Frase do dia

Você está falando com uma pessoa que não tem nada de sectário, que ajudará a construir um amplo campo de apoio democrático popular

Fernando Haddad, candidato do PT à Presidência, buscando atrair eleitores de Geraldo Alckmin para o segundo turno comentar

18 de setembro de 2018, 15:49

BRASIL Procuradoria Eleitoral pede impugnação de 2,6 mil candidaturas

O Ministério Público Eleitoral pediu à Justiça a impugnação de 2.636 registros de candidatura nas Eleições de 2018, em todo país. Segundo a Procuradoria, o número equivale a 9,1% dos 28.949 pedidos registrados para os cargos majoritários e proporcionais. As informações foram divulgadas pela Procuradoria-Geral da República. Segundo a PGR, quase ‘um terço das contestações (749) refere-se a casos de inelegibilidade decorrentes da Lei da Complementar 64/1990, com a redação dada pela Lei da Ficha Limpa (LC 135/10)’. “As demais contestações são decorrentes do desrespeito a outros critérios previstos em lei que podem levar ao indeferimento do registro de candidatura”. A Procuradoria explica que ‘dos casos impugnados pelo MP Eleitoral com base na Lei da Ficha Limpa, 278 são decorrentes de condenações por órgão colegiado do Poder Judiciário e 174 de rejeições de contas públicas por Tribunais de Contas’. “Neste último caso, a verificação das informações foi facilitada pelo acordo firmado entre o MP Eleitoral e o Conselho Nacional de Procuradores-Gerais de Contas, assim como pelo apoio do Tribunal de Contas da União (TCU)”. “A celeridade e a eficiência do MP Eleitoral têm sido enfatizadas pelas ferramentas de trabalho implementadas, pelos acordos de cooperação realizados e pelas ações em prol da unidade da atuação na matéria”, explica o vice-procurador-geral Eleitoral, Humberto Jacques de Medeiros.

Estadão

18 de setembro de 2018, 15:35

BRASIL Sistema de GPS acompanhará todos os candidatos presidenciais, diz Jungmann

Foto: Estadão

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, teve uma reunião com a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber, nesta terça-feira, 18, para tratar do centro de inteligência em Brasília que vai coordenar ações de segurança no primeiro e segundo turno das eleições em todo o País, inclusive com o monitoramento da localização dos presidenciáveis em tempo real. O diretor-geral da Polícia Federal, Rogerio Galloro, também participou do encontro com Rosa, que ocorreu no gabinete da ministra no prédio do Supremo Tribunal Federal (STF). O centro começará a funcionar sete dias antes do primeiro turno da eleição, que acontece no dia 7 de outubro, e fechará alguns dias após o segundo turno, que acontece no dia 28 de outubro. “Nós vamos saber online o que estará acontecendo, onde há conflitos, onde tem necessidade da PF estar lá”, explicou Jungmann durante conversa com jornalistas. Ele disse ainda que o centro acompanhará a localização dos candidatos à Presidência da República constantemente através de sistema de GPS que será colocado em pessoas próximas aos presidenciáveis e de integrantes da Polícia Federal responsáveis pela segurança. Após o atentado ao candidato Jair Bolsonaro (PSL), que foi esfaqueado, Jungmann afirmou que não houve nenhum problema até o momento com a segurança dos demais candidatos. “Não temos tido maiores notícias de problemas. Eu, inclusive, coloquei para a PF a necessidade de fazer informes periódicos da campanha, se candidato está seguindo normas de segurança, e isso também foi levado aos candidatos. Há maior preocupação tanto dos candidatos em cumprir regras de segurança, quanto das equipes.”

