Frase do dia

Foram num Banco da Suíça procurar o Lula e acharam o Aécio.

LULA, EM DISCURSO NA AVENIDA PAULISTA comentar

22 de julho de 2017, 20:13

BRASIL Em vídeo, Renan diz que ‘réu preso desesperado não pode acusar sem prova’

Um dia após a Polícia Federal desqualificar a colaboração premiada do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) publicou um vídeo em seu Facebook afirmando que o relatório da PF “mostra que réu preso desesperado para reduzir a pena não pode acusar sem prova”. Em áudios entregues por Machado, havia a suspeita de que Renan, o senador Romero Jucá (RR) e o ex-presidente José Sarney tentavam barrar a Operação Lava Jato. O parlamentar falou ainda em “violação” da sua intimidade e a da sua família e afirmou que ficaram “expostos nas mídias sociais”. “Até pediram, você lembra, a minha prisão, exatamente quando eu presidia o Senado Federal e o Congresso Nacional, com dano à democracia e ao poder”, disse. O peemedebista se referia ao pedido de sua prisão feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em junho do ano passado, após a divulgação das conversas com Machado. Renan também citou a medida liminar dada pelo ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), em dezembro do ano passado, afastando o senador da presidência do Senado. “Meses depois, tentou-se novamente, desta vez por liminar monocrática, afastar-me do comando legislativo”, disse. “O primeiro (sobre o pedido de prisão), você lembra, foi recusado pelo (ministro relator da Lava Jato, morto neste ano) Teori Zavascki. O segundo (pedido de afastamento da presidência do Senado) pelo pelo do Supremo Tribunal Federal. Corrigir abuso contra pessoa é fácil, mas contra a democracia e a separação dos poderes?” A PF sustenta que não há como comprovar o cometimento de crimes por parte do ex-presidente e dos senadores. Para a delegada Graziela Machado da Costa e Silva, Machado não merece os benefícios da colaboração premiada. “Entende-se, desde a perspectiva da investigação criminal promovida pela Polícia Federal, não ser o colaborador (Sérgio Machado) merecedor de benefícios processuais abrigados no artigo 42 da Lei 12.850/13″, diz o relatório. (Elisa Clavery – elisa.clavery@estadao.com)

Estadão Conteúdo

22 de julho de 2017, 13:02

BRASIL Gleisi: espero que decisão em 2º instância de Lula não seja política

A senadora e presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), afirmou ontem esperar que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não sofra um julgamento político na segunda instância, como, na sua opinião, aconteceu com a decisão do juiz Sérgio Moro. Lula foi condenado na semana passada a 9 anos e 6 meses de prisão na ação sobre o caso do tríplex do Guarujá. “Tenho uma esperança muito grande que vem do julgamento do (ex-tesoureiro do PT) João Vaccari, que foi inocentado”, afirmou a senadora. “O processo do Lula é muito parecido, não tem prova nenhuma, só tem delação. Agora, é claro, é uma figura política de grande peso.”As afirmações de Gleisi foram feitas no velório de Marco Aurélio Garcia, um dos fundadores do partido e ex-assessor para assuntos internacionais dos governos Lula e Dilma Roussef, na Assembleia Legislativa de São Paulo.Segundo a petista, a morte de Marco Aurélio, nesta quinta-feira (20) pegou todos de surpresa. Ele continuava participando ativamente das discussões do partido e se preparava para ajudar na formulação do programa de governo do ex-presidente.

