimo Rodrigues (PT), Adolpho Loyola. Um dos temas discutidos foi o perfil do coordenador da campanha em Salvador. Ficou acertado ainda que MDB e PT terão uma relação afinada em 2024, mesmo em Vitória da Conquista.

Cafezinho fechado

A Mesa Diretora da Assembleia decidiu que a sala do cafezinho do plenário será de uso exclusivo dos deputados. Desde a reabertura dos trabalhos, na semana passada, não é mais permitido o acesso de convidados e até mesmo da imprensa. A decisão veio após a bagunça feita no espaço, no final do ano passado, por um grupo de defensoras públicas, que cobravam a aprovação de um projeto de lei de aumento salarial estratosférico à categoria. Teve assessor do órgão que entrou na sala afirmando que era jornalista.

Ciúmes na base

Aliados do governador Jerônimo Rodrigues têm demonstrado ciúmes com o tratamento dispensado pelo Executivo à deputada estadual Ivana Bastos (PSD). Segundo queixas que chegaram à coluna, a parlamentar tem sido uma privilegiada no atendimento de demandas, enquanto outros sequer conseguem uma audiência com o morador do Palácio de Ondina. Ivana, por sinal, tem participado da maioria das agendas de Jerônimo, e já fez até viagem internacional com o governador.

Pitacos

* Bruno Reis e ACM Neto intensificaram em janeiro as conversas (e as fotografias) com lideranças do interior mirando as eleições. Um dos que passaram pela Prefeitura foi o prefeito de Itapetinga, Rodrigo Hagge (MDB), que apoiou Neto em 2022.

* Igor Dominguez e Francisco Elde, assessores da Prefeitura e novos presidentes estaduais do DC e do PRD, respectivamente, participaram de algumas dessas reuniões com lideranças do interior, a exemplo da que ocorreu com o prefeito de Simões Filho, Dinha Tolentino.

* Geraldo Júnior (MDB) tem buscado se aproximar mais do presidente da Conder, José Trindade. Os dois vistoriaram obras esta semana em Salvador. O emedebista sabe que precisa muito do apoio de Trindade na eleição.

* O deputado estadual Samuel Júnior (Republicanos) bancou o guia turístico online nas férias em Roma, Itália. Publicou um vídeo nas redes sociais destacando curiosidades religiosas do Coliseu.

* O deputado estadual Fabrício Falcão (PCdoB) não desistiu da inscrição para disputar a cadeira no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). Ele garante que, se conseguir entrar na disputa, vai dar trabalho para o principal concorrente, o deputado estadual Paulo Rangel (PT).

* Nos corredores da Assembleia, o comentário é que Paulo Rangel já é virtual conselheiro. Ele pode ser inscrito com até 39 assinaturas. O deputado Eures Ribeiro (PSD), que estava relutante, teria assinado em favor do petista.

* Depois de perder a disputa para ser o sucessor do prefeito de Camaçari, Antônio Elinaldo (União), o vice-prefeito José Tude (União) lançou a pré-candidatura a vereador no município. Ex-gestor da cidade e ex-deputado, deve ser o mais votado em outubro.

* Aliás, Elinaldo tem literalmente batido bola e ajustado o passe com o candidato escolhido para a sucessão, o vereador Flávio Matos (União), atual presidente da Câmara. Os dois andam grudados.

* O historiador Wesley Faustino demonstrou que, apesar da perda populacional de quase nove mil habitantes, Ubatã, no sul da Bahia, manteve praticamente o mesmo número de eleitores entre os censos de 2010 e 2022. Ele busca uma explicação.

* O deputado estadual Leandro de Jesus (PL) promete novidades sobre a pré-candidatura dele a prefeito de Lauro de Freitas depois do Carnaval. Garante que o projeto é real, embora não seja levado a sério pelas lideranças da oposição no município.

Radar do Poder: No vácuo de Adolfo, o constrangimento de Vovô, a comunista arredia e a vitória contra o piscineiro

radar do poder | 31 janeiro 2024

No vácuo

Com a reabertura dos trabalhos, nesta quinta (1º), a Assembleia volta a se debruçar sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que permite, em 2025, a segunda reeleição do deputado Adolfo Menezes (PSD) à presidência da Casa. O texto só não será votado em março se o próprio Adolfo não quiser. Caso não queira, temendo uma reação negativa do Supremo Tribunal Federal (STF), já há parlamentares no vácuo do atual presidente de olho no cargo. O mais ávido é Vitor Bonfim (PV).

Relator-mor

Bonfim, que costuma relatar praticamente todos os projetos do Executivo, busca se aproximar cada vez mais de Adolfo Menezes e do PT visando se fortalecer como opção para o comando do Legislativo. Ele, que em 2023 foi até em plenária petista, é um dos principais articuladores da candidatura do deputado estadual Paulo Rangel (PT) ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), em eleição que deve ocorrer também em março na Assembleia.

Planos sepultados

Paulo Rangel, com o apoio declarado da maioria dos colegas da Assembleia e de lideranças como os senadores Jaques Wagner (PT) e Otto Alencar (PSD), segue favorito para o TCM, o que não é uma boa notícia para o líder do governo, deputado Rosemberg Pinto (PT). O parlamentar petista sabe que a vitória do colega para o tribunal inviabiliza de vez os planos de suceder a Adolfo Menezes na presidência do Legislativo. Afinal, a fama de “quer tudo” do PT já tem incomodado há muito os parlamentares.

Desaconselhado

Ainda sobre a PEC da reeleição, Adolfo Menezes tratou do assunto esta semana com Otto Alencar num encontro a dois. O senador tem desaconselhado o colega de partido a levar adiante a ideia justamente por conta da jurisprudência do STF, embora garanta todo apoio necessário ao aliado seja qual for a decisão. Caso Adolfo não vá para a reeleição, o que é visto como improvável, Otto promete apoiar a deputada Ivana Bastos (PSD) para o comando do Legislativo estadual.

Sem agenda

O ouvido do governador Jerônimo Rodrigues (PT) tem coçado por, segundo os deputados, não cumprir a promessa de atender parlamentares e prefeitos para ouvir as demandas municipais. Quanto mais se aproxima a eleição, maior é a chiadeira. Os queixosos, naturalmente, estão entre os que não conseguiram uma audiência com o morador do Palácio de Ondina até agora, quando se completa um ano de governo.

Do outro lado

Turbinada por recursos vultosos da Prefeitura de Salvador, a Senzala do Barro Preto, sede do Ilê Ayiê, praticamente fechou as portas para o lançamento, na semana passada, do Carnaval pelo governo do Estado, obrigando a assessoria do governador Jerônimo Rodrigues a encontrar de emergência um local alternativo – o evento aconteceu no Pelourinho. Vale lembrar que, no último dia 23, o prefeito Bruno Reis lançou o Carnaval do município na Senzala do Barro Preto.

Restrição de Vovô

A restrição ao governo estadual teria sido imposta por Vovô, comandante do bloco e do espaço, que não respondeu aos pedidos de confirmação para que o lançamento ocorresse na sede do Ilê. Apesar disso, o dono de uma das agremiações afro mais famosas do país compareceu ao evento comandado por Jerônimo. Lá, no entanto, passou constrangimento. Ninguém o citou nos pronunciamentos e ainda foi olhado com cara de reprovação pelos presentes.

Comunista arredia

A deputada estadual Olívia Santana (PCdoB) segue insatisfeita com a escolha do vice-governador Geraldo Júnior (MDB) para disputar a Prefeitura da capital. Ela não esteve presente, na noite desta terça-feira (30), no ato organizado pelos comunistas em favor do emedebista. Como a mais votada para a Assembleia em Salvador no pleito de 2022, e até pouco tempo pré-candidata a prefeita, a presença dela era tida como fundamental na estratégia de Geraldinho de tentar unir a esquerda em torno do projeto.

Nada de coadjuvante

“Olívia estava em atividade do mandato em Brasília. Todos os nossos parlamentares apoiam Geraldo Júnior”, garantiu à coluna o presidente do PCdoB baiano, Geraldo Galindo, citando a presença, no ato em apoio ao vice-governador, dos deputados federais do partido Daniel Almeida e Alice Portugal. O dirigente comunista defende, inclusive, que a legenda possa indicar o (a) vice na chapa do emedebista. Aliás, Olívia fica irritada quando tem o nome cogitado para essa posição de coadjuvante.

Disputa conservadora

O deputado estadual Diego Castro (PL) realizou, no sábado (27), em Salvador, o primeiro Encontro da Direita no bairro de Pirajá, mas não convidou o colega conservador de Assembleia Leandro de Jesus (PL) – o ex-ministro João Roma (PL) participou. A disputa pelo voto bolsonarista entre os dois deve ser intensa. Cada um com seus próprios candidatos a vereador. O foco dos parlamentares já é a reeleição em 2026.

Coronel indeciso

Por falar em voto conservador, o coronel Humberto Sturaro é o único prefeito-bairro de Salvador que cogita a possibilidade de deixar o cargo em abril para concorrer a uma cadeira de vereador de Salvador. Pessoas próximas ao bolsonarista, no entanto, acreditam que ele tomou gosto pela gestão e dificilmente vai abrir mão de comandar a Prefeitura-Bairro do Centro Histórico. Se concorrer no pleito, será pelo partido que Bruno Reis indicar – o coronel concorreu a deputado estadual pelo PL em 2022.

Sufocado pela federação

O PV da Bahia está convicto de que a federação com o PT e o PCdoB funcionou como uma espécie de armadilha para os “verdes”, que ficaram reféns dos petistas. Sem prestígio e cargos junto ao governo do Estado, a cúpula do partido também se vê deixada de lado nas definições para o pleito de 2024. Não deve ter a prerrogativa da cabeça de chapa em nenhum município importante que pleiteava: Juazeiro e Candeias. É bom lembrar que o PV baiano foi contra a federação, imposta nacionalmente, e preferia ficar ao lado de Bruno Reis.

Piscineiro na mira

Criticado por colegas, que não raro o chamam de “arrogante”, o criminalista Gamil Foppel ganhou ação por danos morais de R$ 700 contra o ex-piscineiro de sua casa de praia em Sauípe. O trabalhador teria cobrado a mesma quantia da mulher do advogado, referente aos meses de fevereiro e março de 2023, apesar de não ter feito a limpeza da piscina. Sem conseguir resolver a questão com o profissional, Gamil foi à Justiça. Obteve decisão favorável da juíza Marina Kummer de Andrade. Mas colegas acham que a medida tomada pelo criminalista não passou de mesquinharia.

Beyoncé

Responsável pela vinda a Salvador, em dezembro do ano passado, de Beyoncé, Potyra Lavor, produtora do prestigiado Afropunk, não teria gostado nada de ver o secretário municipal de Cultura, Pedro Tourinho, aparecer como o autor do convite à famosa cantora norte-americana. Sabedora do impacto que a visita causaria, Lavor pediu apoio a Tourinho para a estadia de Beyoncé na capital baiana. Não esperava, entretanto, que, bancando a estratégia do mistério, Tourinho insinuasse a condição de anfitrião da artista na cidade.

 

Sem prestígio

Presentes à tradicional Lavagem do Bonfim de Mata de São João, no final de semana, o governador Jerônimo Rodrigues (PT) e o secretário de Relações Institucionais Luiz Caetano ignoraram o candidato do PT à sucessão local, Paulo Henrique. Nos registros que fizeram em suas redes sociais sobre a participação no evento, não é possível ver um fio de cabelo do petista.

Pitacos

* Pelo segundo ano consecutivo, o diretor-geral das Prefeituras-Bairro de Salvador, Luciano Sandes, vai pilotar um camarote oficial no Campo Grande para receber as lideranças de Bruno Reis. Em ano eleitoral, o espaço ganha peso maior.

* Vale pontuar que o próprio Bruno Reis também terá, como de praxe, o próprio camarote oficial na folia, no Campo Grande, assim como Jerônimo Rodrigues, que tentará usar a festa para impulsionar o nome de Geraldo Júnior.

* Quem promete colar em Bruno Reis e na exposição do chefe do Executivo municipal na folia é a vice-prefeita Ana Paula Matos (PDT), que almeja continuar na chapa em 2024. 

* Na mesma semana em que o presidente do PSD baiano, senador Otto Alencar, descartou que a sigla vá brigar pela vice de Geraldo Júnior, a vereadora petista Marta Rodrigues admitiu que o PT deve fazer a indicação.

* Curioso o movimento para apresentar como possível vice de Geraldo Júnior o vereador petista Luiz Carlos Suíca, logo aquele da oposição que é mais próximo de Bruno Reis, inclusive no recebimento de emendas.

* Os vereadores do União Brasil de Salvador combatem, por enquanto com educação, as conversas para o possível ingresso na sigla dos edis Ricardo Almeida e Sidninho, ambos do Podemos. Isso porque, segundo eles, os dois são muito “pesados”.

* O deputado Fabrício Falcão (PCdoB) tem lembrado aos colegas, na campanha pelo TCM, que foi o único dos candidatos a não defender ou apoiar a extinção do órgão. Pelo contrário: enviou, no passado, cartas a conselheiros no sentido oposto.

* Durante o lançamento do secretário municipal de Obras, Hélder Macedo, como candidato à sucessão, no final da semana passada, o prefeito de Euclides da Cunha, Luciano Pinheiro (PDT), conseguiu juntar no palanque PT, União Brasil, PSB e PL.

* O deputado estadual Rosemberg Pinto (PT) articula para lançar, no ninho petista, a ex-primeira-dama de Itapetinga Cida Moura como candidata a prefeita no município.

Radar do Poder: Mais um vice para Geraldinho, o balde de gelo de Lula, o Bruno ‘tomador’ e a disputa no tambor

radar do poder | 24 janeiro 2024

Vice para Geraldinho

Começou a circular dentro do PT o nome do secretário estadual de Justiça e Direitos Humanos, Felipe Freitas, que é petista, como alternativa para completar a chapa liderada pelo vice-governador Geraldo Júnior (MDB) na disputa pela Prefeitura de Salvador. Advogado, negro, professor universitário, pesquisador, defensor dos direitos humano, voz da esquerda, Freitas, que nasceu em Feira de Santana, nunca disputou uma eleição.