Estadão Conteúdo

18 de setembro de 2018, 15:19

BRASIL Temos 22 anos de urnas eletrônicas, não há nenhum caso de fraude comprovado, diz Rosa

Foto: Estadão

Para presidente do Tribunal Superior Eleitoral, equipamentos em uso em todo o País são 'absolutamente confiáveis'

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, disse na tarde desta terça-feira (18) que as urnas eletrônicas são “absolutamente confiáveis” e desde a sua implantação, em 1996, até hoje não foi comprovado nenhum caso de fraude. Em transmissão ao vivo no último domingo (16), o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, disse que as eleições de outubro podem resultar em uma “fraude” por causa da ausência do voto impresso. “A grande preocupação realmente não é perder no voto, é perder na fraude. Então essa possibilidade de fraude no segundo turno, talvez até no primeiro, é concreta”, declarou Bolsonaro, que lidera as pesquisas de intenção de voto para o primeiro turno e vê risco de derrota em cenários de segundo turno. As urnas eletrônicas começaram a ser usadas no País nas eleições municipais em 1996. Para Rosa Weber, é importante frisar que os equipamentos são auditáveis. “Temos 22 anos de utilização de urnas eletrônicas. Não há nenhum caso de fraude comprovado. As pessoas são livres para expressar a própria opinião, mas quando essa opinião é desconectada da realidade, nós temos que buscar os dados da realidade”, frisou a ministra, em rápida conversa com jornalistas antes da sessão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF). “Para mim, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, as urnas são absolutamente confiáveis. Eu tenho muita tranquilidade, e nosso corpo de servidores trabalha com dedicação. Nós abrimos para possibilidade de auditagem de maneira geral. Estamos procurando através da Ascom (assessoria de comunicação) fazer um movimento de relembrar esses dados todos, explicar para população. O mais importante é dizer para população que são auditáveis”, completou Rosa.

Estadão

18 de setembro de 2018, 15:02

BRASIL Procuradoria defende que Pizzolato pague integralmente multa de R$ 2 mi por condenação no Mensalão

A procuradora-geral Raquel Dodge requereu ao Supremo que determine ao ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato o pagamento integral da multa aplicada a ele em razão da condenação na Ação Penal 470, o processo do Mensalão. A PGR propõe, como alternativa, que Pizzolato indique bens para a penhora. O pedido foi enviado na última sexta, 14, nos autos da Execução Penal (EP) 10, informou a Secretaria de Comunicação Social da Procuradoria. Em maio de 2017, o ex-diretor de Marketing do BB recebeu progressão da pena para regime semiaberto, e autorização para o pagamento parcelado da multa, desde que comprovasse mensalmente o recolhimento das parcelas, sob pena de regressão do regime. Foi estabelecido o pagamento mensal de R$ 2.175,00 – valor que corresponde a 10% dos proventos da aposentadoria do sentenciado. Pizzolato foi condenado a 12 anos e 7 meses de prisão por peculato, lavagem de dinheiro e corrupção passiva, na ação do Mensalão. Foi o primeiro italiano entregue ao Brasil para cumprir pena. A extradição, em outubro de 2015, foi resultado de trabalho coordenado da PGR, Ministério da Justiça, Advocacia-Geral da União, Ministério das Relações Exteriores, Polícia Federal e autoridades italianas.

18 de setembro de 2018, 14:48

BRASIL Líderes nas pesquisas preocupam, diz presidente da Mercedes-Benz no Brasil