22 de julho de 2017, 12:44

BRASIL Ministério e prefeitura fazem acordo para criar parque no Campo de Marte

O Ministério da Defesa e a Prefeitura de São Paulo chegaram a um acordo para a criação de um parque em parte da área do Campo de Marte, na zona Norte da cidade. A decisão foi tomada em reunião realizada ontem (21) na capital paulista com a participação do ministro da Defesa, Raul Jungmann e do prefeito João Doria.No total, o Campo de Marte tem uma área de 2,1 milhões de metros quadrados. Atualmente, 975 mil metros quadrados estão sob a administração da Infraero, onde funciona um aeroporto, e 1,13 milhão de metros quadrados, estão sob a administração do Comando da Aeronáutica, onde funcionam o Hospital da Aeronáutica, o Parque de Material Aeronáutico, o Centro Logístico e Subdiretoria de Abastecimento e a Prefeitura da Aeronáutica e uma vila militar.Na primeira fase do projeto serão destinados 401 mil metros quadrados para a implantação do parque, que será o terceiro maior da cidade. O espaço, que corresponde a 20% da área total do Campo de Marte, atualmente não tem uso público. Segundo o projeto, também deverá ser instalado um museu aeroespacial no local. De acordo com a prefeitura, os detalhes do projeto serão anunciados no dia 7 de agosto.O ministério e a prefeitura não informaram contudo se o aeroporto que funciona no local será afetado pela construção do parque. Segundo a Infraero, o aeroporto opera com aviação executiva, táxi aéreo e escolas de pilotagem e abriga a maior frota de helicópteros do país. O equipamenteo movimenta anualmente uma média de 125 mil passageiros e 71 mil voos.

Agência Brasil

22 de julho de 2017, 12:22

SALVADOR Violência na Bahia põe população em prisão domiciliar, diz vereador

Foto: Divulgação

Vereador Kiki Bispo (PTB) ouve demandas da população

Durante visita aos bairros Calabetão, Luiz Anselmo e Cajazeiras, na manhã deste sábado (22), o vereador Kiki Bispo afirmou que “a Bahia atravessa uma onda de violência sem precedentes”. Na avaliação do petebista, o Estado tem sido destaque negativo no quesito Segurança Pública, “com quatro cidades entre as 10 mais violentas do Brasil, como apontaram os dados do Atlas da Violência divulgados mês passado”, lembrou o vereador, ao acrescentar que “o Governo do Estado falhou em uma das pastas mais importantes. A sensação que temos é que, lentamente, a política falida da Segurança Pública tem nos colocado em prisão domiciliar sem tornozeleiras”.

22 de julho de 2017, 12:10

ECONOMIA Governo não descarta novo aumento de impostos para cumprir meta fiscal

Após elevar alíquotas de PIS/Cofins sobre combustíveis para cobrir o rombo no Orçamento, o governo avalia que uma nova alta de tributos está afastada “neste momento”, mas o próprio presidente Michel Temer diz que a equipe econômica ficará atenta a eventual necessidade.Os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira, não descartaram novas altas de tributos daqui para a frente para que o governo cumpra a meta fiscal de déficit de R$ 139 bilhões, mas afirmaram que “neste momento” o aumento do PIS/Cofins sobre gasolina, diesel e etanol é suficiente.Antes de bater o martelo sobre o aumento feito ontem por decreto outras opções que estavam em discussão pelo governo envolviam IOF sobre câmbio ou operação de crédito e a Cide sobre combustíveis.Na Argentina, o presidente Michel Temer buscou tranquilizar em relação à adoção de mais medidas impopulares. Ele afirmou não haver previsão agora de mais aumento de tributos, mas ressaltou que a situação segue sendo monitorada. “Estamos atentos, a equipe econômica está atenta a isso apenas para esse aumento. Não sei se haverá necessidade ou não, mas naturalmente haverá diálogo e observações sobre isso”.A consultoria Parallaxis estima que o Planalto vai ter que arrumar mais R$ 10 bilhões este ano para fechar as contas. Para isso, o governo pode ter que fazer uma terceira rodada de contingenciamento, além de elevar mais impostos. Entre as opções cogitadas pelos economistas está a Cide e o IOF.Em meio ao desafio para fechar as contas e sob o risco de novas frustrações de receitas, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, esquivou-se das perguntas sobre uma possível mudança da meta de não ultrapassar os R$ 139 bilhões de déficit neste ano. “Não me cabe conjecturar hipóteses para o futuro”, disse Oliveira.O Palácio do Planalto sabe que uma mudança na meta a essa altura provocaria forte reação do mercado financeiro e suscitaria questionamentos sobre a condução da política econômica. Mas economistas continuam prevendo déficits entre R$ 145 bilhões e R$ 155 bilhões para este ano, mesmo com as novas medidas e o corte adicional de R$ 5,9 bilhões anunciado anteontem.