Colher de fora

Outro quadro petista sempre lembrado para o posto é a secretária estadual de Assistência Social, Fabya Reis, que nasceu em Itamaraju, foi do MST e tem atuação política em Salvador. Aliás, sobre a vice de Geraldo Júnior, os irmãos Vieira Lima, que comandam o MDB baiano, não pretendem meter a colher: vão deixar a questão para ser resolvida pelo governador Jerônimo Rodrigues (PT) e pelo conselho político, afinal já brigaram demais para ficar com a cabeça de chapa.

Balde de água gelada

A visita do presidente Lula (PT) a Salvador foi um banho de água fria para Geraldo Júnior, sem qualquer manifestação concreta de apoio ao emedebista, mas a água ficou gelada mesmo na nesta terça (23), na entrevista do petista à Rádio Metrópole. Lula deixou claro que vai ficar distante da capital baiana na eleição porque não quer mais problemas no Congresso com os aliados do União Brasil, partido do prefeito Bruno Reis e do deputado federal Elmar Nascimento, que deve ser o próximo presidente da Câmara.

“Cantou a pedra”

O senador Jaques Wagner (PT) foi o primeiro, como sempre, a “cantar a pedra” sobre o não envolvimento de Lula na campanha de Geraldo Júnior, em conversas com jornalistas logo após o anúncio da pré-candidatura do emedebista. Aliados do “bruxo”, no entanto, acreditam que o presidente pode ser convencido a mudar de posição se o vice-governador tiver uma curva de crescimento nas pesquisas. Jerônimo promete ficar em cima de Lula pela participação em Salvador.

Felicidade comparada

Ainda sobre a visita de Lula a Salvador, ficou nítido o desconforto do presidente ao ser solicitado a tirar fotos com Geraldo Júnior, com quem trocou poucas palavras. Em uma das imagens divulgadas, o vice-governador beija o lado da testa do petista, que esboça um sorriso sem graça. Em nenhuma das fotos com o emedebista Lula aparece tão feliz quanto naquela tirada, em 2023, com o prefeito Bruno Reis (União), que não acompanhou a agenda presidencial com receio de ser vaiado pela claque petista.

Bruno “tomador”

Bruno Reis garantiu aos vereadores da base que vai “tomar” dois partidos que orbitam em torno da base do governador Jerônimo Rodrigues. Ele não citou explicitamente quais seriam as siglas, mas aliados apostam no PRD, sob a influência do secretário de Meio Ambiente de Lauro de Freitas, Alexandre Marques, e no Agir, controlado pelo deputado estadual Júnior Muniz (PT).

Puxadores evangélicos

A ideia do prefeito é colocar dois vereadores evangélicos puxadores de voto em cada uma das siglas. Um deles é o vereador Ricardo Almeida, de saída do Podemos, sigla que aderiu em 2023 à base de Jerônimo. Ele pode migrar para o Agir, mas a legenda tem resistência em abrigar quadros com mandato. O outro é o edil Isnard Araújo, que deseja assumir a presidência estadual ou municipal do PRD, como já revelou o Política Livre. Quanto mais siglas à disposição, menos complexa fica a arrumação.

Assédio a Toinho

O PRD tem interesse na filiação do vereador Toinho Carolino, que está no Podermos e é um dos mais próximos de Bruno Reis. O Agir também marcou uma reunião com o mesmo edil para esta semana. Toinho tem mantido conversas ainda com o DC, outro partido pequeno que deve marchar com o prefeito. “Quero tomar a minha decisão até o final deste mês, pois não vejo mais possibilidade de o Podemos apoiar Bruno”, disse Toinho à coluna.

Fora da mesa

Embora o Agir seja ligado ao deputado Júnior Muniz, não há aliança automática com Jerônimo, tanto que o próprio petista já esteve com Bruno Reis para tratar de 2024. O parlamentar tem dito a colegas de Assembleia que a legenda nunca foi convidada para as reuniões do conselho político do governador, diferentemente do PRD, presente nos encontros. Ou seja, o tratamento dado nunca foi de aliado.

Periquita de pirata

Depois de ter brigado pela candidatura à Prefeitura no grupo governista e adotado um tom de confronto aos planos de Jerônimo Rodrigues de escolher Geraldo Júnior em Salvador, a deputada estadual Olívia Santana (PCdoB) tem aparecido nos eventos do governo literalmente “fungando” no pescoço do chefe do governador. Quem comenta, em tom de reprovação, é a chamada “primeira turma” do Executivo, segundo a qual a comunista ainda não notou que Jerônimo não estima tamanha proximidade com ela.

Batendo tambor

Além de disputar partidos, Bruno Reis e Geraldo Júnior, coordenador do Carnaval do governo do Estado, também já começaram o duelo para ver quem vai fazer o Carnaval mais superlativo de todos os tempos. Na briga para ver quem faz a melhor coletiva, para eles tudo agora é “o maior de todos os tempos”, “o mais afro” e “o mais democrático”. O prefeito e o vice-governador disputam também, pelo que se viu nas redes sociais esta semana, quem bate melhor o tambor antes da folia começar.

SAC em casa bolsonarista

Causou revolta entre os petistas da gema a escolha do espaço do Shopping Bahia Outlet, de propriedade da família de Rosemma Maluf, ex-secretária na gestão de ACM Neto (União) e apontada também como bolsonarista, para a implantação da nova unidade do SAC em Salvador. Para eles, haveria outros espaços disponíveis no bairro do Uruguai, inclusive de figuras simpáticas ao PT, que poderiam acolher o novo órgão estadual. O investimento na unidade é de R$4,2 milhões.

Pai da criança

Por sinal, chamou a atenção, na abertura do novo SAC no Shopping Bahia Outlet, a colocação de uma faixa de agradecimento não só ao governador Jerônimo Rodrigues, mas também ao ministro da Casa Civil, Rui Costa (PT), ao deputado federal Daniel Almeida (PCdoB) e à deputada estadual Olívia Santana (PCdoB).

Quem colou?

Considerados por emedebistas uma declaração de guerra, os cartazes colocados na Lavagem do Bonfim em que o vice-governador aparece no colo do ex-ministro Geddel Vieira Lima com a inscrição “Geraldo Júnior, traidor marionete de condenado”, conforme revelado na última coluna, passaram a ser atribuídos a petistas radicais, e não ao prefeito Bruno Reis, a quem não interessaria a provocação neste momento de pré-campanha. Ou seja, a suspeita agora é de fogo amigo.

Trabalhos só em março

A Assembleia Legislativa reabre os trabalhos em 2024 no dia 1º de fevereiro, quando o governador Jerônimo Rodrigues lê, em solenidade a partir das 16h30, a tradicional mensagem do Executivo ao Legislativo – pela manhã, o petista estará na posse da nova Mesa Diretora do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). Entretanto, por conta do Carnaval e de viagens de alguns parlamentares, os trabalhos só devem começar para valer em março, mesmo a folia começando e terminando mais cedo este ano.

Pitacos

* Geraldo Júnior já recebeu individualmente os quatro vereadores do PT de Salvador para alinhar os ponteiros. Reatou relações, inclusive, com os mais críticos à candidatura dele, a exemplo de Tiago Ferreira. O clima foi de paz e amor.

* Nas conversas, os vereadores petistas pediram a Geraldo Júnior apoio para que o governo do Estado atenda os pleitos dos edis no que se refere a obras nas comunidades em Salvador, sem desrespeitar a legislação eleitoral.

* Líder do MST, o deputado federal petista Valmir Assunção aposta num “crescimento vertiginoso” do PT nas eleições de 2024 na Bahia. Para ele, a sigla vai ficar entre as duas com o maior número de prefeitos eleitos. A briga é com o PSD e o Avante.

* Pré-candidatos do PT em Conquista, Feira e Camaçari, os deputados Waldenor Pereira e Zé Neto e o secretário de Relações Instucionais, Luiz Caetano, também aproveitaram Lula em Salvador para fazer fotos com o presidente.

* Presidente do PCdoB baiano, Geraldo Galindo assumiu o comando, no Estado, da federação formada pelo partido dele com o PT e o PV, chamada de Brasil da Esperança. No rodízio, ele substituiu o petista Éden Valadares.

* Pareceu interminável o evento de anúncio das operações policiais para o Carnaval feito nesta terça (23) pelo governo do Estado. O governador deixou todo mundo falar, até quem não tinha nada a ver com a pauta.

* O presidente do PP da Bahia, deputado federal Mário Negromonte Júnior, foi visto transitando como aliado em secretarias do governo do Estado esta semana.

* Presidente do PL da Bahia, João Roma se tornou uma espécie de porta-voz dos produtores rurais no Estado. A postura equilibrada do ex-ministro no conflito de terras com indígenas no sul do Estado agradou em cheio à turma do agro.

* O PL de Feira de Santana abriu procedimento para expulsar o vereador Jurandy Carvalho do partido. O edil é acusado de fazer elogios ao governador Jerônimo Rodrigues (PT). Se a moda pegar, haverá uma verdadeira caça às bruxas no Estado.

* Ninguém da oposição em Lauro de Freitas leva a sério a pré-candidatura do deputado estadual bolsonarista Leandro de Jesus (PL) à Prefeitura do município.

Radar do Poder: A marcha lenta de Jerônimo, o Geraldinho da PM, a companheira chic do Bonfim e a combinação de Bruno e Roma

radar do poder | 17 janeiro 2024

Marcha lenta

Lideranças do interior e deputados aliados ao Palácio de Ondina criticam a Secretaria de Relações Institucionais pela marcha lenta na realização de audiências com o governador Jerônimo Rodrigues (PT). Em setembro de 2023, após cobranças dos correligionários, o petista prometeu receber os parlamentares da base acompanhados de seus respectivos prefeitos e potenciais candidatos em 2024. Contabilizando os deputados estaduais, atendeu a apenas nove, de um total de 42 da bancada governista. As viagens de Jerônimo ao interior não satisfazem porque não há audiências reservadas.

Déficit eleitoral

O ritmo lento preocupa principalmente os prefeitos, que almejam obras do governo do Estado para impulsionar as próprias candidaturas à reeleição ou a dos sucessores. A avaliação é que, apesar de toda a simpatia de Jerônimo, que tem sido poupado das críticas pelo trato pessoal, faltou ação do Executivo estadual para contratar ou iniciar intervenções que poderiam ser entregues em 2024.

Geraldinho da PM

O vice-governador Geraldo Júnior (MDB) fez uma série de publicações nas redes sociais homenageando os três anos no cargo dos comandantes da PM, dos Bombeiros e da Polícia Civil no Estado. “Rolando Lero”, apelido do emedebista, tem certeza de que pode ser o candidato a prefeito de Salvador das forças de segurança, até porque nomeou quase 40 policiais para acompanhá-lo, tirando-os das ruas.

Grau de envolvimento

Geraldo Júnior recebeu dos caciques petistas a garantia de que o presidente Lula fará um gesto de apoio à pré-candidatura do emedebista durante agenda em Salvador, nesta quinta (18). Na base aliada, existem dúvidas sobre a o grau de envolvimento do primeiro mandatário da Nação na campanha, pois o União Brasil, partido do prefeito Bruno Reis, é aliado do Planalto (embora nem sempre fiel) no Congresso.

Primeiros ataques

Cartazes afixados em vários trechos do longo do cortejo do Bonfim, na semana passada, deixaram claro que a campanha à Prefeitura de Salvador não será para amadores. Um deles, colocado à farta no caminho em direção à colina, retratava o vice-governador como um bebê no colo do ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB), com a seguinte inscrição: “Geraldo Júnior, traidor marionete de condenado”. Governistas garantem que vai haver troco.

Contra-ofensiva

Aliás, Geddel já avisou que não vai deixar esse tipo de ataque barato. O ex-ministro promete contra-atacar utilizando como argumento, inclusive, as constantes visitas de Bruno Reis e do ex-prefeito ACM Neto (União) à residência dele em busca de manter o MDB entre os aliados na disputa eleitoral de 2022. Até o pleito do ano passado, os emedebistas pertenciam ao grupo liderado por Neto.

Chiquérrima

Quem desfilou ‘très chic’ na Lavagem do Bonfim foi a companheira de cortejo do deputado estadual Rosemberg Pinto (PT), líder do governo na Assembleia. Muito simpática, ela exibia com naturalidade uma bolsa Gucci de cerca de R$ 20 mil no circuito onde predomina o trânsito de gente muito simples cujo ânimo principal é mesmo a fé nos poderes milagrosos do Santo. Também petistas contaram pelo menos dois seguranças de cada lado do animado casal.

Comunista contraditória

Durante a festa do Bonfim, a deputada estadual Olívia Santana (PCdoB) disse em entrevistas que “já se sabia desde sempre da pactuação do governo” em favor da candidatura de Geraldo Júnior em Salvador. Entretanto, quando o Política Livre foi o primeiro veículo de comunicação a revelar a escolha do emedebista pelos caciques petistas, ainda em setembro de 2023, a parlamentar “rodou a baiana” e classificou a notícia como ficção. É por isso que não se confia em político.

Jogo combinado

Durante a Lavagem do Bonfim, o ex-ministro João Roma anunciou que o PL, que ele comanda na Bahia, só vai anunciar o apoio a Bruno Reis depois da visita do ex-presidente Jair Bolsonaro, líder nacional da sigla, à Bahia, em março. A mudança de estratégia teria sido um pedido do próprio prefeito a Roma, para não ser obrigado a receber ou tirar fotos com Bolsonaro em Salvador. Antes, estava certo que o PL anunciaria o apoio a Bruno ainda neste mês de janeiro.

Rixa antiga

O deputado federal Elmar Nascimento (União) tem simpatia pela candidatura do ex-deputado Marcelo Nilo (Republicanos) ao TCM. Tanto que o único liderado dele na Assembleia que não assinou a lista em favor do concorrente a conselheiro foi Marcinho Oliveira (União), adversário político do ex-parlamentar em Monte Santo. Elmar, no entanto, sabe que se declarar apoio a Nilo perde de imediato um voto na disputa pela presidência da Câmara: do deputado federal e inimigo pessoal do político do Republicanos Félix Mendonça Jr. (PDT).

Beliscada

Favorito ao TCM, o deputado estadual Paulo Rangel (PT) acredita que pode beliscar uns votos na bancada de oposição. Ele aposta nas relações antigas com alguns dos parlamentares mais experientes do bloco – ele é muito próximo, por exemplo, do deputado Sandro Régis (União). Para a oposição, no entanto, o petista deveria procurar assegurar arrematar o apoio dos parlamentares dos partidos que lhe prometeram respaldo. No PSD, uma dessas siglas, o deputado Eures Ribeiro não assinou a lista em favor de Rangel.