O presidente da Mercedes-Benz no Brasil, Philipp Schiemer, disse nesta terça-feira, 18, que está preocupado com os resultados das pesquisas eleitorais para presidente. Para ele, os candidatos que lideram as intenções de voto têm falado pouco sobre como pretendem adotar uma política econômica “consistente”, enquanto aqueles que se mostram menos competitivos são mais claros em relação a isso. “A Mercedes-Benz está há 61 anos e já viu muita coisa, como um regime militar e dois impeachments. O importante é que o próximo presidente traga estabilidade e uma política econômica consistente. Em relação a isso, pouco se sabe sobre os candidatos que lideram as pesquisas. Os candidatos que estão atrás têm programas mais claros. Estamos preocupados”, disse o executivo, sem citar nomes, em conversa com jornalistas, durante o Salão de Hanôver, a maior feira de veículos comerciais do mundo. Com a incerteza em torno da eleição, a Mercedes-Benz, que no Brasil é uma das líderes em produção e venda de caminhões, tem pouca clareza sobre como o mercado deve se comportar no ano que vem. “Se não estivéssemos passando por uma disputa presidencial, certamente teríamos um crescimento sustentável no ano que vem, porque os juros estão baixos e a frota está envelhecida, precisando de uma renovação”, disse o executivo. A depender da política econômica do próximo presidente, o real pode se desvalorizar ainda mais, provocando inflação e juros mais altos, alertou Schiemer. Com isso, o custo de produção sobe e a demanda por caminhões cai. “Mas eu ainda acredito que a responsabilidade vai prevalecer. Eu aprendi no Brasil que a esperança é a última que morre”, disse o executivo, que é alemão. Na visão do presidente da montadora, se o próximo governo não tirar as reformais fiscais do papel, o Brasil perderá importância e credibilidade no cenário internacional, se tornando menos atrativo para investidores. “Os líderes das pesquisas são candidatos que estão nos extremos. No fundo, isso não é bom, porque dificulta a pacificação”, disse.

Estadão Conteúdo

18 de setembro de 2018, 14:33

BRASIL Geraldo Alckmin nega risco de debandada de aliados de sua coligação

Foto: Estadão

Geraldo Alckmin, candidato do PSDB à Presidência da República

O presidenciável tucano Geraldo Alckmin, dono de uma coligação com oito partidos , afirmou na tarde desta terça-feira, 18, que não tem qualquer “procedência” a sugestão de que uma debandada de sua coligação esteja em curso. De forma enfática, Alckmin disse que a reunião prevista para ocorrer com o prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) já estava combinada e ocorre toda semana as segundas ou terças. Seguindo a estratégia de se colocar como uma opção em relação à candidatura de Jair Bolsonaro (PSL), líder das pesquisas, o tucano fez questão de comentar a declaração do candidato a vice na chapa de Bolsonaro, General Hamilton Mourão, sobre criação de filhos em casas que têm apenas as figuras da mãe e da avó. Mourão disse que crianças, nestas situações, podem ser desvirtuadas e cooptadas pelo trafico. “Isso é uma ofensa às mães que criam seus filhos com dificuldades, no sacrifício, às vezes dois, três filhos, sozinhas. As avós, essas heroínas. É lamentável isso”, declarou em resposta a Mourão. O tucano ainda diz que não ataca Bolsonaro e não comentou pedido de resposta feito pelo adversário na Justiça Eleitoral. Durante agenda de campanha no bairro do Pari, zona central da capital paulista, Alckmin ainda afirmou que um indulto ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Operação Lava Jato, seria um “acinte” à Justiça. Nesta terça, o candidato petista Fernando Haddad afirmou que Lula não deseja isso e que não o faria, caso vença a eleição.

Estadão

18 de setembro de 2018, 14:22

BRASIL Toffoli reafirma compromisso em defesa da criança e do adolescente

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, reafirmou nesta terça-feira (18) o compromisso feito em seu discurso de posse como presidente da Corte, de dar prioridade à defesa da criança e do adolescente. “Precisamos fazer um grande trabalho conjunto com o Ministério Público, com a Escola da Magistratura, com as Associações de Magistrados e do Ministério Público para engajar culturalmente os agentes do poder do sistema judicial nessa prioridade estabelecida no Art. 227 da Constituição, que estabelece como nosso poder, absoluta prioridade no que diz respeito a criança e ao adolescente”, ressaltou ao participar da abertura do seminário Justiça Começa na Infância: a Era dos Direitos Positivos, em Brasília. Segundo o Art 227 da Constituição é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão. O presidente do STF também destacou a importância da comunicação. “Precisamos trabalhar em campanhas públicas de educação dos pais, da comunidade. Muito mais que criar leis para penalizar, nós temos que informar, formar e educar. Temos que nos organizar no sentido de, junto com os meios de comunicação, produzirmos peças educativas para a sociedade brasileira sobre o significado do Artigo 227 da Constituição”, sugeriu.