Estadão

22 de julho de 2017, 11:54

BRASIL Moro manda comunicar Lula sobre bloqueio de bens

Foto: Reprodução

O juiz federal Sérgio Moro mandou citar e intimar o ex-presidente Lula sobre o bloqueio de seus bens. A carta precatória – comunicado que um juiz envia a magistrado de outra Comarca -, número 700003646115 foi encaminhada à Seção Judiciária de São Bernardo do Campo, cidade da Grande São Paulo onde mora o petista.O documento indica um prazo de 15 dias para Lula, por meio de seu advogado, apresentar resposta à medida requerida pelo Ministério Público Federal. Em anexo, será enviado ao ex-presidente o pedido de confisco, feito pelo Ministério Público Federal, em outubro do ano passado, e a decisão de Moro que ordenou as medidas assecuratórias.O magistrado acolheu o pedido da Procuradoria da República em 14 de julho, dois dias depois de condenar Lula a 9 anos e seis meses de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso triplex.Na sentença, o juiz da Lava Jato decretou o confisco do imóvel do Guarujá e impôs multa de R$ 16 milhões ao petista e a outros dois réus, o empreiteiro Léo Pinheiro e o executivo Agenor Franklin Medeiros, ambos da OAS.Na terça-feira, 18, o Banco Central informou a Moro ter bloqueado R$ 606.727,12. O dinheiro foi encontrado em quatro contas de Lula: R$ 397.636,09 (Banco do Brasil), R$ 123.831,05 (Caixa Econômica Federal), R$ 63.702,54 (Bradesco) e R$ 21.557 44 (Itaú).Além do dinheiro, Moro confiscou de Lula três apartamentos e um terreno, todos os imóveis em São Bernardo do Campo, e também dois veículos.O bloqueio dos imóveis do petista atinge ‘a parte ideal de 50% correspondente à meação’ – em fevereiro, a mulher do ex-presidente, Marisa Letícia, morreu vítima de um AVC.

Estadão

22 de julho de 2017, 11:42

EXCLUSIVA Os planos B e C do deputado federal Bebeto para o PSB em 2018

Foto: Divulgação/Arquivo

O deputado federal Bebeto quer ter sua reeleição à Câmara garantida no ano que vem

Embora seja interpretada no governo como uma tentativa de valorizar o passe do partido e de suas principais lideranças, o movimento feito pelo deputado federal Bebeto pela filiação de quadros democratas ao PSB está além desse plano. Com medo de não conseguir se reeleger em 2018, caso a senadora Lídice da Mata seja excluída da chapa do governador Rui Costa (PT) e venha a disputar com ele as eleições à Câmara dos Deputados, Bebeto abriu diálogo intenso com dois líderes do DEM – o presidente da Câmara Municipal de Salvador, Leonardo Prates, e o prefeito de Feira de Santana, Zé Ronaldo, sobre os rumos do PSB com vistas à sucessão estadual do ano que vem.

O objetivo é sinalizar aos operadores políticos de Rui Costa que o PSB não ficará no mato sem cachorro, caso não valorize a eventual participação de Lídice na chapa da reeleição, mas pode, como plano alternativo, efetivamente filiar as duas lideranças do DEM, lançando o prefeito de Feira ao Senado ao lado do prefeito ACM Neto (DEM), que deve disputar o governo do Estado contra o petista. O movimento seria muito parecido com o iniciado em 2014 pelo PRB, que afastou-se do PT para compor com o DEM e acabou reelegendo o deputado federal Bispo Marinho e ainda ganhando outra vaga na Câmara dos Deputados, com a eleição de Tia Eron.

“Com Zé Ronaldo candidato ao Senado e Leonardo Prates à Assembleia pelo PSB, o partido vai conseguir reeleger Bebeto e eleger Lídice da Mata à Câmara dos Deputados sem maiores dificuldades”, analisa uma fonte ligada a Bebeto para o Política Livre. Segundo ele, o sonho do parlamentar seria ver Lídice na chapa de Rui para não ter dificuldades de se reeleger deputado. Na hipótese – muito provável – de isso não acontecer, o outro plano de Bebeto seria levá-la ao rompimento com o governo e a redisputar o Senado na chapa de Neto, o que produziria um rombo no casco do barco petista semelhante ao que o hoje ministro Antonio Imbassahy (secretaria de Governo) provocou no do carlismo ao romper com o ex-senador ACM, em 2004.