Reunião de condomínio

Na semana passada, a coluna revelou que Paulo Rangel e o deputado Fabrício Falcão (PCdoB), outro postulante ao TCM, residem no mesmo edifício em Salvador, o Carpe Diem, no Alphaville I (Patamares). Mas quem também mora por lá é o deputado estadual Vitor Azevedo (PL), um dos primeiros incentivadores da candidatura do petista ao tribunal. Neste período de recesso da Assembleia, os dois costumam conversar com frequência sobre os rumos da disputa como uma reunião a dois de condomínio.

Apelo de “Nonô”

Quem tem feito apelos ao governo em favor da candidatura de Fabrício Falcão ao TCM é o deputado federal Waldenor Pereira (PT), pré-candidato a prefeito de Vitória da Conquista, reduto eleitoral dos dois parlamentares. Embora elogie Paulo Rangel, “Nonô” acredita que o pleito do comunista é antigo e justo. Jerônimo ainda não se manifestou sobre qual dos dois candidatos da base irá apoiar.

Pé fora do muro

O apoio integral do PT ao grupo liderado, em Euclides da Cunha, pelo prefeito Luciano Pinheiro (PDT) pode tirar ao menos um dos pés de Jerônimo Rodrigues de cima do muro na eleição no município. O chefe do Executivo estadual vinha prometendo neutralidade na disputa, afinal o líder da oposição na cidade, o ex-deputado federal José Nunes (PSD), também é da base. Mas a pressão dos petistas, que devem indicar a vice do candidato à sucessão escolhido por Pinheiro, pode ter efeito no coração do governador.

Alternativa grapiúna

Chefe do Executivo municipal em Itapetinga, Rodrigo Hagge (MDB) convidou o ex-prefeito de Itabuna Capitão Azevedo, hoje no PDT, a ingressar nas fileiras emedebistas. O movimento foi interpretado como uma espécie de “plano b” caso a pré-candidatura do ex-deputado Geraldo Simões (PT) seja afundada pelos petistas, como é a tendência. Nesse caso, o MDB, que não almeja apoiar a reeleição do prefeito Augusto Castro, teria como alternativa lançar candidatura própria na terra grapiúna.

Pitacos

* Presidente da Assembleia, Adolfo Menezes (PSD) foi a São Paulo antes da Lavagem do Bonfim para fazer uma série de exames rotineiros. Retornou confiante de que está em boas condições de saúde para tentar uma nova reeleição ao comando da Casa.

* O secretário estadual de Agricultura, Tum, se tornou, dentro do Avante, o maior defensor do deputado federal Pastor Isidório, que é do mesmo partido, como vice de Geraldo Júnior em Salvador, exatamente agora, quando ninguém mais acredita que a indicação se concretize.

* O vereador Sílvio Humberto (PSB), que tentou ser candidato da base de Jerônimo à Prefeitura de Salvador, será o líder da oposição na Câmara Municipal este ano. Promete dar trabalho a Bruno Reis neste ano eleitoral. Ele substitui Laina Crisóstomo (Psol).

* O senador Jaques Wagner (PT) segue artificializando a candidatura da vereadora Lúcia Rocha (MDB) em Conquista, magoando os irmãos Vieira Lima. Nas entrevistas, ele diz que o candidato natural da base é o deputado federal Waldenor Pereira (PT).

* Waldenor, por sinal, já recebeu apoios dos partidos PSD, PSB e Podemos, além do PCdoB e do PV, que integram a federação com o PT.

* Os auxiliares do governador Jerônimo Rodrigues (PT) passam a lupa nos mais de 20 projetos de lei de autoria dos deputados estaduais aprovados antes do recesso da Assembleia, em dezembro de 2023. Os parlamentares não acreditam em vetos.

* O deputado Marquinho Viana (PV) quer, no entanto, que Jerônimo vete ao menos o projeto do colega Pedro Tavares (União) que oficializa Morro do Chapéu como a “Capital do Vinho da Chapada”. O “verde” diz que o justo seria dar o título a Mucugê.

* Em Juazeiro, a incógnita entre os partidos da base de Jerônimo é se o pré-candidato do PT, o ex-prefeito Isaac Carvalho, está ou não inelegível. O assunto já virou até uma espécie de tabu no PV e no PCdoB, que pleiteiam a cabeça de chapa.

* A prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho (PT), anunciou que fará no sábado (20) um seminário com os pré-candidatos da base à sucessão municipal. A petista diz que são 13 os pretendentes a sucedê-la.

* O Avante do ex-deputado federal Ronaldo Carletto confirmou que vai apoiar a reeleição do prefeito de Itabuna, Augusto Castro (PSD).

Radar do Poder: O duelo carnavalesco, a preocupação com a Conder, a pedida de Cacá e o retorno de Bellintani

radar do poder | 10 janeiro 2024

Holofotes momescos

Pré-candidato do MDB ao Palácio Thomé de Souza, o vice-governador Geraldo Jr. assumiu novamente a missão de ser o coordenador do Carnaval da Bahia para tentar dividir, em Salvador, os holofotes com o prefeito Bruno Reis (União), postulante à reeleição. O emedebista deve estacionar na folia da capital, enquanto o governador Jerônimo Rodrigues (PT) participa também no interior. Geraldo Jr. promete participar, inclusive, da entrega das chaves da cidade ao Rei Momo, comandada por Bruno.

Teste de popularidade

Antes do Carnaval, Bruno Reis e Geraldo Jr. testam a popularidade na Lavagem do Bonfim, nesta quinta (11). Cada um estará acompanhado dos principais padrinhos políticos: o ex-prefeito ACM Neto (União) e o governador Jerônimo Rodrigues. Fora das ruas e das festas tradicionais, Bruno leva ampla vantagem sobre Geraldinho no ambiente virtual: são 498 mil seguidores no Instagram contra 297 mil.

Meu pirão primeiro

Por sinal, Geraldo Jr. tem causado boa impressão nas conversas com os partidos de esquerda, iniciadas na semana passada. Lideranças do PSB, do PT e do PCdoB, com os quais já dialogou, ficaram impressionadas com a desprendimento do emedebista. Entretanto, vereadores do PT avisaram que vestir a camisa do aliado vai depender das ações que o governo do Estado fará para assegurar a reeleição dos quatro petistas na Câmara.

Prêmio de consolação

Caciques do PT baiano já sinalizaram aos vereadores do partido na Câmara Municipal que, em caso de derrota no projeto de reeleição dos edis, ninguém ficará desamparado, afinal, em eventual insucesso de Geraldo Jr. nas urnas, o governo Jerônimo Rodrigues pode abrigar os derrotados em cargos no Estado. No total, o PT tem quatro representantes no Legislativo: Marta Rodrigues, Tiago Ferreira, Luiz Carlos Suíca e Arnando Lessa. Geraldo Jr. vai conversar em separado com cada um deles.

Preocupação com a Conder e…

Há, inclusive, preocupação no grupo de Jerônimo Rodrigues com relação ao comportamento que a Conder e a Sufotur adotarão na campanha de Geraldo Jr e dos vereadores aliados. Para governistas, se os dois órgãos não entrarem de cabeça no processo, dificilmente o emedebista conseguirá se sobressair na disputa à Prefeitura. Por isso, as declarações do presidente da Conder, José Trindade (PSB), de que a companhia se manterá distante das eleições deixaram muita gente de cabelo em pé.

…  a Sufotur

Aliás, esta também tem sido a postura do superintendente da Sufotur, Diogo Medrado, especialmente em Salvador. Para quem não se lembra, Diogo era um dos defensores da candidatura de José Trindade à sucessão municipal. Por isso, no momento em que se discutia internamente o nome da base aliada para a eleição na capital, foi algumas vezes criticado por Geraldo Jr., o que gerou uma animosidade entre o dirigente e o emedebista.

Inimigo íntimo

Ainda sem sucesso na tentativa de convencer o PV a tirar do partido o vereador André Fraga, representantes do PT e do PCdoB na Câmara têm esperanças de que Bruno Reis o faça na montagem das nominatas das legendas da base do Executivo municipal. A avaliação geral na Casa é a de que se o “verde” aliado do prefeito disputar a reeleição dentro da federação formada pelas três siglas, ele tira a vaga de um dos apoiadores do governador Jerônimo Rodrigues (PT).

Forcinha de Bruno

“Acreditamos que Bruno Reis pode colocar André Fraga em outro partido da base dele. Na verdade, já teve até representante da federação pedindo isso a ao prefeito”, brincou um dos vereadores do grupo em conversa com a coluna. Com a candidatura de Geraldo Júnior à Prefeitura, e a ameaça de redução da bancada do PT e do PCdoB na Câmara, ficou ainda mais urgente uma solução para a “equação Fraga”.

O retorno

Depois de perder o cavalo selado que deixaram em sua porta em 2020, quando poderia ter sido candidato a prefeito do grupo liderado pelo PT na Bahia, Guilherme Bellintani volta à cena política por meio de conversas com partidos de esquerda. Ele tem dito, inclusive, que nunca foi de direita e que não é ligado ao ex-prefeito de Salvador ACM Neto (União). Busca se filiar a uma legenda do grupo para disputar uma vaga de deputado federal em 2026, de onde acha que poderá impulsionar ainda mais seus negócios.

Pedida alta

Secretário municipal de Governo, Cacá Leão (PP) só não trocou o cargo na Prefeitura por uma das 12 vice-presidências da Caixa Econômica Federal porque não recebeu, até aqui, o que pediu. O pepista desejava ocupar a vice de Governo ou a de Habitação, o que é uma operação complexa, uma vez que elas estão ocupadas, respectivamente, por apadrinhados do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e do PT. Nem mesmo o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), amigo de Cacá, resolveu.

Agenda ampliada sem Bruno

Comandante do PL na Bahia, o ex-ministro João Roma quer ampliar ao máximo a agenda do ex-presidente Jair Bolsonaro no Estado, programada para março. “A ideia é que ele (Bolsonaro) possa visitar outras cidades no interior além de Salvador”, disse Roma à coluna. O objetivo da agenda é impulsionar candidaturas majoritárias conservadoras. Bruno Reis, que terá o apoio do PL, já sinalizou não ter o menor interesse em encontrar Bolsonaro, temendo desgastes políticos.

Conservadores em desvantagem

Analistas do cenário político, por sinal, acreditam que serão poucos os prefeitos bolsonaristas eleitos em 2024 na Bahia. “Talvez o PL não eleja nenhuma liderança conservadora de fato”, avaliou um membro do próprio partido de João Roma. Atualmente, a maior cidade administrada por um gestor do PL é Porto Seguro, com Jânio Natal, que ainda não decidiu se vai disputar a reeleição. Embora tenha apoiado Jair Bolsonaro em 2022, Jânio já se reaproximou do PT depois do pleito.

Bloco formalizado

Assim que os trabalhos na Assembleia forem retomados, em fevereiro, o G+, segundo bloco informal de oito parlamentares lançado informalmente em 2023 na Casa, será oficializado. Já está definido, inclusive, quem será o líder: o deputado Rogério Andrade (MDB), que é governista desde a eleição de Jerônimo Rodrigues, ao contrário do deputado Niltinho (PP), que era cotado para o posto, mas deixou e voltou à base aliada em 2023. Mais um recado de fidelidade ao Palácio de Ondina.

Saída de cena

A secretária estadual de Desenvolvimento Urbano, Jusmari Oliveira (PSD), já selou o apoio à pré-candidatura do ex-deputado federal Tito Cordeiro, que trocou recentemente o Avante pelo PT, à Prefeitura de Barreiras, no Oeste. Resta só o anúncio oficial. A candidatura de Jusmari foi inviabilizada após o ingresso de Tito, apoiador de Jair Bolsonaro, no ninho petista. O PT, por sua vez, garantiu o apoio ao esposo da secretária, o ex-deputado Oziel Oliveira (PSD), à Prefeitura da vizinha Luis Eduardo Magalhães.

O infiel

Presidente do PSD baiano, o senador Otto Alencar tenta convencer o correligionário de partido e deputado estadual Eures Ribeiro a apoiar a candidatura do deputado estadual Paulo Rangel (PT) ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). Apesar do apoio formal da bancada do partido na Assembleia ao petista, Eures não assinou a lista em prol de Rangel e tem prometido votar em outro concorrente governista, o deputado estadual Fabrício Falcão (PCdoB).

Pitacos

* Ainda sobre o TCM, Paulo Rangel e Fabrício Falcão residem no mesmo edifício em Salvador, o Carpe Diem, no Alphaville 1, em Patamares. Quando se encontram, os dois parecem velhos amigos e não adversários.

* A presidente municipal do PT, Cema Mosil, mostrou que quem manda em casa é ela e articulou o apoio do Movimento dos Sem Teto em Salvador (MSTS), comandado pelo esposo dela, Jhones Bastos, a Geraldo Jr. Antes, o MSTS criticava o emedebista.

* O deputado estadual Robinson Almeida, que foi pré-candidato do PT a prefeito de Salvador, não fez a menor questão de participar da reunião entre Geraldo Jr. e a executiva municipal petista, na segunda-feira (08), para tratar das eleições. Também parou de dar bom dia aos colegas na Assembleia.

* Pré-candidato do Psol à Prefeitura de Salvador, Kleber Rosa tenta convencer o deputado federal do partido Guilherme Boulos, postulante à Prefeitura de São Paulo, a aparecer na Lavagem do Bonfim. Ainda não há confirmação.

* Presidente da Câmara Municipal de Salvador, Carlos Muniz (PSDB) vai participar da Lavagem do Bonfim, nesta quinta (11), ao lado do prefeito Bruno Reis. Mas pretende dar um abraço no amigo Geraldo Jr. na concentração da festa.

* Prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre (PSD) diz que até março anuncia quem será o candidato à sucessão apoiado por ele. De olho na vaga, a secretária estadual de Educação, Adélia Pinheiro, reclamou entre os aliados que o prazo é muito longo.

* Saiu o edital da Prefeitura de Feira para contratar a empresa que irá operar a Zona Azul na cidade. O valor estimado é de R$128 milhões, com prazo de concessão de 20 anos.

* Ex-gestor de Conceição do Coité, Francisco de Assis lançou oficialmente esta semana a pré-candidatura a prefeito em 2024. Em vídeo, ele chamou o grupo do deputado estadual Alex da Piatã (PSD) de “centrão”, que apoia quem está ganhando.

