Frase do dia

O Brasil não pode ceder à xenofobia e tolerar agressões contra quem foge de um regime que nega os direitos mais básicos

Maria Laura Canineu, da Human Rights Watch Brasil, sobre os ataques da população de Roraima a imigrantes venezuelanos comentar

21 de agosto de 2018, 13:24

BRASIL Eduardo Jorge diz que Marina, Alckmin ou Bolsonaro estarão no 2º contra PT

O candidato a vice na chapa de Marina Silva (Rede), Eduardo Jorge (PV), disse nesta terça-feira, 21, que a pesquisa Ibope/Estadão/TV Globo, divulgada na segunda-feira, 20, mostra que uma das vagas no segundo turno já está com o candidato escolhido pelo ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e que a ex-senadora concorre com Jair Bolsonaro (PSL) e Geraldo Alckmin (PSDB) pela vaga restante. “São três candidatos que vão disputar entre si para chegar no segundo turno e disputar com as forças do ex-presidente Lula”, disse Jorge ao Broadcast Político (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado), após participar de um encontro promovido pela Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel). “Desconfio que Bolsonaro é o preferido de Lula, porque seria um 7 a 1. Já o Alckmin, independentemente dele, tem a rejeição do PSDB. Dificilmente, se chegasse no segundo turno, teria condições de vencê-lo. A única que tem condições de enfrentar Lula com sucesso é a Marina, pela sua história e seu programa.” Segundo Jorge, que disputou a Presidência em 2014 pelo seu partido, o PV, Ciro Gomes (PDT) não deve ter condições de chegar ao segundo turno porque “caiu na teia de Lula”. “Ciro buscou sinceramente uma aliança com o PT, mas Lula o diminuiu, humilhou o quer subordinado.” No evento, o ambientalista admitiu que o programa atual de Marina não trata sobre energia, mas que o de 2014 o faz e que o tema deve ser retomado em breve, através de um caderno específico. Ele ainda defendeu que sua chapa não vai praticar política “voluntarista ou intervencionista” para o setor. “Matemática existe. Vamos seguir um governo equilibrado para tirar o Brasil da crise”, afirmou.

Estadão Conteúdo

21 de agosto de 2018, 13:12

SALVADOR Vereador e secretário de Salvador oficializa apoio a candidatura do deputado estadual Pablo Barrozo

O vereador de Salvador e atual secretário municipal de Trabalho, Esporte e Lazer, Geraldo Júnior (SD) oficializou apoio a candidatura ao segundo mandato do deputado estadual Pablo Barrozo (DEM). Geraldo Júnior apresentou seus candidatos a deputado estadual e federal, durante evento na noite desta segunda-feira (20), onde reuniu lideranças do seu grupo político, que lotaram o auditório em uma faculdade na capital baiana. Um dos vereadores mais votados de Salvador, Geraldo Jr. reiterou que Barrozo reúne condições para permanecer na Assembleia Legislativa da Bahia. “A razão de apoiar Pablo Barrozo consiste em várias características, Pablo é um ser humano fantástico, um político presente, filho exemplar e reúne todas as condições para continuar defendendo a nossa cidade e nosso estado”, disse o secretário. Já o parlamentar destacou a força do político baiano que só vem a somar em sua candidatura a deputado estadual. “Ter o apoio de Geraldo significa força, trabalho, vitória. Um vereador respeitado, secretário competente, homem público exemplar que trabalha por nossa cidade. Vamos juntos unir forças rumo a vitória”, ressaltou Barrozo.