Como não há hipótese de Lídice aceitar a proposta, Bebeto começou a trabalhar com a possibilidade de aliar-se ao prefeito de Salvador e trazer o presidente da Câmara e Zé Ronaldo pensando em lançar o prefeito de Feira na chapa de Neto. A conquista de Lídice para o projeto seria feita mediante a garantia de que o PSB elegeria duas vagas à Câmara dos Deputados – ela e Bebeto – e um acordo: a senadora ficaria livre para, mesmo no PSB, permanecer aliada de Rui Costa, defendendo sua candidatura ao governo contra a do prefeito de Salvador. ”Bebeto está querendo dizer que o PSB não está morto nem aceitará passivamente ser escanteado pelo governo. Estamos entendendo seu movimento”, diz um deputado do PT ao Política Livre.

O parlamentar tampouco deseja tomar o PSB das mãos de Lídice, segundo garantem seus assessores comentam, mas assegurar a sobrevivência política de ambos. O diálogo entre Bebeto e o DEM se tornou possível por causa da excelente relação que ele possui com Leonardo Prates, a quem apoiou para a Câmara Municipal de Salvador. Foi Prates, por sua vez, que levou o DEM para a campanha de Bebeto à Prefeitura de Ilhéus, no ano passado.

22 de julho de 2017, 11:35

BAHIA Sihs dará reforço na elaboração do plano de saneamento de Conceição do Coité

A Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento (Sihs) fechou mais uma parceria em prol da elaboração dos Planos Municipais de Saneamento (PMBS), exigido pela Lei Federal n.º 11.445/2007. Após se reunir com o comitê executivo responsável pela elaboração do plano da prefeitura de Conceição do Coité, ficou acordado que técnicos da Sihs irão capacitar os gestores envolvidos na finalização do PMBS. A primeira etapa, que resume-se no diagnóstico social participativo, executado através de aplicação de questionários e realizações de oficinas com a participação da população já encontra-se em fase de conclusão pelo executivo municipal. “Ou seja, todo nosso corpo técnico estará à disposição da prefeitura de Conceição do Coité, de forma que as vertentes: abastecimento de água e esgotamento sanitário possam ser cumpridas. Afinal, de cada real investido em saneamento, economizamos R$ 4 na saúde e isso é muito importante, levando em conta a crise financeira e política que assola o nosso país”, comemorou o secretário de Infraestrutura Hídrica e Saneamento, Cássio Peixoto por mais um convênio firmado. Acajutiba, Aporá, Cardeal da Silva, Crisopólis, Esplanada, Inhampube, Itapicuru, Jandaíra, Pojuca, Ribeira do Pombal, Rio Real, Conde, Entre Rios, Nova Soure, Olindina, Cipó, Itanagra, Ouriçangas, Tucano, Pedrão, Ribeira do Amparo, Aramari e Sátiro Dias são alguns dos municípios contempladas pela Sihs neste sentido.

22 de julho de 2017, 11:06

BRASIL Normalização de emissão de passaportes pode demorar até 5 semanas

A Casa da Moeda do Brasil (CMB), que produz os passaportes, informou na sexta-feira (21) que a normalização da emissão dos documentos deve levar até cinco semanas e ainda pode ser impactada pelo volume de novas solicitações. As informações são da Agência Brasil.O Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) informou, também ontem (21), que já colocou à disposição “o limite de empenho de recursos federais para emissão de passaportes”. “Foi repassado o crédito suplementar de R$ 102,3 milhões aprovado pelo Congresso Nacional”, conforme nota divulgada pela pasta.A Polícia Federal informou que no período de suspensão de emissão dos passaportes “foram represados cerca de 175 mil pedidos”. Segundo a PF, estes documentos represados agora serão processados por ordem cronológica.A Casa da Moeda informou que recebeu na tarde de sexta (21) os arquivos com dados dos solicitantes de passaportes e que a fabricação será retomada imediatamente, com turnos extras a partir do começo da próxima semana.“Por entender a importância da urgente normalização do serviço, a CMB vai trabalhar 24 horas por dia, sete dias por semana, a partir de segunda feira (24), arcando com custos extras para atender a todas as solicitações feitas pelos cidadãos nos postos da DPF durante os dias de suspensão”, informa a nota. A emissão de passaportes foi suspensa no dia 27 de junho, por falta de dinheiro, segundo a PF.