Radar do Poder: A comissão do silêncio, os ouvidos quentes de ACM Neto, a maldade do Detran e Niltinho para presidente

radar do poder | 03 janeiro 2024

Comissão do silêncio

Em outubro de 2023, o governador Jerônimo Rodrigues (PT) encarregou a secretária estadual de Desenvolvimento Social, Fabya Reis, de liderar uma comissão que tinha como objetivo fazer um diagnóstico dos problemas de Salvador e desenhar um cronograma de obras e ações nos bairros, atendendo a uma reivindicação dos vereadores. Em dois meses, o colegiado, formado ainda por dirigentes do PT, PSB e PCdoB, nunca se reuniu para debater coisa alguma.

Conder em ação

Com o anúncio de Jerônimo de que o candidato a prefeito de Salvador da base aliada será o vice-governador Geraldo Júnior (MDB), os vereadores do PT e do PCdoB, que temem perder cadeiras na Câmara Municipal sem um nome da esquerda na cabeça da chapa majoritária, cobram o funcionamento da comissão. Eles almejam que a Conder, comandada por José Trindade (PSB), atue em sintonia para que os edis possam capitalizar eleitoralmente a realização de obras na cidade.

Conversas bilaterais

Logo após retornar das férias no exterior, Geraldo Jr. deve dar início a conversas bilaterais com partidos da base de Jerônimo. O vice-governador já conversou ao telefone com alguns aliados, mas vai se reunir pessoalmente. O foco é aparar arestas, conter os “choros” e ajustar o conteúdo programático de plano de governo. A definição sobre a vice só deve ocorrer a partir de abril. Geraldinho pretende dialogar, inclusive, com o PP, que em Salvador integra a base do prefeito Bruno Reis (União).

Niltinho x Cacá

Por falar em PP, quem está de olho na presidência do partido na capital é o deputado estadual Niltinho, aliado de Jerônimo e defensor do apoio a Geraldo Jr. Hoje, a legenda no município é controlada de forma indireta pelo secretário de Governo da Prefeitura, Cacá Leão. Quem deve decidir a parada é o presidente da sigla na Bahia, deputado federal Mário Negromonte Júnior, que tem maioria na Executiva.

Ouvidos de ACM Neto

Ausente no Festival da Virada de Salvador, o ex-prefeito ACM Neto (União), que passou o Réveillon em Praia do Forte com a família, deve ter entrado em 2024 com o “ouvido quente”. Aliados do sucessor Bruno Reis (União) tem se queixado duplamente do ex-gestor: uns reclamam de ausência e outros de sua presença. As queixas partem de lideranças do PP, do PSDB, do PDT e até do Republicanos. Isso sem falar na turma do interior. Vá entender!

A maldade…

Apontado há tempos em setores do governo como causador das queixas pela burocratização no Detran, Rodrigo Pimentel busca se redimir enchendo os cofres do Executivo estadual. Teria sido sua a ordem para que o órgão apertasse o cerco contra condutores no último dia do ano por meio de blitze na Bahia. Os agentes de trânsito iam direto para cima dos motoristas questionando sobre o pagamento do licenciamento, que, na gestão de Pimentel, não se sabe o motivo, o sistema desmembrou do IPVA.

… do diretor-geral

Por esta razão, apesar da maior parte dos condutores estarem em dia com o IPVA, muitos acabam esquecendo de quitar o licenciamento, cujo valor é bem inferior. Ocorre que, apesar de poder ser sanado no ato por meio de aplicativo, o pagamento do licenciamento é impossível de ser feito na virada do ano porque os bancos fecham para balanço mesmo no modo virtual, informação de que o Detran tem pleno conhecimento. Por isso os pátios do órgão ficaram lotados de carros na entrada de 2024.

… do Detran

Sensibilizados com a aflição dos condutores cujos automóveis eram presos nas blitze que do dia 31 – que, ressalte-se, não eram de alcoolemia -, muitos abarrotados de bagagens com destino a praias ou montanhas, agentes do órgão passavam a recomendar que recorressem a contatos influentes em busca do livramento. Alguns chegavam a sugerir nomes de deputados a quem pais, mães, avós e tios poderiam recorrer para se liberar da angústia de comprometer sua mobilidade em período tão importante de festa.

Fiasco em Mata

Foi um verdadeiro fiasco a festa de fim de ano na sede de Mata de São João, município em que estão localizados Praia do Forte e Imbassaí, dois dos balneários mais conhecidos do país. Os nativos da cidade não mereciam ser tratados com tamanho descaso enquanto os “chics e famosos” se divertiam nas duas praias ou em suas portentosas mansões ao longo da costa do município.

Síndrome do Escorpião

Assessores do novo prefeito de Mata, Bira da Barraca (União), não demoraram a responsabilizar o seu antecessor, João Gualberto (PSDB), que renunciou em 15 de dezembro para que o nativo assumisse. Eles atribuíram o fracasso da ocasião à alegada “Síndrome do Escorpião” do tucano, aquele que faz uma bondade seguida de uma maldade. Afinal, era papel de Gualberto, enquanto foi gestor, ter preparado a festa para a população. O fiasco, no entanto, caiu no colo de Bira.

Segue a líder

Encomendada supostamente pelo grupo da prefeita Sheila Lemos (União), circulou esta semana em Vitória da Conquista uma nova pesquisa para consumo interno sobre a sucessão municipal que aponta, novamente, a liderança da vereadora Lúcia Rocha (MDB). O cenário é desfavorável tanto à prefeita quanto ao deputado federal Waldenor Pereira (PT). Depois do Carnaval, o governador Jerônimo Rodrigues (PT) vai redobrar esforços para tentar unir Lúcia e Waldenor.

Fardado na fila

Para complicar mais a vida de Jerônimo quando o assunto é a eleição em Vitória da Conquista, quem está decidido a ser candidato a prefeito é o atual chefe do Comando de Policiamento da Região Sudoeste, coronel Ivanildo da Silva, que se aposenta em abril deste ano. O militar ainda não escolheu o partido, mas a tendência é que seja contra o governo. O nome dele será colocado nas próximas pesquisas feitas tanto por Sheila quanto por Waldenor.

Fio de esperança

Presidente de honra do MDB, Lúcio Vieira Lima não descarta a união, ainda no primeiro turno, entre o partido e o PT em Vitória da Conquista, mas desde que seja em torno do nome de Lúcia. Ele acredita que o entendimento em Salvador em torno de Geraldo Júnior cria um ambiente favorável. “Vamos apoiar o PT em Feira e já avançamos nas conversas em cidades como Lauro de Freitas e Camaçari. Em Conquista, os dois partidos têm candidatos fortes, mas temos tempo para encontrar um denominador comum”.

Cruz embolada

O PP pretende lançar como candidato a prefeito de Cruz das Almas o atual diretor de Habilitação do Detran, Max Passos. O curioso é que Max, caso consiga viabilizar o projeto eleitoral, não terá o apoio de todo o ninho pepista. O amigo e deputado Niltinho, por exemplo, que indicou o aliado para o Detran, deve caminhar ao lado do prefeito Ednaldo Ribeiro (Republicanos), adversário de Jerônimo. PT e PSD também lançaram pré-candidatos.

Sem leilão

Aliás, quem enviou nota à coluna foi o vice-prefeito de Cruz das Almas, André Eloy, negando que tivesse feito “leilão” ao trocar o PDT pelo PSD. Ele ressaltou que a emenda de R$1 milhão garantida pelo senador Otto Alencar (PSD) será destinada à Santa Casa de Misericórdia, para a implantação de dez leitos de UTI. Na nota, Eloy informou ainda que ingressou no PDT a pedido de ACM Neto, mas não deixou claro se informou ao ex-líder político antes de aderir à base do governo do Estado.

Pitacos

* O deputado estadual Roberto Carlos (PV) deve se retirar em breve da disputa ao TCM e focar na eleição municipal em Juazeiro. Coube ao presidente do PV da Bahia, Ivanilson Gomes, convencer o parlamentar a “vestir a roupa de candidato a prefeito”.

* Roberto Carlos esteve, inclusive, reunido esta semana com o deputado estadual Zó (PCdoB), outro pré-candidato a prefeito. Ele também entregou os cargos indicados que tem na gestão da prefeita aliada Suzana Ramos (PSDB), postulante à reeleição.

roberto-carlos-zo

* Sobre o TCM, resta saber em quem Roberto Carlos irá votar entre os três nomes que irão se manter na disputa: os deputados estaduais Paulo Rangel (PT) e Fabrício Falcão (PCdoB) e o ex-deputado estadual Marcelo Nilo (Republicanos). O voto é secreto.

* O ex-deputado Tom Araújo (União), que perdeu a cadeira de conselheiro para a ex-primeira-dama Aline Peixoto, tenta a todo custo convencer o aliado e deputado estadual Luciano Araújo (Solidariedade) a votar em Marcelo Nilo na disputa pelo TCM.

image
* “Como votei em Tom contra Aline, agora tenho que demonstrar lealdade ao governador Jerônimo Rodrigues (PT) e votarei em Paulo Rangel”, disse Luciano Araújo à coluna, ao negar o voto em Nilo.

* Fabrício Falcão garantiu à coluna que será candidato ao TCM “de qualquer jeito”. “Não vou retirar a candidatura. Vou mostrar ao governador que posso unir a base em torno do meu nome e o PCdoB merece essa indicação”. O discurso já foi ouvido outras vezes.

* Jerônimo retorna nesta quarta-feira (03) a Salvador após um breve período de descanso de final de ano em São Paulo. Tentar unificar a base na disputa pelo TCM é uma das prioridades políticas deste início de ano.

* O governador deve alinhar ainda com os partidos aliados as primeiras reuniões do conselho político em municípios importantes do interior para definir candidaturas a prefeito da base. A primeira deve ocorrer em Camaçari.

* E por falar em Camaçari, o secretário estadual de Relações Institucionais, Luiz Caetano, pré-candidato do PT a prefeito do município, foi um dos poucos do staff do governador que não tirou um período de férias ou descanso na virada de ano.

* O deputado estadual Vitor Bonfim (PV) fechou o ano de 2023 sendo reeleito mais uma vez ao título de relator-mor dos projetos enviados pelo Executivo. Coube a ele apresentar o parecer, em plenário, de mais de 50% das proposições aprovadas.

Radar do Poder: Os súditos do Rei, o chilique no palácio, o eterno insatisfeito e o leilão de Cruz das Almas

radar do poder | 27 dezembro 2023

Curtida ministerial

O ministro da Casa Civil, Rui Costa (PT), que acabou de ser pai novamente, não esteve presente nas reuniões decisivas do conselho político que confirmaram o nome do vice-governador Geraldo Júnior (MDB) como pré-candidato a prefeito de Salvador. Entretanto, discretamente, curtiu uma publicação do anúncio feita nas redes sociais pelo líder da maioria na Assembleia, deputado Rosemberg Pinto (PT). Ou seja, ninguém pode dizer que o ex-governador tenha ignorado totalmente Geraldinho. Seria injusto!

Súditos do Rei

A confraternização organizada pelo governador Jerônimo Rodrigues (PT) na quinta (27), no Palácio de Ondina, após o anúncio da pré-candidatura de Geraldo Júnior (MDB), acabou mais cedo pois muitos políticos presentes tinham outro compromisso inadiável na mesma noite: assistir ao show de Roberto Carlos na Arena Fonte Nova. Entre os privilegiados estava o senador Jaques Wagner (PT), que aproveitou todo o romantismo do Rei ao lado da esposa, Fátima Mendonça.

Prometedor

Foi durante a confraternização de Jerônimo que o bloco informal do G8 na Assembleia mostrou serviço ao governador e fechou o apoio à candidatura do deputado Paulo Rangel (PT) ao TCM. Do grupo, os deputados Patrick Lopes (Avante), Nelson Leal (PP) e Binho Galinha (Patriota) não estavam presentes, mas foram consultados pelo WhatsApp. Por sinal, Binho, acusado pelo Ministério Público de chefiar uma milícia em Feira e ameaçado de cassação, já teria prometido votos a todos os concorrentes ao Tribunal.

Chilique

Candidato do PCdoB ao TCM, o deputado Fabrício Falcão deu um verdadeiro chilique ao presenciar, na confraternização de Jerônimo, a decisão do G8 em favor de Paulo Rangel. Com o tom de voz exaltado, ele chamou os colegas do grupo presentes – Luciano Araújo (Solidariedade), Vitor Azevedo (PL), Laerte de Vando (Podemos), Raimundinho da JR (PL) e Felipe Duarte (PP) – de traidores. “Vocês querem o PT tomando conta também do Tribunal?”, esbravejou.

Pé do ouvido

Aliás, Fabrício não “incomodou” apenas os deputados estaduais presentes na confraternização no Palácio de Ondina sobre o TCM. Ele manteve conversas insistentes ao pé do ouvido com Jaques Wagner e com o próprio Jerônimo. Até o presidente do Tribunal, conselheiro Francisco Netto, presente no evento, ficou constrangido diante de tamanho assédio. Quem ajudou Fabrício na tarefa foi o secretário estadual de Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, Davidson Magalhães (PCdoB).

Aliada “bróder”

Se não tiver o aval de Jerônimo, Fabrício Falcão já conseguiu ao menos o apoio de uma das irmãs do governador na saga para ser conselheiro do TCM. Ex-vereadora e uma das lideranças do PCdoB de Jequié, Rita Rodrigues disse ao irmão que o pleito do comunista e do partido, que nunca indicou nenhum representante para uma das Cortes de contas, embora seja um aliado fiel, é justo e deveria ser atendido.

Inscrições adiadas

As inscrições dos candidatos ao TCM só serão mesmo abertas em 2024, após o recesso parlamentar, apesar de a Assembleia ter recebido, na semana passada, o comunicado da aposentadoria do conselheiro Fernando Vita, com pedido de substituição. Com isso, o presidente do Legislativo, Adolfo Menezes (PSD), atendeu o governo, que ainda tenta unificar a base sobre o tema. Por outro lado, desagradou o ex-deputado Marcelo Nilo (Republicanos), que queria justamente aproveitar a base governista desorganizada.