Agência Brasil

18 de setembro de 2018, 14:13

BAHIA Campanha #SemanaMaresLimpos chega a Maragojipe

Projeto CO2 Manguezal participa da campanha #SemanaMaresLimpos organizada pela ONU Meio Ambiente A ação acontecerá na Ilha do Galego, em Maragojipe. Para garantir o sucesso da limpeza, a equipe técnica do projeto CO2 convida público voluntário, principalmente moradores do local Nesta terça-feira, 18, a partir das 7h30, a equipe do Projeto CO2 Manguezal e voluntários farão um “faxinaço” na Ilha do Galego, em Maragojipe. A ação integra a programação #SemanaMaresLimpos 2018, promovida pela campanha Mares Limpos, sob a coordenação da ONU Meio Ambiente. Para garantir maior êxito na ação, a coordenadora do CO2 Manguezal, Rosiane Campos, convida moradores da região “pois é importante que todos se unam a esse esforço coletivo para manter o lixo longe dos mares”, entende Rosiane, destacando que a participação é voluntária e a ação busca aumentar a consciência da população local sobre a importância de se fazer corretamente o descarte do lixo – especialmente o plástico. Em sua segunda edição, a campanha #SemanaMaresLimpos de Limpeza de Praias teve início no último sábado, 15, Dia Internacional de Limpeza de Praias. A ação se estenderá em praias de todo o Brasil até o dia 23 de setembro e os dados da coleta – tipos de lixo encontrados, volume etc – farão parte do panorama nacional sobre o lixo no mar, subsidiando a elaboração do Plano Nacional de Combate ao Lixo no Mar, capitaneado pelo Ministério do Meio Ambiente e pela ONU Meio Ambiente. A metodologia de coleta de dados foi elaborada pelo Instituto Ecosurf, parceiro da campanha. Sobre a Mares Limpos A campanha global da ONU Meio Ambiente alerta governos, indústria e cidadãos para acabar com o uso excessivo e desperdício de plásticos descartáveis e eliminar microplásticos em cosméticos, as duas maiores fontes de poluição marinha. Atualmente, estima-se que mais de oito milhões de toneladas de plástico terminam nos oceanos todos os anos, causando danos à vida marinha, pesca e turismo e custando pelo menos 8 bilhões de dólares em prejuízo aos ecossistemas marinhos. A edição 2018 da #SemanaMaresLimpos pretende superar a ação de 2017, que teve 136 grupos inscritos em 18 estados brasileiros e coletou cerca de 24 toneladas de resíduos.

18 de setembro de 2018, 14:00

BRASIL Ciro diz que Haddad vai manter PEC do Teto e reitera que vai revogá-la

Foto: Estadão

O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes

O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, reiterou nesta terça-feira, 18, a promessa de revogar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 95, também conhecida como PEC do Teto de Gastos, e aproveitou para criticar seu adversário, Fernando Haddad (PT). “Fiquei muito constrangido ontem com o Haddad, que anunciou que vai manter a PEC 95 e excluir só o investimento. Só que, no código de contabilidade brasileiro, o financiamento em Pesquisa e Desenvolvimento não é investimento, é custeio”, exemplificou o candidato do PDT. “Aí vem dizer que a prioridade é C&T (ciência e tecnologia), que o PT é o rei do abacaterol, não é não, é mentira.” Ciro, que se reuniu com a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) nesta terça-feira, reclamou ainda de, na sua opinião, ter ficado com o ônus de defender os avanços da pauta conservadora, enquanto Haddad começa a fazer um novo aceno à centro-direita. “Aí fico eu sozinho pagando o desgaste de ter que reclamar contra militar, de reclamar contra banqueiro e, nas minhas costas, aproveitando que eu sou progressista, eles tentam me obrigar a engolir essas coisas? Isso não vai acontecer mais.” Segundo ele, os candidatos precisam criar um ambiente para revogar a regra do teto. Caso contrário, não será possível cumprir com as promessas feitas pelos presidenciáveis em suas campanhas. “A tarefa não pode ser só minha. Ou a gente cria um ambiente para revogar a PEC 95 ou todos os programas, meus e de meus adversários, são mentira.” Segundo a Coluna do Estadão, Haddad se movimenta para acenar ao eleitorado do PSDB nessa reta final do primeiro turno. Ele próprio tocou no assunto na segunda-feira. “Tem muitas pessoas que apoiaram o golpe e estão revendo sua posição. O próprio PSDB já fez uma autocrítica. Isso constrói possibilidades de diálogo” disse Haddad na segunda, se referindo à entrevista de Tasso Jereissati ao jornal O Estado de S. Paulo na semana passada.