Estadão

22 de julho de 2017, 10:47

BRASIL É natural projetos contra investigação,diz delegada que livrou senadores e Sarney

Ao concluir que os senadores Renan Calheiros e Romero Jucá e o ex-presidente José Sarney – velhos cardeais do PMDB – não tentaram barrar a Lava Jato, a delegada de Polícia Federal Graziela Machado da Costa e Silva afirmou que, ainda que ‘lamentável’, é “natural” que projetos de lei “tivessem o propósito de amainar consequências criminais que rondam os próprios legisladores”.O relatório da PF concluiu que os três peemedebistas, flagrados em conversas gravadas pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, não cometeram obstrução de Justiça e que o ex-presidente da Transpetro não merece os benefícios da delação premiada.Nos diálogos, Jucá afirma ser necessário ‘mudar o governo para estancar a sangria’ e mencionava como ‘solução’, o então vice-presidente Michel Temer.À época, em maio de 2016, a ex-presidente Dilma Rousseff estava à beira do processo de impeachment e o delator e o peemedebista falavam sobre as investigações.O então presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), ressaltou a necessidade de regulamentar a delação premiada em conversa com Machado.Já Sarney disse prever que a delação da Odebrecht teria o efeito de uma ‘metralhadora ponto 100′.Para a delegada Graziela Machado da Costa e Silva, que assina o documento que livra os três da suspeita de obstrução de Justiça, os posicionamentos dos senadores, mesmo que sejam convertidos em projetos de lei que afetem as investigações, são prerrogativas de seus cargos. É natural – sem deixar de ser absolutamente lamentável – que eventuais alterações tivessem o propósito de amainar consequências criminais que rondam os próprios legisladores, mas ainda assim, soa desarrazoado dotá-las de status criminal, sob pena de criminalizar qualquer movimento legislativo que, mesmo sem aprovação ou sequer tramitação, tenha como mote disciplinar de forma diversa, por exemplo, o instituto da colaboração premiada ou qualquer outro instituto penal ou processual penal”, sustenta a delegada.

Estadão

22 de julho de 2017, 10:42

SALVADOR Biblioteca Anísio Teixeira completa 32 anos com homenagens ao educador

Os 32 anos da Biblioteca Anísio Teixeira e os 117 anos do educador baiano foram comemorados nesta sexta-feira (21), na sede da instituição, no Pelourinho, com uma apresentação musical e uma palestra sobre a vida e o legado de um dos maiores nomes da educação no país.”Antes de Anísio, não havia uma estrutura educacional aqui no Brasil. Então, a importância básica dele é que ele fez a organização da instituição escolar moderna, não apenas da escola básica como também do ensino superior”, afirmou o professor Bruno Vivas, que apresentou a palestra ‘Anísio Teixeira: um homem/ uma escola ou uma biblioteca?’. A palestra foi assistida por educadores, bibliotecários, estudantes e familiares de Anísio. Bisneta do educador, Letícia Bugarin, 18 anos, não pretende seguir carreira na mesma área, mas se orgulha da trajetória do bisavô. “Muitos educadores deveriam se identificar com ele, porque hoje em dia é muito difícil ter um cara lutando pela educação como ele lutou. Naquela época, não tinha muitos recursos, mas ele conseguiu trazer essa escola para Salvador. É um enorme prazer ser bisneta dele. Eu queria muito ter o conhecido”, destacou a estudante.A biblioteca possui um acervo com mais de 13 mil obras. Os livros publicados por Anísio – que nasceu em 1900, no município de Caetité, e morreu em 1971 – têm lugar de destaque no local. A biblioteca funciona atualmente na rua Frei Vicente, no Pelourinho, mas já teve outros endereços. Ela ganhou o nome do educador em 1985, em uma homenagem a quem contribuiu de forma significativa com a educação no Brasil. Além do acervo especial, a biblioteca disponibiliza atendimento aos surdos e espaço voltado para crianças. O horário de funcionamento é de segunda a sexta, das 8h às 17h, e aos sábados, das 8h às 13h.