Breve simpatia

Durante o breve tempo em que foi pré-candidato a prefeito de Salvador pelo PT, o deputado estadual Robinson Almeida virou alvo de críticas constantes de vários colegas na Assembleia, onde o consideram antipático e arrogante. Um deles chegou a contar à Radar do Poder que não via a hora de Geraldo Júnior ser logo escolhido em seu lugar para que não fosse obrigado a responder aos repentinos “bons dias” com que Robinson passou a cumprimentá-lo no período.

Eterno insatisfeito

Aliás, após a confraternização organizada por Jerônimo no Palácio de Ondina, um aliado do governador foi questionado pela coluna se Robinson demonstrou insatisfação durante o evento com a escolha por Geraldo Jr. “Rapaz, eu não sei como dizer a você porque o deputado Robinson anda sempre com a cara de insatisfeito, está sempre enfezado”.

Fakers

Por sinal, Robinson e sua pequena rede de amigos e aliados ficaram com a cara mexendo diante das acusações de “fake News” que fizeram ao Política Livre simplesmente porque o site foi o primeiro a antecipar, em outubro, que Geraldo Jr. seria o candidato do grupo governista à Prefeitura, como se confirmou. Uma prova de que extremistas não toleram a boa e verdadeira informação difundida pelo jornalismo profissional, não importam se estão à esquerda ou à direita.

Pra ontem

Quem se apressou em declarar apoio à pré-candidatura de Geraldo Jr. foi o líder do PP na Assembleia, deputado Niltinho. Nas redes sociais, deixou claro que, embora o partido apoie a reeleição do prefeito Bruno Reis (União), vai se manter fiel ao governador Jerônimo Rodrigues (PT). Mesmo não tendo sido chamado para as últimas duas reuniões do conselho político, embora seja o pepista mais bem votado na capital.

Olhos abertos

E por falar no PP, o presidente da sigla no Estado, deputado federal Mário Negromonte Júnior, já identificou que a Bahia é o epicentro do movimento de lideranças do União Brasil em torno da ideia de criação de uma federação entre as duas siglas e o Republicanos. Caso isso ocorra, o que é considerado improvável, o grupo liderado pelo ex-prefeito ACM Neto (União) assumiria o controle do ninho pepista e afastaria de vez o PP de Jerônimo.

Afinados

Os vereadores Luiz Carlos Suíca (PT) e Hélio Ferreira (PCdoB) foram os únicos da oposição a marcar presença na confraternização organizada pelo prefeito Bruno Reis (União) na última quinta-feira (21), no Centro de Convenções de Salvador, que contou ainda com a presença do antecessor ACM Neto. Os dois demonstraram mais uma vez toda a afinidade com o Palácio Thomé de Souza. Vale lembrar que Bruno convidou os 43 membros da Câmara Municipal.

Afago em Caetano

Mesmo aliado de Bruno Reis, o presidente da Câmara Municipal, vereador Carlos Muniz (PSDB), não perde a oportunidade de fazer um afago no governo do Estado. Antes do recesso, ele aprovou, de última hora, dois projetos garantindo a entrega da Medalha Thomé de Souza, maior honraria do Legislativo, ao secretário estadual de Relações Institucionais, Luiz Caetano (PT), pré-candidato a prefeito de Camaçari, e à deputada federal Ivoneide Caetano (PT) – os homenageados são casados.

Quem dá mais

Depois de receber R$ 600 mil do fundo eleitoral do PDT, partido pelo qual disputou a eleição de deputado federal em 2022, o vice-prefeito de Cruz das Almas, André Eloy, decidiu trocar a sigla pelo PSD no mesmo dia em que recebeu a promessa do senador Otto Alencar de R$1 milhão em emenda para a Santa Casa do município. A “coincidência” pegou mal e adversários de Eloy, que sonha em ser prefeito, questionaram de forma maldosa sobre qual seria o próximo lance.

Pitacos

* Presidente do PV na Bahia, Ivanilson Gomes reclamou com Jerônimo Rodrigues, na confraternização de quinta (11), sobre a falta de espaço dos “verdes- raízes” no governo. O governador prometeu “resolver as pendências”.

* Teve político presente na confraternização de Jerônimo reclamando que não se sentiu muito à vontade por conta da presença de autoridades mais “sisudas”, a exemplo dos chefes do Ministério Público e dos tribunais de Justiça e de Contas.

* O deputado estadual Raimundinho da JR (PL) ficou irritado ao ser barrado na entrada do Palácio de Ondina, na quinta (11), durante a confraternização. Ele teve que esperar a entrada do vice-governador Geraldo Júnior e das dezenas de seguranças que acompanham o emedebista para ter acesso.

* Quem posou de “papagaio de pirata” no anúncio da pré-candidatura de Geraldo Júnior foi o presidente da Agersa, Úldurico Júnior, nome do MDB para disputar a Prefeitura de Teixeira de Freitas. Será que a idéia era insinuar que também já foi escolhido por Jerônimo?

* Um dos principais críticos da candidatura de Geraldo Jr. a prefeito de Salvador, o líder do PT na Câmara Municipal, Tiago Ferreira (PT), teme agora ser retaliado por ele por causa de todas as vezes em que chamou o emedebista de “direitista”.

* Ao menos um deputado da bancada do PSD na Assembleia, que formalizou apoio à candidatura de Paulo Range (PT) ao TCM, já prometeu voto no colega Fabrício Falcão (PCdoB) na disputa. O voto é secreto, vale lembrar.

* A direção do PT baiano rejeitou o pedido de filiação ao partido de Ângelo Santana, pré-candidato a prefeito de São Sebastião do Passé  e que concorreu a deputado estadual em 2022 pelo União Brasil ao lado de ACM Neto.

* A prefeita de Vitória da Conquista, Sheila Lemos (União), reduziu em 13,75% o orçamento da educação para 2024. Virou alvo da artilharia pesada da oposição às vésperas do período eleitoral.

* Prefeito de Euclides da Cunha, Luciano Ribeiro (PDT) busca o apoio do PT para eleger o sucessor no pleito de 2024. Esta semana, recebeu a visita do presidente estadual petista, Éden Valadares.

* Depois que ele foi expulso pela direção do partido em Conceição do Coité, o PT estadual decidiu refiliar o vereador Betão, que vai ser o vice da pré-candidata Val (PSD) à Prefeitura. No município, os petistas pretendem lançar o ex-prefeito Assis.

Radar do Poder: Jerônimo sedutor de oposicionista, o encantador de serpentes do CAB e a “rainha da Inglaterra” petista

radar do poder | 20 dezembro 2023

Jero, o sedutor

O governador Jerônimo Rodrigues (PT) apareceu na confraternização de final de ano dos deputados estaduais, na noite desta terça (19), no restaurante Bargaço, em Salvador. A previsão era de uma passada rápida, mas ele ficou mais de duas horas na resenha com os 36 parlamentares presentes, em clima de camaradagem. Jero, o sedutor, fez questão de dar um “giro” na mesa, revezando-se ao lado de todos. O papo variou do acesso do Vitória à primeira divisão do futebol brasileiro ao pagamento de emendas.

Joinha

Enquanto a lagosta era servida sem cerimônia, sob a coordenação do líder do governo, Rosemberg Pinto (PT), Jerônimo passou boa parte do tempo ao lado da oposição, sobretudo da “bancada” do deputado federal Elmar Nascimento (União) na Assembleia. Desse grupo, estavam lá Marcinho Oliveira (União), Emerson Penalva (PDT), Manuel Rocha (União), Júnior Nascimento (União) e até o mais antipetista de todos, Robinho (União), que fez um sinal de “joinha” para as fotos ao lado de Jero. Uma graça!

Promessa de Natal

O governador garantiu aos oposicionistas, no jantar, que em 2024 vai pagar em dia as emendas impositivas, que são indicações feitas pelos parlamentares para a realização de obras e ações nos redutos eleitorais. Ele admitiu que este ano as coisas não saíram conforme o prometido pois o orçamento não foi preparado por ele, mas sim pelo antecessor Rui Costa (PT), que nunca honrou esse compromisso com os parlamentares.

Encantador de serpentes

Quem também impressionou os parlamentares da oposição no Bargaço foi o chefe de Gabinete do governador, Adolpho Loyola, que revelou ser um encantador de serpentes. “O governador é o cara, mas esse Loyola também é. Na torcida para que ele seja o substituto quando Luiz Caetano (Relações Institucionais) sair para disputar a prefeitura de Camaçari”, comentou um oposicionista à coluna. Caetano, que só pensa em deixar o governo para cuidar de vez da campanha, também participou da confraternização.

Sem trégua

O único que deixou a confraternização quando Jerônimo chegou foi o deputado bolsonarista Leandro de Jesus (PL). Antes, no entanto, ele cumprimentou o governador de forma cordata. O parlamentar, que não queria aparecer em fotos ao lado do adversário, completou aniversário de casamento na mesma noite, justificando a saída. Os demais, incluindo Jerônimo, só deixaram o restaurante nos primeiros minutos da madrugada desta quarta (20).

Grude

Quem grudou em Jerônimo durante a confraternização foi o deputado Niltinho (PP), que segue sem entender o motivo de não ter sido convidado para a reunião do conselho político, que aconteceu no domingo (17). Antes de o governador chegar, ele estava grudado no presidente da Assembleia, Adolfo Menezes (PSD), a quem um dia ainda espera suceder.

“Suíça” querida

Ficou nítido para o conselho político de Jerônimo, na reunião de domingo (17), que os irmãos Vieira Lima preferem a candidatura da vereadora Lúcia Rocha (MDB) em Vitória da Conquista a do vice-governador Geraldo Júnior (MDB) em Salvador. Além de ter mais chances de vitória, segundo as pesquisas, Lúcia também pode receber um volume maior de recursos do fundo eleitoral do partido, por conta da cota feminina exigida pela Justiça Eleitoral.

Discurso adaptado

O posicionamento irredutível do MDB sobre Conquista impressionou os presidentes de partidos que declaram apoio a Geraldo Júnior no conselho (Avante, PSD, Solidariedade e Podemos). Também surpreendeu o senador Jaques Wagner (PT), outro que defendeu o nome do vice-governador. Wagner, por sinal, mudou o discurso público na reunião do diretório petista, domingo passado, uma vez que em outubro, na plenária do PT de Salvador, declarou, para fazer média com a militância, que o candidato do coração era o deputado Robinson Almeida (PT).

Rainha da Inglaterra

Foi motivo de queixa dos aliados durante a reunião do conselho político a inabilidade do deputado federal Zé Neto (PT) nas articulações com os partidos para ser o candidato de consenso da base aliada à Prefeitura de Feira de Santana. O petista foi acusado de, até aquele momento, não procurar ninguém para negociar apoios. A queixa foi a mesma em relação à prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho (PT), que sequer anunciou o sucessor.

Pro forma

No conselho político, Jerônimo defendeu que, em Itabuna, o candidato seja o prefeito Augusto Castro (PSD), que tem direito à reeleição. Mas o PT ainda mantém a pré-candidatura do ex-deputado Geraldo Simões, ao menos pro forma. “Entendemos que a reeleição é um critério de prioridade, assim como a busca do palanque unificado, mas isso tem que ser uma construção coletiva”, disse à coluna o presidente estadual do partido, Éden Valadares.

Calça vermelha

Já em Ilhéus, Jerônimo espera que o prefeito Mario Alexandre (PSD) se pronuncie logo sobre o sucessor. Caso contrário, o governador pode tomar a iniciativa e apostar na candidatura da secretária estadual de Educação, Adélia Pinheiro, que deseja entrar no jogo. Na reunião do diretório estadual do PT, no domingo (17), em Salvador, ela já foi de calça vermelha e brincou. “Ainda não é hoje que vou me filiar”.

Contas de luxo

Aliados otimistas do deputado estadual Paulo Rangel (PT) garantem que o petista já tem a promessa de 30 votos na disputa pela cadeira no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), dois a menos que o mínimo necessário. Como antecipou a coluna, na semana passada, o parlamentar se tornou o favorito na corrida pela aposentadoria de luxo. Entre os apoiadores, dois seriam do PV, partido do deputado estadual Roberto Carlos, que também sonha com as mordomias do cargo.

Juiz de paz

Quem esteve no mesmo palanque esta semana foi ACM Neto (União) e o presidente estadual o PL, João Roma. Isso ocorreu durante o lançamento da pré-candidatura do vereador Flávio Matos (União) a prefeito de Camaçari. Apesar de todos os esforços do atual gestor da cidade, Antonio Elinaldo (União), que tentou ser o juiz de paz, os desafetos sequer toparam aparecer numa mesma foto. Já com o prefeito Bruno Reis (União) Roma foi só sorrisos.

Resistência socialista

O PSB enfrenta dificuldades em montar sua chapa de candidatos a vereador de Salvador para 2024. Essa, por sinal, sempre foi a maior preocupação da presidente da sigla na Bahia, deputada federal Lídice da Mata, e não uma eventual disputa majoritária. Para piorar, há uma resistência interna no partido à candidatura de Rodrigo Hita, braço direito de Lídice, que almeja concorrer a uma cadeira na Câmara Municipal e é uma das principais apostas da sigla, ao lado do vereador Sílvio Humberto.

Pitacos

* A bancada de Elmar Nascimento na Assembleia é tão unida que o deputado Marcinho Oliveira (União) foi flagrado esta semana na sala do cafezinho ensinando o colega Pancadinha (Solidariedade) de que forma se dá um nó na gravata.

* O governador Jerônimo Rodrigues (PT) aproveitou a presença no happy hour dos deputados estaduais para reforçar o convite para a confraternização que comanda na noite desta quinta (21), no Palácio de Ondina.

* Na reunião da direção do PT, domingo (17), na Assembleia, o senador Jaques Wagner disse que em 2026 o partido precisa eleger, para o Senado, dois aliados comprometidos com o projeto petista. A plateia entendeu como um recado ao senador Ângelo Coronel (PSD).

* Depois de ter a candidatura retirada em Salvador pelo senador Otto Alencar (PSD), no conselho político, o deputado federal Antonio Brito (PSD) poderia concorrer em Jequié. Pontua melhor nas pesquisas do que o candidato dele, Alexandre Iossef.

* Na mesma reunião do conselho político, comentando a dificuldade em construir a unidade da base em Juazeiro, Jerônimo brincou com um aliado: “Lá tem mais candidato do que eleitor”.

* Quem tem sido sondado por diversos partidos para ser candidato a vereador de Salvador em 2024 é o cantor e ex-deputado federal Igor Kannário. Apesar da proximidade com ACM Neto (União), há interesse até do MDB.