Estadão Conteúdo

18 de setembro de 2018, 13:39

BAHIA Cavo inicia operações de sua nova unidade de tratamento de resíduos de saúde em Feira de Santana

A Cavo, do Grupo Estre, líder do mercado de gerenciamento de resíduos na América Latina, já está operando sua nova unidade de destinação e tratamento de Resíduos de Serviços de Saúde (RSS) em Feira de Santana. A empresa é atualmente a responsável pela gestão desse tipo de resíduo na cidade. Instalada no bairro Gabriela, a nova unidade e suas equipes adotam as últimas tecnologias e processos para fazer a coleta, transporte, tratamento e destinação de resíduos gerados em hospitais, consultórios odontológicos, farmácias, laboratórios clínicos, entre outros. Os equipamentos utilizados também são todos novos e incluem autoclaves de última geração. Eles fazem a esterilização dos resíduos a vapor e alta pressão. A Cavo já é a responsável em Feira de Santana pela destinação final do lixo da coleta e limpeza pública no seu aterro sanitário na cidade – a nova unidade de RSS funciona na mesma área. “A empresa tem toda a experiência e licenças necessárias para oferecer serviços de qualidade e de padrão internacional. A companhia oferece uma gama completa de serviços ambientais em toda a cadeia do lixo – coleta, transporte, tratamento e destinação final -. Estamos com as melhores expectativas para Feira de Santana e região”, pontua Alessandro Campos, superintendente de Resíduos de Saúde.

O Grupo Estre opera a mais completa e moderna gama de serviços de gerenciamento de resíduos e soluções ambientais, com presença em sete estados brasileiros, cobrindo uma população de 31 milhões de pessoas em Alagoas, Bahia, Goiás, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e Sergipe. É responsável pelos cuidados com limpeza urbana e meio ambiente das cidades de São Paulo, Curitiba e Ribeirão Preto, entre outras, que são referência em qualidade e asseio. No setor privado, o grupo trabalha para mais de 4 mil empresas de diversos segmentos e conta com 13,3 mil profissionais. Com tecnologia e inovação, a Estre vai muito além da destinação adequada e coleta eficiente de resíduos. Uma das atividades de destaque é a transformação do biogás em energia elétrica. As usinas de Guatapará (SP) e Curitiba (PR) geram aproximadamente 14 MW. Em Tremembé (SP), está sendo finalizada a construção de mais uma usina, que irá gerar 4,2 MW. Há, ainda, a produção do Combustível Derivado de Resíduos (CDR), empregado em indústrias cimenteiras. O grupo atua em processos de manufatura reversa, que em equipamentos eletroeletrônicos chega a reaproveitar mais de 85% do material descartado. Além disso, recicla materiais de construção civil, faz tratamento e destinação de lixo hospitalar e cuida da descontaminação de solos por biorremediação. Desde dezembro de 2017, a Estre passou a ter suas ações negociadas na bolsa Nasdaq, em Nova Iorque, e aprimorou sua estrutura de governança com as melhores práticas administrativas internacionais.

A Estre é a única do seu setor e a terceira no Brasil a obter a certificação ISO 37001, que atesta as melhores práticas antissuborno e está alinhada com diretrizes internacionais na gestão da ética e em conformidade com a lei brasileira anticorrupção. Em 2006 foi criado o Instituto Estre para a promoção da educação ambiental de crianças, jovens e comunidades de seu entorno, com projetos que já atenderam mais de 340 mil pessoas.