22 de julho de 2017, 10:10

ECONOMIA Cresce percentual de brasileiros que reconhecem que pagam impostos

Foto: Reprodução

Pesquisa nacional da Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) e do Instituto Ipsos divulgada ontem (21) na capital fluminense revela que 79% dos brasileiros consultados reconhecem pagar impostos. Esse é o maior nível registrado na série histórica da sondagem, iniciada em 2007, quando o número atingiu 45%. De acordo com a pesquisa, oito em cada dez pessoas atualmente reconhecem pagar impostos.A sondagem foi feita entre os dias 1º e 13 de maio, com amostra de 1.200 entrevistados no Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Salvador, Recife, Porto Alegre, Belo Horizonte, Florianópolis e em mais 64 municípios brasileiros.O gerente de economia da Fecomércio-RJ, Christian Travassos, disse à Agência Brasil que a percepção é crescente no país quanto ao pagamento de impostos. “São dez anos de pesquisa e, a cada ano, a gente percebe uma consciência maior”. Ele destacou que dois fatores contribuem para isso. O primeiro é a informação. “O brasileiro passou a discutir temas como esses nas redes sociais. Hoje as pessoas estão mais bem informadas sobre o que impacta no seu dia a dia”.O segundo fator é o maior acesso da população a bens, como veículos e imóveis. “Tem mais brasileiros hoje que pagam impostos como o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) e Imposto de Renda”, disse o economista.

Agência Brasil

22 de julho de 2017, 09:50

BRASIL A jornada na Câmara para sair da Papuda

Com passos apressados e o semblante fechado, o deputado Celso Jacob (PMDB-RJ) chegou à Câmara, ontem, por volta das 10 horas para o seu primeiro dia de expediente no recesso parlamentar.O peemedebista só conseguiu autorização da Justiça para continuar trabalhando durante férias de deputados e senadores até 31 de julho. Se fosse negado, passaria os dias no Complexo Penitenciário da Papuda, onde cumpre pena de 7 anos e 2 meses em regime semiaberto.Para poder frequentar a Câmara durante as férias, o parlamentar ganhou uma forcinha da bancada do seu partido, o PMDB, e foi indicado para compor a comissão representativa do Congresso durante o recesso. O grupo de parlamentares resolve questões de caráter urgente que possam vir a surgir nas duas Casas, mas só é acionado em casos excepcionais. Ou seja, na prática, é uma formalidade, sem função específica, e que nem sequer exige a permanência do parlamentar em Brasília.Mesmo assim, o peemedebista permaneceu na Câmara até as 18h48, quando pegou o Uber contratado por ele para buscá-lo e levá-lo da prisão. Pela determinação da Justiça, seu horário de trabalho vai até as 19 horas. Ao chegar ao Congresso pela manhã, o deputado ficou irritado com a reportagem do jornal O Estado de S. Paulo e correu para não ser fotografado.Durante o dia, deixou o gabinete poucas vezes, uma delas para ir à sala da liderança do PMDB, outra para ir à Mesa Diretora. A presença do deputado chamou atenção de servidores da Casa. Duas moças fizeram comentários ao vê-lo pelos corredores. “O que ele está fazendo aqui?”, perguntou uma. “Trabalhando e de cabeça erguida”, disse a outra.O advogado Thiago Machado disse que é importante ele ir à Câmara nas férias, pois há muito trabalho acumulado dos 20 dias que ficou afastado, depois de ser preso.Jacob foi condenado em 6 de junho pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por falsificação de documento público e dispensa de licitação para a construção de uma creche quando era prefeito de Três Rios, no Rio. Desde o dia 30 de junho, foi autorizado pela Justiça a voltar a exercer o mandato durante o dia. Em uma das poucas declarações que deu ao Estado, disse que vai provar sua inocência no caso.