* Amante das viagens internacionais, das uvas e das pedras preciosas, o presidente da Assembleia, Adolfo Menezes (PSD), revelou nas redes outra paixão: o motocross.

* Por falar em Adolfo, na tumultuada sessão de votação dos projetos de autoria dos deputados, nesta terça (19), ele disparou no plenário: “Isso aqui está parecendo um jardim de infância”.

* O deputado estadual Robinho (União) apelidou de “governo Crefisa” a gestão Jerônimo Rodrigues, que já obteve da Assembleia autorização para contratar R$5 bilhões em empréstimos.

* Aliás, os aliados do prefeito Bruno Reis (União) temem que parte desses recursos se transformem em obras na capital justamente no ano eleitoral, por meio da Conder, fortalecendo o adversário Geraldo Júnior (MDB).

* Apesar das cobranças públicas, nos bastidores existem deputados na Assembleia sem o menor interesse na instalação da CPI da Via Bahia. O motivo? Alguns têm ligações com empresas que prestam serviços à concessionária.

Radar do Poder: Novo favorito ao TCM, sorriso amarelo em Lauro, a reciprocidade do PSD e os corajosos da Assembleia

radar do poder | 13 dezembro 2023

Cadê a coragem?

Até agora não apareceu, na Assembleia, nenhum parlamentar corajoso o suficiente para pedir a cassação do deputado Binho Galinha (Patriota), acusado de liderar uma milícia e de estar envolvido em diversos crimes em Feira de Santana. Apesar de a maioria da Casa achar que o destino do colega será a perda do mandato, ninguém ainda moveu uma palha nesse sentido e sequer há Conselho de Ética instalado para analisar seu caso. O recesso, que começa na semana que vem, favorece Binho Galinha e a conhecida amnésia política.

Resenha miliciana

Aliás, Binho Galinha virou motivo de resenha no plenário. Na sessão desta terça (12), quando o governo teve dificuldades em garantir quórum e aprovar as contas de 2022 do ex-governador Rui Costa (PT), o deputado Samuel Júnior (Republicanos) disparou para o líder da maioria, deputado Rosemberg Pinto (PT): “chama o Binho Galinha para dar presença”. O acusado de liderar milícia, que é governista, não aparece no plenário da Assembleia desde a operação da Polícia Federal, na semana passada.

Tirou o doce

Ainda sobre Binho Galinha, antes de a operação da Polícia Federal ter sido deflagrada o deputado estava prestes a emplacar apoiadores políticos em cargos ligados ao governo Jerônimo Rodrigues (PT) em Feira de Santana, sobretudo em empresas terceirizadas que prestam serviços ao Estado. Pelo menos dois dias antes de a denúncia explodir, o movimento de ‘acolhimento’ foi vetado.

Sem herdeiro

A candidatura do deputado Paulo Rangel (PT) ao TCM, referendada nesta terça (12) pela bancada do partido dele, ganha força na Assembleia, inclusive nos blocos informais da Casa. Além de ter uma boa relação com os parlamentares e o apoio do senador Jaques Wagner (PT), outro fator que favorece Rangel é que, ao contrário dos demais concorrentes, ele não preparou, ao menos até aqui, um herdeiro político natural. Ou seja, a aposentadoria do petista deixará, em tese, alguns votos sobrando no interior.

Fé em Robinho

O deputado Robinho (União) ainda não assinou a lista em respaldo à candidatura do ex-deputado Marcelo Nilo (Republicanos) ao TCM. Ele não marcou presença na reunião que formalizou a posição da bancada de oposição em favor do ex-parlamentar, na terça (12). Nilo tem fé no deputado, que foi, inclusive, um dos últimos a receber a visita do candidato a suceder o conselheiro Fernando Vita no tribunal durante insistente périplo nos gabinetes da Assembleia em busca de apoio.

Papo em dia

É dada como certa a presença de pelo menos dois apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) na confraternização preparada por Jerônimo Rodrigues no Palácio de Ondina, que acontece na noite desta quinta (14): o ex-ministro João Roma (PL) e a esposa, a deputada federal Roberta Roma (PL). Além do bom trato com o governador, a deputada deve aproveitar a oportunidade para colocar o papo em dia com a amiga Fátima Mendonça, esposa do senador Jaques Wagner.

Sinal de divisão?

Enquanto o deputado federal Capitão Alden e o deputado estadual Diego Castro carimbaram o passaporte indo até a posse de Javier Milei na Argentina ao lado de Bolsonaro e do presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, João Roma e o deputado estadual Leandro de Jesus ficaram em Salvador para participar de um ato esvaziado no Farol da Barra contra a indicação do ministro da Justiça, Flávio Dino (PCdoB), ao STF. Sinal de divisão interna no PL baiano?

Boa convivência

Numa fase difícil do relacionamento com o PT, por conta da indefinição eleitoral em Salvador, o MDB tem conversado com o ex-prefeito José Ronaldo (União) sobre 2024. Mas o ex-ministro Geddel Vieira Lima, cacique emedebista, garante que, por enquanto, isso faz parte da civilidade, sem avanço para uma aliança. “O próprio governador Jerônimo tem pregado a regra da boa convivência. É só ver a confraternização que será feita no Palácio de Ondina, em que a oposição foi convidada”, diz Geddel.

Virar a casaca

E por falar em Feira, a vereadora Eremita Mota (PSDB), cotada para ser vice numa eventual chapa de Zé Ronaldo, é autora do projeto que concede a Comenda Maria Quitéria, mais importante honraria da Câmara feirense, ao petista Jerônimo Rodrigues. Apesar de ser tucana, a edil não quer nem ouvir falar na pré-candidatura do correligionário de partido, o deputado estadual Pablo Roberto, outro que andou flertando com o Palácio de Ondina. Ela torce mesmo é para o velho Zé virar a casaca.

Animadinha

Quem anda animada com a possibilidade de disputar as eleições de 2024 em Ilhéus é a secretária estadual de Educação, Adélia Pinheiro. Mesmo sem agenda da pasta que lidera, ela fez questão de acompanhar o governador na inauguração de unidades de saúde e na área de segurança pública no município, na última segunda (11). A secretária deve se filiar ao PT ou ao PSB.

Aparição

Quem apareceu na coletiva de Jerônimo Rodrigues nas inaugurações em Ilhéus foi o empresário Cleber Isaac Ferraz Soares, investigado pela Polícia Federal no caso da compra de respiradores pelo Consórcio Nordeste junto à empresa norte-americana Hempcare que nunca chegaram aos estados da região na pandemia. Metido a blogueiro e dono de empreendimentos de luxo em Itacaré, o polêmico empresário ainda fez pergunta ao governador.

Reciprocidade

Em Itabuna, a cúpula do PSD já mandou recado ao PT de que não aceita outra posição do aliado que não seja apoiar a reeleição do partido prefeito Augusto Castro. Presidente da legenda na Bahia, o senador Otto Alencar tem articulado o apoio do PSD aos pré-candidatos petista em Vitória da Conquista, Feira de Santana e Camaçari, e vai exigir reciprocidade. Em Itabuna, o PT tem como pré-candidato o ex-prefeito e ex-deputado Geraldo Simões, cujo nome segue mantido.

Inquisição petista

O PT tem promovido uma verdadeira caça às bruxas na região nordeste da Bahia e já expulsou, por meio dos diretórios municipais, ao menos quatro vereadores do partido nas cidades de Tucano e Conceição do Coité. O motivo: os edis preferem apoiar postulantes a prefeito que estão no PSD, relegando as origens.

Sorriso amarelo

O empresário Teobaldo Costa (União) passou por um constrangimento e largou o sorriso amarelo ao ficar cara a cara com a vereadora Débora Régis (PDT) em um encontro promovido pelo deputado federal João Leão (PP) no final de semana passado entre os pré-candidatos à Prefeitura de Lauro de Freitas. Isso porque na mesma semana da reunião Teobaldo havia divulgado a lideranças uma pesquisa apontada como fake em que a pedetista figura nas últimas posições, contrariando os demais levantamentos feitos até então.

Dose dupla

O vice-prefeito de Camaçari, José Tude (União), foi consolado por ACM Neto (União) na segunda (11), um dia antes do anúncio feito pelo chefe do Executivo de Camaçari, Antônio Elinaldo (União), de que o candidato do grupo à sucessão será o presidente da Câmara de Vereadores, Flávio Matos (União). Em 2016, aconteceu o mesmo. Naquele ano, Tude foi preterido pelo próprio Elinaldo e perdeu a chance de entrar na disputa para tentar retornar à Prefeitura. Ficou na vice, onde não poderá mais estar.

Pitacos

* Depois da operação da Polícia Federal, políticos conhecidos apagaram das redes sociais fotos ao lado de Binho Galinha. Alguns que já se aproximaram em busca do capital eleitoral do parlamentar agora sequer o conhecem.

* Em um dos últimos atos antes de se aposentador, o conselheiro do TCM Fernando Vita pediu apuração do Ministério Público contra a prefeita de Vitória da Conquista, Sheila Lemos (União), por irregularidades em contratos de transporte coletivo.

* Na semana passada, Fernando Vita almoçou com o senador Otto Alencar nas dependências do TCM. Eles conversaram bastante, inclusive sobre os tempos de liderança de um velho amigo em comum: ACM, o original.

* O MDB já definiu a missão do vice-governador Geraldo Júnior caso o partido retire a pré-candidatura do filiado ao Palácio Thomé de Souza: a partir de janeiro, correr o interior para fortalecer a sigla nas disputas eleitorais.

* Em entrevista na Rádio Sociedade, esta semana, o presidente do PDT baiano, deputado federal Félix Mendonça, admitiu que o partido pode apoiar o PT em algumas disputas eleitorais do interior em 2024.

* Na Assembleia, o único deputado que saiu em defesa do presidente afastado da CBF, o baiano Ednaldo Rodrigues, foi Roberto Carlos (PDT). O pedetista é presidente da Sociedade Desportiva Juazeirense.

* Aliás, Roberto Carlos, esperto que só, garantiu ao menos um voto na sua candidatura ao TCM: a do deputado Raimundinho da JR (PL), que vai receber a Comenda Dois de Julho, maior honraria da casa, a pedido do pedetista.

* Marcelino Galo, suplente da federação formada por PT, PCdoB e PV na Assembleia, já é chamado de deputado nos eventos em que participa ao lado de Jerônimo. Com a disputa pelo TCM, é dado como certo que ele vai assumir uma cadeira na Casa.

* Um grupo de defensoras públicas caprichou tanto no salto alto para cobrar a votação, na terça (12), na Assembleia, do projeto que reajusta os salários da categoria que esqueceu de tratar bem a imprensa. Só teve patada à la Carmen Steffens.

* Cada um dos quatro deputados estaduais premiados pela imprensa como destaques parlamentares de 2023 comemorou à sua maneira. Adolfo Menezes (PSD), presidente da Assembleia, jantou com a esposa. Fabíola Mansur fez uma festona no gabinete.

Radar do Poder: O recado de Coronel a Rui, o réu confesso na bancada de Elmar e a Princesa Isabel de Bruno Reis

radar do poder | 06 dezembro 2023

Coronel avulso

Em uma reunião recente do PSD, o senador Ângelo Coronel bateu pé firme de que vai disputar a reeleição para o Senado em 2026, mesmo que de forma “avulsa”. Ele avisou ao presidente do partido na Bahia, o senador Otto Alencar, que não abre mão nem para o ministro da Casa Civil, Rui Costa (PT), que tem planos de ocupar uma cadeira na Casa Alta do Congresso. Otto teria concordado. A outra vaga é do senador Jaques Wagner (PT), candidatíssimo à renovação do mandato.

image

Plano B

De olho no cenário de 2026, o comando do PT da Bahia trabalha para que o partido não fique tão atrás do PSD no número de prefeitos eleitos – em 2020, o placar foi de 107 a 32. Isso daria mais força aos petistas para reivindicar as duas vagas ao Senado, além da candidatura à reeleição do governador Jerônimo Rodrigues. Entretanto, o caminho mais fácil, e já especulado, seria a migração de Rui Costa para o Avante, que cresce de forma acelerada na Bahia com o respaldo do próprio ministro.

Porta aberta

No próximo dia 17, durante a última reunião do diretório estadual do partido, marcada para Vitória da Conquista, o PT deve receber pelo menos mais cinco novos prefeitos. Os nomes são guardados a sete chaves, para afastar a concorrência. Este ano, a sigla já filiou 12 gestores, a maioria candidatos à reeleição, chegando ao número de 44.

Pouca intimidade

Antes de fazer a abertura do 17º Encontro Nacional do Poder Judiciário, na segunda (04), em Salvador, o presidente do Supremo, ministro Luis Roberto Barroso, participou de um jantar exclusivíssimo no dia anterior oferecido pelo desembargador José Rotondano, corregedor do Tribunal de Justiça da Bahia que acaba de ser aprovado, com louvor, para atuar no Conselho Nacional de Justiça. Só compareceu a mais alta cúpula do Judiciário baiano. Não adiantou choro nem vela de outros colegas que queriam um momento mais íntimo com Barroso.

Conselhos do conselheiro

Último deputado estadual escolhido pela Assembleia para um tribunal de contas (no caso, o TCE), em 2014, o conselheiro João Bonfim tem frequentado a sala do cafezinho da Assembleia, onde costuma socializar com os parlamentares, incluindo aqueles que disputam a indicação da próxima vaga para o TCM, ávidos por conselhos. Ele costuma circular na Casa ao lado dos filhos, o deputado Vitor Bonfim (PV) e o pré-candidato a prefeito de Brumado, Guilherme Bonfim (PSD).

image

Corte na lista

A federação formada por PT, PCdoB e PV deve se reunir ainda este mês para tentar enxugar a lista de candidatos governistas ao TCM – as três siglas têm, no total, cinco postulantes, sendo três deputados estaduais (Paulo Rangel, Fabrício Falcão e Roberto Carlos, respectivamente). Embora diga que não vá interferir no processo, o governador Jerônimo Rodrigues (PT) quer apenas um quadro da base, para não dar chances ao nome que deve ser inscrito pela oposição, o ex-deputado Marcelo Nilo (Republicanos).