21 de agosto de 2018, 13:01

BRASIL PF combate garimpo ilegal em terra indígena Kayapó

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira, 21, a operação Muiraquitã com o objetivo de desarticular um grupo criminoso que atuava no garimpo ilegal na terra indígena Kayapó. A ação está sendo realizada na região entre as cidades Ourilândia e Tucumã, região sudeste do Pará, e é resultado de uma parceria entre PF, Ibama e a Funai. “A ações desencadeadas visam realizar prisões em flagrante dos envolvidos, faciliciar a ação do órgão ambiental na constatação dos danos extremos à natureza, desativar as pistas de pouso que não são homologadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e que não servem à comunidade indígena e estancar a extração e comercialização ilegal de ouro na região”, diz a PF. A operação é considerada a maior ação com uso de força aérea policial naquela região do país. Ao todo, são sete helicópteros da PF, IBAMA e Secretaria de Segurança Pública do Pará estão atuando para atacar a logística utilizada pelo grupo. Duas pistas de pouso e decolagem clandestinas serão explodidas pela PF. O Estado apurou que a PF investiga a relação dos garimpeiros ilegais com compradores do exterior. Estão na mira dos investigadores uma família italiana que estaria envolvida no fomento da exploração do ouro na região e um empresário chines do setor financeiro. “A atividade mineradora clandestina ocasiona diversos danos ao meio ambiente e aos indígenas, sendo os mais recorrentes: desvio do curso de rios, desmonte hidráulico (no caso de garimpagem mecânica), aterramento de rios e contaminação do solo, ar e águas através de metais pesados, principalmente o mercúrio, extinção de vegetação e animais e contaminação dos silvícolas”, diz nota da PF sobre a operação. Até o momento, a Funai já mapeou que cerca de 2.800 indígenas foram contaminados pelos resíduos do garimpo ilegal despejados nos rios da região. A extensão dos danos causados será avaliada por peritos criminais federais que participam da operação e estão coletando informações e materiais que resultarão em laudo pericial. O nome da operação faz referência aos objetos utilizados por “povos indígenas como amuletos, símbolos de poder ou, ainda, como material para compra e troca de artefatos valiosos”.

Estadão

21 de agosto de 2018, 12:44

BRASIL Katia Abreu diz que ‘complô’ de Temer e PT afastaram alianças de Ciro

Foto: Divulgação

Candidata a vice na chapa de Ciro Gomes (PDT), Kátia Abreu

A candidata a vice na chapa de Ciro Gomes (PDT), Kátia Abreu, voltou a reclamar do que chamou de “complô” organizado pelo PT e pelo presidente Michel Temer (MDB) para impedir que partidos do Centrão e da esquerda se aliassem ao pedetista. Segundo ela, isso foi feito para impedir que ex-governador do Ceará chegue ao segundo turno, onde seria “imbatível”. “O ideal seria termos ao menos um minuto de TV. Mas foi feito um complô contra o Ciro para esvaziar seu tempo de TV, porque todo mundo sabe que Ciro é imbatível no segundo turno”, disse a senadora nesta terça-feira, 21, após participar de um encontro com promovido pela Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel). “PT de um lado e Temer, com o PSDB, do outro. Porque ninguém duvida, no Brasil, que Geraldo Alckmin é apoiado por Temer.” Katia reiterou sua crença de que Ciro herdará a maior parte dos votos do presidente Lula, que lidera a corrida no momento com 37% das intenções de voto, segundo a pesquisas Ibope/Estadão/TV Globo divulgada ontem. “Acredito que a maior parte dos eleitores de Lula vão votar no Ciro pelo seu conhecimento, por suas propostas e pelo fato de que ele já foi candidato duas vezes”, declarou. Segundo o levantamento do Ibope, Ciro aparece em quarto lugar no cenário com a presença do líder petista, em empate técnico com Marina Silva (Rede), Alckmin e Alvaro Dias (Podemos). À frente deles, está Jair Bolsonaro (PSL), com 18%. O cenário é parecido com o trazido pela pesquisa CNT/MDA, divulgada também ontem. Nela, entretanto, o pedetista aparece como o terceiro nome preferido dos eleitores lulistas caso ele saia da disputa. Ele receberia 9,6% dos votos desses eleitores, atrás apenas de Fernando Haddad (PT), com 17,3% e Marina Silva, com e 11,9%.

Estadão

21 de agosto de 2018, 12:35

BRASIL Ministro lamenta, em nota, morte de militares no Rio

Após a morte de dois militares do Exército no contexto da intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, ontem (20), o ministro da Secretaria de Governo da Presidência, Carlos Marun, divulgou nota hoje (21) lamentando que muitos ainda tratem a intervenção no Rio “com absoluta superficialidade”. Na nota, ele disse que, em relação ao crime, se colocam diante das autoridades duas opções que são combater ou compactuar. “Optamos pela primeira. Lamentamos que muitos prefiram a segunda”, registra o ministro. Marun lamentou a morte do cabo Fabiano de Oliveira Santos e do soldado João Viktor da Silva, e o sofrimento das famílias. Além das duas mortes, o soldado Marcus Vinicius Viana Ribeiro ficou ferido com um tiro na perna nas operações de ontem. “Está sendo travada uma guerra. Ao decidirmos pelo real combate ao crime organizado, sabíamos que haveriam vítimas. Todavia, isto não diminui a nossa tristeza diante do sacrifício da vida destes dois jovens soldados, que se somam as dezenas de outros homens e mulheres, policiais ou não, que já tombaram na luta contra estes grupos paramilitares que decidiram escravizar o Rio, e que planejam fazer isto em relação ao Brasil”, registrou o ministro na nota. Os militares morreram atingidos por tiros durante operações contra o crime organizado ocorridas ontem nos complexos do Alemão, da Penha e Maré, na zona norte do Rio de Janeiro. Essa foi uma das maiores operações realizadas desde o início da intervenção federal na segurança pública do Rio, em fevereiro. Foi confirmada ainda a morte de cinco suspeitos de atacar militares. Hoje, as forças militares seguem ocupando a região que tem 26 comunidades e cerca de 550 mil habitantes, no quarto dia consecutivo de operações.