18 de setembro de 2018, 13:26

ECONOMIA Desembolsos do BNDES ainda têm queda de 10% no acumulado de janeiro a agosto

Os desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para empréstimos já aprovados ainda registra queda de 10% no acumulado do ano até agosto, na comparação com os oito primeiros meses de 2017, afirmou nesta terça-feira, 18, o presidente da instituição de fomento, Dyogo de Oliveira. Segundo o executivo, as incertezas relacionadas às eleições de outubro têm afetado a demanda por crédito para investimentos. “Com a eleição e todo esse processo de incertezas, há uma repressão. As próprias empresas recolhem um pouco os ‘flaps’ antes de solicitar o desembolso. Estamos aguardando a solução do processo para ter uma retomada mais forte dos desembolsos”, afirmou Oliveira, ao deixar a cerimônia de abertura do IX Sipid, seminário sobre inovação promovido pela Abifina, entidade que representa a indústria da química fina, no Rio de Janeiro. Apesar da queda nos desembolsos, Oliveira ressaltou que outras fases do processo de pedido de financiamentos ao BNDES têm registrado alta. No caso das consultas, primeira etapa do processo, que normalmente serve de termômetro do apetite por crédito para investimentos, a alta é de 10% no acumulado de janeiro a agosto.

Estadão Conteúdo

18 de setembro de 2018, 13:11

BRASIL Guilherme Boulos diz, no Rio, que dará indulto a Lula se for eleito

Foto: Estadão

O candidato do PSOL à Presidência da República, Guilherme Boulos

O candidato do PSOL à Presidência da República, Guilherme Boulos disse nesta terça-feira, 18, que dará indulto ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso pela Lava Jato, caso seja eleito. “Defender o Lula diante de uma condenação injusta é defender a democracia”, afirmou Boulos, em sabatina na Pontifícia Universidade Católica do Rio, diante de estudantes. “Foi uma condenação sem provas, com base em delações. Quando o Judiciário escolhe quem pode participar de eleições, estamos longe de uma democracia”, afirmou o candidato. “Mas a seletividade judicial no Brasil não começou nem terminará com Lula. Daria indulto também ao Rafael Braga (jovem preso durante manifestações de 2013 por portar um frasco de produto de limpeza)”. O candidato do PSOL lembrou as diferenças que seu partido tem com o PT (a legenda nasceu de uma dissidência, há 15 anos), e criticou práticas petistas, como alianças com o MDB. “É lamentável ver o (candidato Fernando) Haddad tirando foto com Renan Calheiros e Eunício Oliveira”, disse. Boulos também mencionou Jair Bolsonaro (PSL), líder das pesquisas de intenção de voto. “Ele surfa no medo, na desilusão. Temos que derrotar a barbárie, a extrema-direita, o fascismo. A cada dia essa turma ganha asas. O clima que se criou no Brasil é de veneno, ódio e violência”. Ao defender a descriminalização do aborto, Boulos esclareceu que sua campanha não se pauta pelo “pragmatismo eleitoral” e por orientações de marqueteiros. “A nossa conta é outra, é no sentido de elevar a consciência política no País. O papel de uma campanha presidencial é também trazer os grandes temas à discussão, como o respeito à diversidade sexual, a desmilitarização da polícia, a descriminalização das drogas e o combate ao racismo”, afirmou.

Estadão Conteúdo

18 de setembro de 2018, 12:56

BRASIL Neto convoca reunião de emergência com líderes do Centrão

Foto: Futura Press / Estadão

ACM Neto

Presidente nacional do Democratas, o prefeito ACM Neto convocou para esta terça-feira (18) uma reunião de emergência com líderes do Centrão. De acordo com informações, Neto quer avaliar o apoio do bloco ao candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, Geraldo Alckmin, que está em quinto nas pesquisas de intenção de voto e sem crescimento. Segundo o jornal Estadão, o bloco quer discutir um eventual apoio a Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno, caso este enfrente o PT de Fernando Haddad.