Abraço de tamanduá

Confiando no voto secreto e com o apoio do ex-prefeito de Salvador ACM Neto (União), Marcelo Nilo tem se articulado na Assembleia para se viabilizar ao TCM. Sem dificuldade, ele deve conseguir, na própria bancada de oposição, o apoio do número mínimo de 13 deputados para ser inscrito como candidato. Entretanto, alguns dos que abraçam e prometem apoio ao ex-deputado fazem o mesmo a outros postulantes no corredor seguinte do Legislativo.

image

Frio e calculista

Presidente da Assembleia, Adolfo Menezes (PSD) adotou a estratégia de não ir para o confronto aberto com o deputado federal Elmar Nascimento (União), seu adversário político em Campo Formoso e que tem articulado contra a PEC da reeleição no Legislativo estadual. Com isso, Adolfo espera facilitar o caminho para ter ao menos dois votos entre os seis parlamentares ligados a Elmar na Casa quando houver a eleição da nova Mesa Diretora. Vale lembrar que esse voto é também secreto.

Réu confesso

Um dos membros da bancada de Elmar Nascimento admitiu à coluna votar em Adolfo Menezes na eleição da Mesa Diretora. “Sou contra a reeleição e vou votar contra essa PEC. Mas apoiaria Adolfo caso ele concorra novamente, pela questão do trato pessoal. Não seria bom o Legislativo também cair nas mãos do PT”, disse o deputado Robinho (União), parceiro político do congressista em Nova Viçosa. Já o deputado Júnior Nascimento (União), primo de Elmar, disse que preferiria votar no PT.

Sem noção

O episódio em que Geraldo Júnior (MDB), então governador interino, levou o pai e o filho à Governadoria como um dos primeiros atos de sua interinidade mostrou aos irmãos emedebistas Lúcio e Geddel Vieira Lima que eles precisarão manter o aliado em corda curta ao ser confirmada a candidatura ao Thomé de Souza. Afinal, diferentemente dos dois, que conhecem a fundo os meandros da política e das relações institucionais, Geraldinho ainda entende muito pouco desses e de outros assuntos relevantes.

Sem fundo

Os deputados estaduais Vitor Azevedo e Raimundinho da JR, do PL, podem ficar sem fundo eleitoral no ano que vem para os candidatos a prefeito das bases eleitorais devido ao posicionamento favorável ao governo Jerônimo Rodrigues (PT) na Assembleia. Os dois também devem passar longe da lista de indicados do partido para a gestão do prefeito Bruno Reis (União), que já começa a ser desenhada dentro das negociações envolvendo o apoio da sigla à reeleição do chefe do Executivo municipal.

image

Festa de arromba

E por falar em Raimundinho da JR (PL), ele está convidando os colegas de Assembleia para uma festa de arromba de final de ano, marcada para o próximo dia 13, em Dias D’Ávila, onde mora e deseja disputar a Prefeitura. Ao ser convidado, o deputado Paulo Rangel (PT) brincou: “Desse jeito, você vai acabar sendo presidente desta Casa”. Raimundinho retrucou: “Assim você terá o meu voto para o TCM”. A gargalhada foi geral.

Linha de corte

Presidente da Câmara Municipal de Salvador, o vereador Carlos Muniz (PSDB) calcula que o quociente eleitoral do pleito proporcional de 2024 na capital vai subir para 34 mil votos – em 2020, foi de menos de 30 mil. Ele aposta que, desta vez, nenhum candidato será eleito na faixa entre três e quatro mil votos. Com um número menor de partidos, a quantidade de candidatos também deve cair de 1,4 mil para 700. “Será uma guerra”, diz.

Princesa Isabel

Quem ganhou o apelido na Prefeitura de Salvador de “Princesa Isabel” foi o secretário municipal de Cultura, Pedro Tourinho. Seria uma referência ao exagero dele, para quem não “tem lugar de fala”, ao lidar com as questões envolvendo a negritude na gestão. Os apelidos retirados da nobreza na Prefeituranão se restringem a Tourinho. Há quem tenha identificado a “Rainha Leonor” e até “Stéphanie de Mônaco”, como é conhecida a filha mais velha do príncipe Rainier III e da princesa Grace Kelly. Sobre as duas outras personalidades, a Radar do Poder falará mais adiante.

Trio de ursinhos

Aniversariante da semana, o presidente do PT da Bahia, Éden Valadares, publicou esta semana uma foto ao lado dos companheiros inseparáveis Adolpho Loyola (chefe de Gabinete do governador Jerônimo Rodrigues) e Lucas Reis (chefe de Gabinete do senador Jaques Wagner) e pregou a renovação petista. Para muita gente, ficou evidente que os três, ligados ao senador Jaques Wagner e chamados de menudos, ursinhos ou porquinhos, segundo o próprio Éden, têm planos para 2026.

image

Pitacos

* Secretário de Agricultura, Tum perdeu mais uma vez a oportunidade de ficar calado. Nesta terça (06), em meio a queixas de deputados e prefeitos por conta da seca na Bahia, ele publicou um vídeo nas redes comemorando filiações ao Avante, partido dele.

* A bancada de Elmar Nascimento na Assembleia tenta atrair para o grupo o deputado Jordavio Ramos (PSDB), que é ligado ao congressista Adolfo Viana (PSDB). O fato de a Codevasf ter uma unidade em Juazeiro, reduto do tucano, facilita o processo.

* Adolfo Viana garantiu ao deputado estadual tucano Pablo Roberto, numa visita esta semana à Assembleia, que o aliado terá todo o respaldo do partido para disputar a prefeitura de Feira de Santana mesmo contra o ex-prefeito José Ronaldo (União).

* Mesmo sem dizer que é candidato, José Ronaldo se comporta como tal. Esta semana revelou mais uma vez todo o gingado ao sambar na Marcha Zumbi dos Palmares, no bairro da Rua Nova, em Feira.

* O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) deve fazer uma visita à Bahia em janeiro de 2024. A informação é do deputado estadual Diego Castro (PL). “Estamos articulando essa agenda”.

* Como o órgão segue sem orçamento e estrutura, a disputa pelo comando da superintendência da Funasa na Bahia esfriou. Estavam de olho no cargo os deputados federais Cláudio Cajado (PP) e Alice Portugal (PCdoB).

* A deputada Ivana Bastos (PSD) foi a única representante da Assembleia a viajar com o governador Jerônimo Rodrigues para a COP-28, nos Emirados Árabes. Com isso, ganhou ainda mais força na Casa o apelido de “deputada CVC”.

* O deputado Eduardo Salles (PP) é o recordista na apresentação de moções de pesar na Assembleia. Foram mais de 50 em 2023 até novembro. E praticamente todas começam do mesmo jeito, só mudando o nome do falecido (a) e da cidade.

* Presidente de honra do MDB da Bahia, Lúcio Vieira Lima divulgou nas redes sociais uma pesquisa que aponta a pré-candidata do partido a prefeita de Vitória da Conquista, vereadora Lúcia Rocha, liderando com 32% das intenções de voto.

* Aliás, enquanto Lúcia Rocha mantiver o fôlego e figurar bem nas pesquisas, o deputado estadual Rogério Andrade (MDB), de quem a vereadora é suplente na Assembleia, segue com chances na disputa pelo TCM.

Radar do Poder: A parceria de Elmar com Rosemberg, o Jero sedutor, o salto alto de Geraldinho e a viúva que procura

radar do poder | 29 novembro 2023

Operação Valquíria

Deputados contrários ao terceiro mandato do presidente da Assembleia, Adolfo Menezes (PSD), se articulam para tentar implodir a PEC da reeleição em plenário. De um lado, o líder do governo na Casa, o petista Rosemberg Pinto, trabalha para unir a federação formada por PT, PCdoB e PV visando barrar a iniciativa – o que somaria 17 votos. Do outro, o deputado federal Elmar Nascimento (União) que quer assegurar ao menos o voto dos seis oposicionistas que não assinaram a PEC.

Na ponta do lápis

Caso tenham sucesso, Rosemberg, que deseja a presidência da Assembleia, e Elmar, adversário de Adolfo Menezes em Campo Formoso, reduziriam o potencial de votos favoráveis à PEC a 37, um a menos do que o necessário para a aprovação em dois turnos, contabilizando que o presidente não vota. O cálculo inclui o posicionamento contrário da deputada Ivana Bastos (PSD), que também almeja chefiar o Legislativo, e de Hilton Coelho (PSOL), eterno presidenciável – eles não assinaram a proposta.

Forcinha dubitável

A tarefa de Rosemberg é tida como mais complexa. Isso porque todos os deputados do PCdoB e do PV assinaram a PEC. Além disso, dos nove da bancada petista, dois também apoiaram a iniciativa. Como antecipou a Radar do Poder, o líder do governo ficou isolado dentro da própria federação e precisaria de uma forcinha do governador Jerônimo Rodrigues (PT) para ter sucesso. Hoje, apenas a deputada Olívia Santana (PCdoB) estaria inclinada a votar contra, mesmo tendo assinado a PEC.

Cartada final

Já Elmar Nascimento tem a seu favor o orçamento da União (emendas, inclusive secretas) e o controle da Codevasf para ampliar a rede de influência na bancada de oposição da Assembleia. Entretanto, há um limite de convencimento, até porque uma parte dos parlamentares da minoria, além da excelente relação com Adolfo, possui cargos e estrutura de poder no Legislativo. Incansável, Elmar avisou aos aliados que uma das alternativas para derrotar o adversário pode ser até estimular e apoiar a candidatura de Rosemberg.

Prato quente

Durante almoço de final de ano com a imprensa, nesta terça (28), Adolfo tratou de alfinetar Rosemberg e Elmar. O líder do governo apareceu de surpresa na confraternização, mas o presidente da Assembleia se recusou a tirar fotos ao lado dele. “Está aqui já para espionar e querer minha presidência”, brincou. Para Elmar, o recado foi indireto. Sem se referir diretamente à reeleição, Adolfo disse que tem deputado federal com R$100 milhões em emendas para comprar apoio político. “Nunca vi esse tipo de coisa antes”.

“Rei dos deputados”

Aliás, logo depois do almoço de confraternização de Adolfo com jornalistas, deputados ligados ao presidente pegaram no pé de Elmar. Diziam que, apesar de ser considerado o “Rei dos Deputados”, por causa do acesso fácil ao presidente da Câmara, e ao Orçamento da União, o parlamentar não tem dado sorte a quem com ele se alia. Rosemberg, por exemplo, segundo eles, teria escorregado na relação com os colegas ao tentar barrar a PEC da reeleição. Eles temem que o mesmo ocorra com o deputado federal Daniel Almeida (PCdoB), que disputa a vaga do TCM. Em relação a ambos, Elmar teria feito movimentos de incentivo a fim conseguir o apoio de seus partidos à presidência da Câmara.

Jero, o sedutor

O convite feito na semana passada pelo governador Jerônimo Rodrigues (PT) aos deputados federais bolsonaristas da Bahia para uma confraternização de final de ano no Palácio de Ondina, revelado por este Política Livre, foi considerado não só simpático, mas também irrecusável. Já há quem diga que logo todo o PL vai seguir o mesmo caminho dos deputados estaduais Victor Azevedo e Raimundinho da JR, que não resistiram à capacidade de sedução de Jero e pularam no colo do governo.

Quarta de cinzas

Desanimados, aliados de peso do governador Jerônimo Rodrigues (PT) passaram a duvidar que a definição do candidato da base aliada à Prefeitura de Salvador aconteça ainda este ano, como prometeu o petista. A Radar do Poder ouviu dois presidentes de partidos que apoiam o Executivo sobre o assunto. O primeiro, mais otimista, disse que a escolha só deve ser feita em janeiro. O outro aposta que só depois do Carnaval, como de praxe.

Sheik Rui

Os três cardeais do PT da Bahia – Jerônimo, o senador Jaques Wagner e o ministro Rui Costa (Casa Civil) – estão em Dubai, nos Emirados Árabes, onde participam da COP-28 ao lado do presidente Lula (PT). Aliados apostam que vai haver um tempinho para eles tratarem da eleição de Salvador longe da pressão citadina. Resta saber se Rui, que não tem se interessado pelo tema em solo brasileiro e baiano, vai encontrar um tempo na concorrida agenda com os sheiks para pautar esse assunto.

Salto alto

O vice-governador Geraldo Júnior (MDB) está tão confiante que será o escolhido de Jerônimo Rodrigues para a Prefeitura no grupo do governo que trocou a solenidade de entrega de ambulâncias do Samu a municípios baianos, realizada nesta segunda (27), em Salvador, pela concessão do título de cidadã baiana à ex-deputada federal pelo Distrito Federal Flávia Peres (que era Arruda), atual presidente do instituto Terra Firme. Deixou o governador e a ministra da Saúde, Nísia Trindade, sem entender nada.

The book is on the table

Aliás, o vice-governador tem recorrido tanto a expressões em inglês em seus discursos normalmente embaralhados que tem gente desconfiando que, depois de concorrer à Prefeitura, ele vai disputar algum cargo na Califórnia ou em outro Estado aprazível norte-americano. Ao lembrar que junto com o ex-colega Paulo Magalhães Júnior cursou a EBEC, tradicional escola de inglês que funcionou até os anos 1980 em Salvador, num evento na Câmara Municipal, informação que, naturalmente, carece de checagem junto ao outro edil, Geraldo Jr. declarou “demore iu istad, dêlesse iu nou!” (The more you study, the less you know). Em tradução livre, “quanto mais você estuda, menos sabe”. Um colega que assistia à cena e morou nos EUA não contou conversa e sapecou com ironia na direção do vice-governador: O problema do rapaz aí que “the more you know, the less you believe” (quanto mais você conhece, menos você acredita).

A oferecida

Dona de mais de um milhão de votos na eleição para o Senado, a médica bolsonarista Raissa Soares está se oferecendo para ser indicada pelo PL, partido ao qual é filiada, para a vice na chapa à reeleição do prefeito Bruno Reis (União). Ela acredita que pode assegurar mais votos do que a pedetista Ana Paula Matos, que ocupa o posto e não vê motivos para deixá-lo. Mas, como já antecipou a coluna, o presidente do PL baiano, João Roma, não mira a vice, mas sim espaços na gestão, além da ajuda de Bruno à chapa proporcional do partido.

Ausência suspeita

Líder do prefeito Bruno Reis na Câmara Municipal, o vereador Kiki Bispo não participou da última reunião entre a bancada do partido dele, o União Brasil, e o presidente da sigla em Salvador, deputado estadual Luciano Simões. Na ocasião, ficou definido que nenhum edil vai deixar a agremiação, mas Kiki, que negocia a filiação ao PDT, não esteve no encontro por estar em viagem. O detalhe é que foi oferecida a possibilidade de o encontro acontecer em outra ocasião, mas o líder não quis.