Agência Brasil

21 de agosto de 2018, 12:19

BAHIA Rui diz que pesquisas mostram revolta da população contra “perseguição” a Lula

Foto: Divulgação

Governador Rui Costa, candidato à reeleição, recepciona em Salvador o candidato a vice de Lula, Fernando Haddad

O governador Rui Costa (PT), candidato à reeleição, disse hoje, durante evento no Fiesta realizado com a presença do candidato a vice na chapa do ex-presidente Lula, Fernando Haddad, que a liderança do petista nas pesquisas de opinião, confirmada ontem por dois levantamentos, o do Ibope e o da CNT, pode ser lida como um sinal de que a população não aceita “a perseguição” que está sendo feita contra o petista. “O povo não consegue entender porque ele não é candidato enquanto todos os outros são, já que não foi encontrado nada contra ele. “O povo está convencido de que a Justiça ou alguns juízes estão perseguindo politicamente o ex-presidente da República. E o que está sendo cometido contra ele é uma absurda e absoluta injustiça, isso é que é a dificuldade de o povo entender”, afirmou Rui, acrescentando que a intenção de voto não é na pessoa física de Lula, mas na idéia que ele representa. “O povo tá com saudade de quando o Brasil cresceu, distribuiu renda, construiu casa, melhorou a vida do país e dos brasileiros, conforme os indicadores mostram. O povo brasileiro vota nesta idéia, que é materializada pela figura do presidente. Por isso acredito que está idéia e o 13 serão vitoriosos na eleição nacional”, declarou.

21 de agosto de 2018, 12:18

BRASIL Recuperação da indústria do aço é sustentável, diz presidente Temer

Foto: Divulgação

Presidente Michel Temer

O presidente Michel Temer disse hoje (21) que a indústria siderúrgica se recuperou, de forma sustentável, da crise enfrentada em 2016, em discurso a empresários do setor durante o Congresso Aço Brasil, na capital paulista. “Sabíamos que a siderurgia brasileira vivia momento crítico, preocupante. Reconheço que, o ano passado, ou 2016, mais apropriadamente, foi um dos mais difíceis para a nossa indústria. Juntos, revertemos esse quadro a partir de agosto de 2017, quando a produção do aço já apresentava crescimento em relação ao ano anterior”, disse. De acordo com o Instituto Aço Brasil, a produção de julho apresentou alta de 6,7% em relação ao mesmo mês do ano passado. No mês passado, as vendas tiveram alta de 13% sobre julho de 2017. “Alguns diziam que a recuperação não seria sustentável. Hoje, um ano depois, temos a segurança de afirmar que ela é sólida e veio para ficar”, afirmou Temer. No acumulado de janeiro a junho deste ano, a produção do aço cresceu 3,4% na comparação com o mesmo período em 2017. Os números são considerados positivos pela entidade, tendo em vista os efeitos da greve dos caminhoneiros. O presidente criticou o protecionismo dos Estados Unidos ao sobretaxar o aço importado, mas avaliou que o Brasil se saiu bem nas negociações com os norte-americanos. O Brasil não foi taxado com novas tarifas, mas submetido a cotas baseadas na média de volume exportado em três anos. “Quando os Estados Unidos sobretaxaram o aço, tivemos muitas reuniões, que o Itamaraty providenciou. Conseguimos reduzir o gesto inicial do presidente dos Estados Unidos [Donald Trump] que onerava enormemente a nossa indústria. Hoje, estamos em um passo razoável em relação a essas exportações. Encontramos soluções para as dificuldades do setor siderúrgico”, disse o presidente. O ministro de Indústria, Comércio Exterior e Serviço, Marcos Jorge, também presente no evento, avaliou que o Brasil sofreu o menor prejuízo entre os países exportadores de aço, obtendo benefícios melhores, inclusive, que o México que integra o Nafta, tratado norte-americano de livre comércio. “Foi o acordo menos danoso, mas que não nos atende na plenitude”, disse. O ministro defende a abertura comercial entre os países, porém com regra de transição gradual e com condições no ambiente de negócio para que o Brasil tenha competitividade.