18 de setembro de 2018, 12:52

BAHIA TRE-BA ordena retirada de publicidade de coligação que usa imagem de Lázaro

Foto: Divulgação

Irmão Lázaro (PSC)

O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) ordenou a retirada de circulação da propaganda eleitoral que ataca o deputado federal e postulante ao Senado, Irmão Lázaro (PSC). A propaganda estava sendo veiculada através da coligação proporcional Mais Trabalho Por Toda a Bahia, formada por PT-PP-PDT-PSD-PSB-PCdoB-PR-PMB-PRP-PODE-AVANTE-PMN-PROS-PTC. A decisão foi expedida pela juíza eleitoral Ana Conceição Barbuda Sanches na noite desta segunda-feira (17). Irmão Lázaro questionou na Justiça a propaganda veiculada pela coligação aliada do governador Rui Costa (PT) que acusava o cantor de ser contra Lula, Rui e responsável por colocar Michel Temer no poder e aumentar o desemprego e a pobreza. “Lázaro votou para tirar Dilma da presidência e colocou Temer no poder. Aumentando o desemprego e a pobreza. Ele está contra o presidente Lula. Ele está contra o governador Rui Costa. Esse é Lázaro. Um candidato assim não merece o seu voto para o Senado”, dizia a peça publicitária veiculada na televisão no dia 15. “[Irmão Lázaro] apenas participou de um processo de impeachment, ao qual é dever e obrigação constitucional inerente ao cargo que exercia de deputado federal, não sendo o representante autor do impeachment, muito menos denunciante de qualquer irregularidade, sendo então, apenas um dos votos do fator gerador do impeachment”, disse a defesa.

18 de setembro de 2018, 12:50

BRASIL PF toma novo depoimento de esfaqueador de Bolsonaro

Foto: Reprodução

Além de ouvir Adélio Bispo, a PF ainda trabalha na análise do material apreendido com ele e nas quebras de sigilo feitas com autorização da Justiça

O delegado da Polícia Federal Rodrigo Morais ouviu na segunda-feira, 17, o autor do atentado ao candidato Jair Bolsonaro (PSL), Adélio Bispo. Delegado Regional de Combate ao Crime Organizado de Minas, o delegado deslocou-se até o presídio federal de segurança máxima em Campo Grande para tomar o depoimento de Bispo no âmbito do inquérito sobre o atentando a Bolsonaro. A informação foi revelada pelo G1 e confirmada pelo Estado. Bolsonaro foi golpeado na tarde da quinta-feira, 6, quando fazia campanha no centro de Juiz de Fora, em Minas. Ele foi operado em Minas e depois transferido para Hospital Albert Einsten, em São Paulo. Na quarta, 12, o candidato passou por uma nova cirurgia. Atualmente, está na unidade de tratamento semi-intensiva. Além de ouvir Bispo, a PF trabalha na análise do material apreendido com o esfaqueador e nos dados das quebras de sigilo feitas com autorização da Justiça. O ministro da Segurança Pública Raul Jungmann afirmou, na semana passada, que esse inquérito deve ser encerrado e um novo será aberto para que a apuração sobre o contexto do ataque tenha seguimento. A abertura desse novo inquérito deve ocorrer ainda nesta semana. O primeiro inquérito será encerrado porque tem prazo mais curto pelo fato de o principal investigado estar preso. O novo depoimento de Adélio Bispo estava previsto desde a semana passada e tem como objetivo confrontar a versão do esfaqueador com os resultados das primeiras diligências. Em nota divulgada no início da semana passada, a PF informou que continuava a ‘coleta de depoimentos, análise de dados financeiros e de outros dados existentes em imagens, mídias, computadores, telefones e documentos apreendidos’. Por meio do inquérito, a PF quer ‘esclarecer, em toda a sua extensão, as demais circunstâncias vinculadas ao fato criminoso’.

Estadão