Estadão

22 de julho de 2017, 09:34

MUNDO PT e PC do B assinam apoio a regime de Nicolás Maduro

Foto: Divulgação

Os três principais partidos de esquerda do Brasil – PT, PC do B e PDT – intensificaram o discurso em defesa do regime chavista de Nicolás Maduro na Venezuela no momento que o país vizinho vive uma escalada de violência política que já deixou mais de cem mortos desde abril, segundo o Ministério Público local.Na quarta-feira passada, o PT e o PC do B subscreveram em Manágua, capital de Nicarágua, a resolução final do 23.º Encontro do Foro de São Paulo, organização que reúne diversos partidos de esquerda da América Latina e do Caribe. O texto defende a elaboração de uma nova Constituição que amplia os poderes de Maduro, exalta o “triunfo das forças revolucionárias na Venezuela” e diz que a “revolução bolivariana é alvo de ataque do imperialismo e de seus lacaios”. Presente ao encontro, a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), fez um discurso no qual afirmou que o partido manifesta “apoio e solidariedade” ao governo do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), seus aliados e ao presidente Nicolás Maduro “frente à violenta ofensiva da direita contra o governo da Venezuela”.Os representantes brasileiros no Foro não fizeram menção ao ataque ao parlamento neste mês promovido por militantes chavistas ou às denúncias de violência por parte do aparato militar oficial do Estado.O acirramento da violência tem como marco o mês de abril, com a morte de dois estudantes. No dia 6, Jairo Ortiz, de 19 anos, levou um tiro no tórax durante um protesto. Dias depois, Daniel Queliz, 20 anos, foi morto com um tiro no pescoço. Para a oposição, Maduro quer mudar a Constituição para ampliar seus poderes.”Nosso apoio ao Maduro é total. O Foro foi bem unificado em relação à Venezuela. Não houve omissão, porque a virulência da oposição está grande e conta com muito apoio externo”, afirmou Ana Prestes, da Fundação Maurício Grabois e uma das representantes do PC do B. Procurada, Gleisi Hoffmann não quis se manifestar.O deputado Paulo Teixeira (PT-SP), que integra a direção nacional do partido, disse que a legenda “não corrobora com ações de violência estatal”. Em Manágua, representantes do PT e do PC do B também condenaram o ataque feito por oposicionistas à Corte Suprema venezuelana. O PDT não enviou representantes ao evento, mas alinhou o discurso. “Nós apoiamos a autonomia do povo venezuelano de decidir seu destino. Condenamos atos de violência, mas pontuamos que, no caso da violência, ela vem dos dois lados”, disse Carlos Lupi, presidente nacional do PDT.O evento na Nicarágua, que homenageou o líder cubano Fidel Castro, produziu uma resolução de rechaço ao que foi chamado de “golpe de Estado” no Brasil e de apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.Reduzido. Oficialmente, o Foro de São Paulo tem sete partidos brasileiros inscritos: PT, PDT, PC do B, PCB, PPL, PSB e PPS. A maioria deles, porém, deixou de enviar representantes ao evento nos últimos anos.”Hoje apenas alguns membros antigos do diretório do PSB defendem o Foro. O regime de Maduro é uma loucura. A Constituinte que ele convocou é uma tentativa de Estado totalitário”, O secretário-geral do PCB, Edmilson Costa, que o partido tem críticas ao Foro, mas apoia “incondicionalmente o governo bolivarianista de Maduro”.

Estadão

22 de julho de 2017, 09:17

EXCLUSIVA Aproveitando ventos de reforma, professores cobram nomeação na Fapesb

Foto: Divulgação/Arquivo

Desde a saída de Eduardo Almeida, em março passado, a Fapesb está sendo conduzida por interino

Professores universitários da rede estadual aproveitam o movimento em torno de uma virtual reforma administrativa no governo Rui Costa (PT) para cobrar a nomeação do diretor-presidente da Fapesb (Fundação de Amparo à pesquisa do Estado da Bahia), cargo que vem sendo exercido interinamente desde a saída do posto, em março passado, de Eduardo Almeida, sob uma crise que comprometia 80% das pesquisas em andamento no órgão. Em comunicado ao Política Livre, um grupo deles questiona se “falta nome” ou se “simplesmente Ciência e Tecnologia não é prioridade”. Eles estendem as críticas ao titular da pasta de Ciência e Tecnologia, sobre o qual dizem que de Ciência e Tecnologia “pouco entende” e “pouco tem dado atenção”. O secretário foi indicado pelo PSB de Lídice da Mata.