Agência Brasil

21 de agosto de 2018, 11:59

BRASIL Ibope mostra que 39% dos eleitores de Lula não votariam em Haddad

Foto: Filipe Araújo / AE

Fernando Haddad e Lula

A pesquisa Ibope/Estado/TV Globo divulgada na segunda-feira, 20, mostra que o potencial de transferência de votos de Luiz Inácio Lula da Silva para Fernando Haddad tem um teto relativamente baixo até o momento. Quatro em cada dez eleitores do ex-presidente da República, condenado em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito da operação Lava Jato e preso em cela da Polícia Federal em Curitiba desde 7 de abril, afirmam que não votarão no ex-prefeito de São Paulo “de jeito nenhum”. O levantamento mostrou Lula com 37% das intenções de voto, patamar que ele não havia atingido em meses anteriores. Dessa parcela específica do universo da pesquisa, formada pelos eleitores declarados de Lula, metade afirma que com certeza votará ou poderá votar em Haddad se ele for o candidato apoiado pelo ex-presidente. Outros 10% desse contingente se declaram indecisos ou dizem não conhecer Haddad o suficiente para opinar. E outros 39% rejeitam a hipótese de votar nele. Para medir o potencial de votos de Haddad, o Ibope fez aos entrevistados a seguinte pergunta: “Caso o candidato pelo PT, Lula, seja impedido de disputar a eleição para presidente da República e declare seu apoio a Fernando Haddad, o(a) sr(a) com certeza votaria em Fernando Haddad, poderia votar nele ou não votaria em Fernando Haddad de jeito nenhum?” Mesmo com o teto baixo de transferência, Haddad pode capturar dos simpatizantes de Lula – e também de outros candidatos – uma parcela suficiente de votos para viabilizar a disputa por uma vaga no segundo turno. Levando-se em conta o universo total da pesquisa, e não apenas os eleitores de Lula, 13% afirmam que “com certeza” votarão no ex-prefeito, e outros 14% dizem que poderiam votar. Conforme a edição desta terça-feira do Estado, os números também mostram que 60% do eleitorado total (não apenas os que votam em Lula) não votariam em Haddad “de jeito nenhum”. O desafio, para o PT, é fazer chegar ao eleitorado a informação de que Haddad é o “plano B”, ao mesmo tempo em que insiste na narrativa de que Lula é o candidato do partido. Parte significativa da população parece estar acreditando na hipótese de que o ex-presidente será mesmo candidato: quase um terço dos entrevistados pelo Ibope dizem achar que ele vencerá a eleição. Lula, porém, é candidato apenas do ponto de vista formal, ao menos até que a Justiça Eleitoral barre sua pretensão por impedimentos legais. Enquanto isso, Haddad, a menos de 50 dias da eleição, nem sequer pode se apresentar ao eleitorado como candidato.

Estadão

21 de agosto de 2018, 11:31

BAHIA Apoio de Tonha, em Candeias, e de Tude, em Camaçari, é comemorado por Jutahy

Foto: Divulgação/Arquivo

Candidato a senador Jutahy Magalhães Jr.

O candidato a senador Jutahy Magalhães Jr. (PSDB) comemorou ontem o apoio dos candidatos Tonha Magalhães, em Candeias, e de José Tude, em Camaçari, destacando que as iniciativas fortalecem imensamente sua candidatura ao Senado na região metropolitana de Salvador. Ele fez questão de participar do lançamento da candidatura de Tonha, ontem, em Candeias, onde Tude e o prefeito Elinaldo, de Camaçari, fizeram questão de anunciar publicamente o apoio à sua candidatura.