Viúva procura. E por que não?

A ex-deputada federal e ex-vereadora de Salvador Tia Eron se engajou no aplicativo de namoro Happn. Ela se apresenta como diplomada em Havard, advogada, evangelista, viúva e mãe de dois filhos já criados. Também destaca o gosto por viagens internacionais. Tia Eron, que era do Republicanos e chegou a ocupar um cargo por curto período no governo Jair Bolsonaro (PL), está “procurando uma relação séria com um homem maravilhoso”.

Empata estatuto

O PT tem tanta tendência interna que isso está dificultando até a aprovação de alterações pontuais no estatuto nacional da federação formada pelo partido junto com o PCdoB e o PV. Entre as mudanças está a que amarra o repasse para a direção nacional do grupo a decisão final onde houver conflito entre as três legendas na escolha de candidaturas a prefeito nas maiores cidades do país.

Pedido de filiação

A direção do PT baiano vai decidir no dia 16 de dezembro se aceita a filiação ao partido de Ângelo Santana, pré-candidato a prefeito de São Sebastião do Passé e que disputou a eleição de deputado estadual em 2022 pelo União Brasil. Caso a resposta seja positiva, a legenda estará mudando a regra de não permitir o ingresso de quem não votou no governador Jerônimo Rodrigues (PT) e no presidente Lula (PT), se igualando em procedimento a siglas como o Avante, o Solidariedade e o MDB.

Dois pesos…

O MDB, por sinal, deseja que o PT caminhe com a pré-candidatura do filiado Rivelino da Facilites, que concorreu a deputado federal em 2022 apoiando Jerônimo e Lula, a prefeito de São Sebastião do Passé. Vale frisar que os maiores padrinhos do pedido de filiação de Ângelo Santana são dois petistas de peso: o secretário estadual de Relações Institucionais, Luiz Caetano, e a deputada federal Ivoneide Caetano, os mesmos que em municípios como Candeias defendem que o PT não apoie nas majoritárias ex-aliados de ACM Neto (União).

Rápida no gatilho

Após retomar o mandato de vereadora por decisão do ministro Nunes Marques, do TSE, a vereadora de Lauro de Freitas Débora Régis (PDT) não perdeu tempo e se reuniu logo com o ex-prefeito de Salvador ACM Neto (União) para tratar de 2024. Ela busca apoio para ser candidata única da oposição à prefeita Moema Gramacho (PT). Neto garantiu que quem estiver melhor nas pesquisas terá o apoio dele.

Pitacos

* Um dos seis deputados da bancada do deputado federal Elmar Nascimento (União) na Assembleia disse ao presidente Adolfo Menezes (PSD) que não assinou a PEC, mas que votaria na reeleição do chefe do Legislativo. Por gratidão!

* A Procuradoria Jurídica da Assembleia Legislativa já avisou que não vai analisar a PEC da reeleição, como quer o líder do governo, deputado Rosemberg Pinto. O entendimento é que cabe aos deputados avaliarem a constitucionalidade da matéria.

* O deputado federal Leo Prates (PDT) participou da entrega de ambulâncias do Samu feita pelo Ministério da Saúde em Vitória da Conquista, nesta segunda (28). Subiu no mesmo palanque do governador Jerônimo Rodrigues (PT), atendendo ao convite do petista e deixou outros oposicionistas com inveja.

* Por falar em Leo Prates, um dos pupilos dele na Prefeitura de Salvador, o diretor-geral da Codecon, Zilton Krüger, confirmou o projeto de disputar o cargo de vereador em 2024. “Basta Leo, Bruno Reis (União) e Ana Paula Matos (PDT) darem a missão”.

* Presidente da Fundação Luis Eduardo Magalhães (Flem), Rodrigo Hita (PSB) é outro que está empolgado em disputar uma cadeira de vereador em Salvador. Tem ido até a festa de aniversário de pet nos bairros da cidade.

* Com mais um sinal de que o vereador de Salvador André Fraga não sai do PV, o presidente estadual do partido, Ivanilson Gomes, garantiu ao aliado uma vaga no conselho da Fundação Verde Herbert Daniel, ligada à legenda. Fraga apoia Bruno Reis.

* Dias depois de se filiar ao PT, o prefeito de Alcobaça, Zico de Baiato, estava em cima do trio elétrico com o líder do União Brasil na Assembleia, deputado Marcinho Oliveira, comemorando o aniversário da cidade. Com show de Bell Marques.

* O apoio do vereador Júnior Borges (União) à pré-candidatura do vereador Flávio Matos (União) à Prefeitura de Camaçari foi visto como um golpe duro nas pretensões do ex-prefeito José Tude (União). Borges consultou o prefeito Elinaldo (União).

* O deputado federal Gabriel Nunes (PSD) disse que o pai dele, o ex-congressista José Nunes (PSD), vai decidir até fevereiro se tentará ou não retornar ao comando da Prefeitura de Euclides da Cunha em 2024.

* Ex-secretária de Ordem Pública na gestão ACM Neto, Rosemma Maluf assumiu a pasta do Turismo em Boa Vista do Tupim, na Chapada. Vai ter como chefe o prefeito Dinho (União), que foi diretor de Iluminação Pública na capital também com Neto.

Sem sinal de fumaça branca para 2024, Jero e Lula em Dubai, os seis odiados da Assembleia e o candidato unânime ao TCM

radar do poder | 22 novembro 2023

Tempo da vice

O governador Jerônimo Rodrigues (PT) defende, entre os aliados próximos, a tese de que não deve anunciar apenas quem será o candidato a prefeito de Salvador este ano, mas a chapa completa, já com a definição sobre a vice. Assim, acredita, reforça a unidade do grupo que lidera. O senador Jaques Wagner (PT), por outro lado, acha que a questão da vice pode ser resolvida em 2024, até para que os holofotes sobre o assunto não fiquem apontados apenas para o prefeito Bruno Reis (União).

Ela só pensa nisso

PCdoB e MDB negam acerto para que secretária estadual de Promoção da Igualdade Racial, a comunista Ângela Guimarães, seja a companheira de chapa do vice-governador Geraldo Júnior, emedebista já escolhido por Jerônimo Rodrigues para disputar o Palácio Thomé de Souza. A notícia sobre o acordo foi publicada pelo Política Livre. Mas ninguém pode negar que ela só tem pensado nisso.

Sem fumaça branca

Não há, por enquanto, sinal na base aliada de nova reunião do conselho político para tratar das eleições em Salvador. Ou seja, sem sinalização de fumaça branca no Palácio de Ondina. O que está praticamente confirmado é que o governador Jerônimo Rodrigues viaja com o presidente Lula (PT) para a 28ª Conferência de Mudanças Climáticas da ONU (COP 28), em Dubai, nos Emirados Árabes. Eles devem embarcar no próximo dia 30, com retorno cinco dias depois.

Esquecimento ou aprendizado?

O deputado federal Márcio Marinho, presidente do Republicanos na Bahia, não se sensibilizou com os apelos do PP e do PSDB para que Bruno Reis mantenha Ana Paula Matos (PDT) na chapa em 2024. Embora diga que não tem nada contra a pedetista, reforçou junto aos vereadores comandados que Bruno Reis tem que escolher uma vice evangélica e com densidade eleitoral. Parece esquecer que coube ao Republicanos homologar a empresária Ana Coelho como vice de ACM Neto em 2022.

Concorrência leal

Aliados de Bruno Reis na Câmara Municipal de Salvador querem a garantia de que haverá pelo menos dois candidatos a vereador com mandato em todos os partidos da base do Executivo municipal. Com isso, almejam evitar “concorrência desleal”, já que uma sigla sem políticos de mandato pleiteando a reeleição se torna mais “leve” e atrativa para novatos, suplentes ou raposas sem cadeiras no Legislativo.

Questão de Solidariedade

A estratégia de acomodar vereadores em todos os partidos da base pode contribuir para afastar ainda mais o Solidariedade de Bruno Reis. Outrora aliado, o partido tem um pé fincado no governo Jerônimo Rodrigues, justamente o do presidente da sigla na Bahia, deputado estadual Luciano Araújo. Embora já tenha perdido os cargos indicados na Prefeitura, Araújo não descarta apoiar a reeleição do prefeito. E já avisou que o vereador Fábio Souza, visto como traidor, não terá a legenda na reeleição.

Os seis odiados

Um grupo de seis deputados da oposição decidiu que não vai assinar a PEC da reeleição na Assembleia: Marcinho Oliveira (União), Júnior Nascimento (União), Robinho (União), Manuel Castro (União), Emerson Penalva (PDT) e Pancadinha (Solidariedade). Todos rezam na cartilha do deputado federal Elmar Nascimento (União), adversário do presidente da Casa, Adolfo Menezes (PSD), maior interessado na medida. A maioria dos seis teme que o líder fique vingativo se apoiarem a proposta.

Sem trator

Um importante deputado do União Brasil que assinou a PEC, por exemplo, perdeu maquinário agrícola que destinaria a município da base eleitoral e que seria liberado pela Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf), controlada politicamente por Elmar Nascimento. Ficou como exemplo.

Jogada ensaiada

Um dia antes de o senador Otto Alencar (PSD) declarar, em entrevista à Rádio Metrópole, que era contra a PEC da reeleição, ele recebeu Adolfo Menezes para uma conversa na própria residência. O encontro reforçou as suspeitas de que as críticas do cacique não passaram de jogo combinado para agradar a deputada Ivana Bastos (PSD), a quem Otto prometeu apoiar em 2025 para o comando do Legislativo estadual. Adolfo tem a preferência da bancada inteira do próprio partido, menos de Ivana, claro.

Com formalidades

Os articuladores da PEC da reeleição querem apresentar o texto antes do recesso de dezembro. Isso só não aconteceu ainda porque desejam ultrapassar com folga as 50 assinaturas. O grupo gostaria, ainda, de colocar o texto em votação até dezembro, mas sabe que isso será impossível porque não contará com a colaboração do líder do governo, deputado Rosemberg Pinto (PT), para a dispensa de formalidades. O petista quer ser o sucessor de Adolfo Menezes.

Despacho

Aliás, há um movimento bem-humorado na Assembleia para que Rosemberg aceite assumir a cadeira do conselheiro Fernando Vita, que se aposenta em dezembro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). Em meio há tanta disputa pela vaga vitalícia, o petista seria o único a ter a unanimidade logo na largada da campanha. Não haveria resistências para a aposentadoria de luxo.

O substituto

Já se trata, dentro do governo Jerônimo Rodrigues (PT), de encontrar um substituto para o secretário de Relações Institucionais, Luiz Caetano (PT), de malas prontas a deixar o Executivo visando concorrer a prefeito de Camaçari. O nome mais forte é o do atual chefe de Gabinete do governador, Adolpho Loyola, que seria substituído por Jonival Lucas, hoje assessor de Caetano. O presidente do PT da Bahia, Éden Valadares, é outro cotado, além do próprio Jonival.

Cautelar na veia

Com a decisão célere que veio do TSE para o retorno da vereadora Débora Régis (PDT) à Câmara, a prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho (PT), reavalia lançar como sucessor para enfrentar a pedetista em 2024 o atual vice, Vidigal Cafezeiro (Republicanos). Isso porque Cafezeiro é primo do desembargador Raimundo Sérgio Sales Cafezeiro, relator, no TRE, da ação que cassou a edil e que foi desmoralizada pela cautelar do ministro Kássio Nunes Marques, que reverteu a sentença em Brasília.

Negócio da China

O governo do Estado tem enviado com frequência gente para a China, país que é parceiro comercial importante do Brasil e vai instalar a BYD em Camaçari, além de construir a aguardada ponte Salvador-Itaparica. A base de lançamento do pessoal para o gigante asiático tem sido a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais (SEI), que já enviou cerca de 30 profissionais para lá.

Pitacos

* Filho do vice-governador Geraldo Júnior, o deputado estadual Matheus Ferreira (MDB) não saiu do zero na eleição feita pelos jornalistas dos parlamentares destaques da Assembleia (45 dos 63 legisladores foram votados). Decepcionou o papai.

* Por falar na eleição dos destaques da Assembleia, teve jornalista revoltado porque o deputado bolsonarista Leandro de Jesus (PL) ficou entre os escolhidos, enquanto o deputado Alan Sanches (União) não entrou na lista por um voto.

* Depois que a deputada Fátima Nunes (PT) se declarou negra (e pobre) em um discurso na Assembleia, o colega Samuel Júnior (Republicanos) passou a chamar a deputada Olívia Santana (PCdoB) de “negona original”.

* Visto circulando animado na E-Agro, feira agropecuária realizada na semana passada no Centro de Convenções de Salvador, o deputado federal João Leão (PP) fez questão de experimentar de tudo entre os expositores, sobretudo vinhos e cachaças.

* Em um protesto solitário contra a Via Bahia, nesta terça (21), o deputado estadual Raimundinho da JR enviou um áudio para os colegas afirmando que obteve o apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) contra a concessionária. Virou motivo de piada.

* Para não dizerem que ele já vestiu a camisa do Avante, o deputado federal Netto Carletto (PP) usa o boné do partido nos eventos organizados pelo tio Ronaldo Carletto, presidente estadual da sigla. Mas é só uma questão de janela, ou melhor, de tempo.

* O deputado federal Josias Gomes (PT) não quis nem saber do companheiro de partido Geraldo Simões (PT) e declarou apoio à reeleição do prefeito de Itabuna, Augusto Castro (PSD). Ele ainda pediu para o senador Jaques Wagner (PT) fazer o mesmo.

* Ex-prefeito e pré-candidato do PT em Conceição do Coité, Francisco de Assis se tornou o inimigo público número um do Papai Noel. Denuncia diariamente o atual prefeito, Marcelo Rocha (União), por gastar demais para a festa natalina.

* Quem conversa com o prefeito de Jequié, Zé Cocá (PP), acha ele tão otimista sobre a reeleição em 2024 que até parece que vai ganhar de W.O.

* Até aliados do governo criticam a ineficiência da fila da regulação. O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio (PT), ficou irritado por não conseguir transferir um membro da família para o hospital Costa do Cacau, em Ilhéus.

Publicada originalmente às 10h49