21 de agosto de 2018, 11:29

BRASIL TSE intima todos os candidatos a detalharem declaração de bens

Foto: Dida Sampaio

Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) intimou na noite de ontem (20) todos os candidatos às eleições deste ano, inclusive os 13 candidatos à Presidência da República, a detalharem a declaração de bens, após a Corte recuar de uma simplificação no sistema de declarações para as eleições deste ano. Na eleição de 2014, ao declarar um bem imóvel, por exemplo, o candidato precisava detalhar além do valor, o tamanho e o endereço, mas neste ano tais informações não estavam sendo exigidas. No ano passado, o TSE resolveu simplificar o sistema de prestação de informações, com o intuito de torná-lo mais leve e célere, e extraiu os campos de detalhamento na declaração de bens. Com a repercussão negativa da medida, o ministro Luiz Fux, presidente da Corte até a semana passada, decidiu recuar e reincluir os campos no sistema. Segundo o TSE, a medida tem por objetivo conferir “o maior grau de transparência possível ao processo eleitoral”. A partir do momento em que foram intimados, todos os candidatos, a todos os cargos, passaram a poder fazer o detalhamento. Ao todo, 27.811 políticos tiveram pedidos de registro de candidatura protocolados no TSE. Somados somente os candidatos à Presidência da República, o patrimônio declarado neste ano foi de mais de R$ 834 milhões. Os dois mais ricos concentram boa parte dessa quantia: João Amoêdo (Novo), com R$ 425 milhões; e Henrique Meirelles (MDB), com R$ 377,5 milhões. Neste ano, os candidatos têm permissão, se quiserem, a bancar a integralidade dos gastos de campanha, observados os limites de R$ 70 milhões para o primeiro turno e de R$ 35 milhões para o segundo turno.

Agência Brasil

21 de agosto de 2018, 11:07

BAHIA Rui segue caravana e reforça desejo de visitar 120 cidades

Foto: Divulgação

Governador Rui Costa

O candidato à reeleição ao Governo da Bahia, Rui Costa, da coligação “Mais Trabalho Por Toda a Bahia”, segue amanhã (22) com a caravana que pretende visitar pelo menos 120 cidades do interior do estado. No primeiro dia do roteiro, Rui vai à Baixa Grande e Ipirá, municípios do território de identidade Bacia do Jacuípe. Até o domingo (26), ele terá passado por 21 cidades, percorrendo todos os trechos de ônibus. “Desde o primeiro roteiro, já pudemos perceber o quanto as pessoas estão apoiando o nosso governo e querendo a continuidade. Isso só reforça meu desejo de passar a maior parte da campanha em contato com o povo, ouvindo e discutindo as principais necessidades de cada localidade”, afirmou Rui Costa. Na quinta-feira (23), Rui estará em Itaberaba; dia seguinte (24) recomeça a correria por Uruçuca e Itacaré, seguindo para Camamu, Igrapiúna, Ituberá, Nilo Peçanha e Taperoá; no sábado (25), será a vez de Valença, Nazaré, Muniz Ferreira, Santo Antônio de Jesus, Conceição do Almeida e Sapeaçu; encerrando no domingo (26), em Cruz das Almas, Governador Mangabeira, Muritiba, Conceição da Feira e São Gonçalo. Nesses quatro dias, a caravana que também inclui os candidatos a vice-governador, João Leão (PP), e a senador, Jaques Wagner (PT) e Angelo Coronel (PSD), passará por cinco dos 27 territórios de identidade do estado: Piemonte do Paraguaçu, Litoral Sul, Baixo Sul, Recôncavo e Portal do Sertão.

21 de agosto de 2018, 10:44

BAHIA ‘Meu país merece mais respeito’, afirma FHC em resposta a artigo de Lula

Foto: JF Diório

Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso

Em artigo publicado nesta terça-feira, 21, pelo jornal inglês Financial Times, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso rebate as afirmações feitas pelo seu sucessor na Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em texto divulgado semana passada no The New York Times, onde o petista condenado e preso pela Lava Jato afirma que há um golpe de direita em andamento no Brasil para que ele não concorra às eleições deste ano. FHC afirma que Lula retrata o País como uma “democracia em ruínas”, na qual a lei foi usada de maneira arbitrária para minar o petista e seu partido, o que não é verdade. Em outro trecho, Fernando Henrique também responde à declaração de Lula sobre a situação brasileira em 2003. “Também não é verdade, como Lula afirma, que o Brasil não tinha direção antes de ele assumir a Presidência, em 2003. É preciso lembrar que a estabilização depois de anos de hiperinflação começou com o Plano Real, lançado pelo ex-presidente Itamar Franco, e continuou no meu governo. Esse também foi um período marcado pelo estabelecimento de programas de bem-estar social que Lula posteriormente iria expandir”, ressalta o tucano. Em seguida, FHC diz que a visão de Lula “é uma versão peculiar das últimas décadas da história do Brasil, na qual ele, às vezes, aparece como o salvador do povo e, às vezes, como vítima de uma conspiração de “elite”. E finaliza: “É uma grave distorção da realidade, no entanto, dizer que há uma campanha direcionada no Brasil para perseguir indivíduos específicos. Meu país merece mais respeito.”

Estadão

21 de agosto de 2018, 10:38

SALVADOR ACM Neto lamenta a morte de Otavio Frias Filho

Foto: Max Haack / Agecom

Prefeito ACM Neto

O prefeito de Salvador e presidente nacional do Democratas, ACM Neto, lamentou nesta terça-feira (21) a morte do jornalista Otavio Frias Filho, diretor de Redação da Folha de S.Paulo. “Ao estimular a prática do jornalismo pluralista, crítico, independente e apartidário, Otavio Frias não apenas deu uma nova dimensão à Folha de S.Paulo, mas, principalmente, contribuiu de forma decisiva para a modernização da imprensa brasileira nos anos 1980 e, também, para a consolidação da nossa democracia. Nestes tempos de fake news e constantes ameaças à imprensa livre, Otavio Frias Filho vai fazer muita falta, sem dúvida alguma. O seu legado, no entanto, fica como exemplo para as futuras gerações. Meus sentimentos à família Frias e ao Grupo Folha”, afirmou ACM Neto.

21 de agosto de 2018, 09:50

BAHIA “Quero continuar meu trabalho na Câmara dos Deputados”, diz Benito ao enfatizar luta pela implantação da Ford

Foto: Divulgação

Deputado federal, Benito Gama (PTB-BA)

Em seu quinto mandato de deputado federal, Benito Gama (PTB-BA) é candidato à reeleição na Câmara, em outubro próximo. “São mais de 30 anos dedicados à vida pública com foco nas ações voltadas para o desenvolvimento social e econômico”, declarou. Benito Gama foi um dos principais responsáveis pela implantação da Ford na Bahia e outras empresas de grande porte para o Estado. “Quando fui secretário da Indústria e Comércio na Bahia, pude trazer 320 novas indústrias para o nosso estado. Tenho muito orgulho de ter trabalhado nesse projeto para vir para a Bahia e aqui poder comemorar hoje e colher esses frutos, sobretudo no emprego e renda. Atrair indústrias, gerar emprego e renda na Bahia, tudo isso sempre foi um projeto do qual participei com muita atividade. Por isso, quero continuar este meu trabalho na Câmara dos Deputados”, disse Benito Gama. O parlamentar baiano possui outros serviços prestados à capital e ao estado como um todo. “Participei dos grandes projetos de urbanização de Salvador. O canteiro da Avenida Paralela, o primeiro Projeto Orla, a reforma do Aeroporto de Salvador e a reconstrução do Mercado Modelo após o incêndio são exemplos disso”, afirmou. Segundo o deputado Benito Gama, a atração de universidades particulares, para suprir o déficit de ensino superior, e de grandes empresas como a Ford e outras do ramo automotivo, também foram ações lembradas por Benito Gama por terem “ajudado a mudar o perfil econômico desta cidade”. Como uma das ações mais recente, a emenda parlamentar direcionada à requalificação da Ponta de Humaitá, no valor de R$ 790 mil, para movimentar a economia valorizando também o turismo.

21 de agosto de 2018, 09:43

BRASIL Onze partidos ainda não receberam fundo eleitoral, diz coluna

Onze partidos ainda não viram a cor do dinheiro do fundo eleitoral, o que tem gerado críticas de concorrência desleal com os candidatos que já estão com o bolso cheio. Estão na pindaíba PP, PTB, PDT, PCdoB, Rede, PCB, PMB, PSB, DC, PPL e PCO. De acordo com a Coluna do Estadão, essas siglas têm a receber R$ 422 milhões. A presidente do TSE, Rosa Weber, liberou o dinheiro ontem à noite. Mas o montante só deve entrar na conta sexta. O atraso é culpa dos partidos, que demoraram a entrar com a documentação. Candidatos dizem que a divulgação pela imprensa de que o fundo eleitoral é bilionário inflacionou as campanhas. Os cabos eleitorais estariam cobrando mais caro achando que está chovendo dinheiro, quando a verba diminuiu com a proibição de doações empresariais.

Estadão