13 de novembro de 2017, 07:43

EXCLUSIVA “Não quero um governador mais ou menos, mas o melhor que a Bahia já teve”, provoca Neto em convenção do PSDB

Foto: Divulgação

Aclamado como candidato, Neto discursa sob aplausos em convenção do PSDB, realizada no último sábado

Num dos mais duros discursos já feitos até agora contra o governo, o prefeito ACM Neto (DEM) afirmou que, “como baiano, não quer um governador mais ou menos, mas o melhor governador da minha terra”, ao encerrar a convenção estadual realizada pelo PSDB em Salvador, no último sábado, na qual o deputado federal João Gualberto foi reeleito presidente do partido. Recebido aos gritos repetidos de “governador” e aclamado como candidato à sucessão estadual pelos tucanos, o prefeito começou citando seu projeto de reconstruir na área do antigo Aeroclube o Centro de Convenções, equipamento estadual interditado há mais de um ano desde um desabamento, com uma crítica ao que considera a Bahia do presente e aquela que pode ser a do futuro, sob um eventual governo seu.

Apesar de ter evitado se apresentar como candidato ao governo, ao afirmar que não podia prever o que acontecerá em 2018 nem poder confirmar sua candidatura naquele momento, o prefeito deixou claro que quem o conhece sabe que não se furta ao bom combate nem lhe falta vontade para se unir aos baianos em torno de uma disputa eleitoral pelo Estado, desde que esta seja a vontade da sociedade. Lembrando da parceria antiga com os tucanos, ele recordou que, assim como em 2012, o PSDB foi dos primeiros partidos a se unir a ele, permitindo que se alterasse a cara de uma cidade que estava destroçada, e que a unidade entre as duas legendas nunca se deu com o propósito de conquistar mais poder, mas por valores e propósitos de servir à população.

“Da mesma forma que em 2012, agora em 2018 estamos unidos para mudar o futuro da Bahia e também do Brasil”, declarou, referindo-se à crise interna do PSDB nacional como natural e destacando que a agremiação tem um papel fundamental nos destinos políticos do país, já que foi capaz de resistir, junto com o DEM, a um governo que quebrou o país. “Vou trabalhar para que o PSDB e o DEM estejam juntos num mesmo palanque de um candidato a presidente da República”, declarou, recebendo ainda mais aplausos. Ao falar sobre o Estado, Neto disse que não adianta só olhar a capital e a Região Metropolitana de Salvador, mas que é necessário levar emprego e benefícios à população pobre do interior. “É preciso ajudar os prefeitos, construir creches. Olha a educação”, declarou, acusando o governo de hoje fechar escolas.

“Em 12 anos, é o pior IDEB do Brasil”, declarou, afirmando ainda que a violência se espalhou pelo Estado e não se vê “uma reação firme do governador”. “(A violência) não é um problema apenas nacional e da crise. É de falta de autoridade e de pulso do governador”, atacou, acrescentando que quando o governo e o PT lhe acusam de ter impedido a concessão de empréstimos ao Estado é para esconder sua própria incompetência. “Vejam o período de cinco anos em que governei sem o apoio do governo do Estado e do Federal. Mas vocês me viram reclamando ou culpando alguém? Nâo, eu fui trabalhar. Essa é a nossa diferença de governar da deles”, declarou, observando que “eles, quando têm recursos federais, fazem algumas obras, mas com recursos próprios não fazem nada”.

O prefeito argumentou que em sua gestão 98% das obras são com recursos do município. “É preciso um governador retado para a Bahia, que coloque o Estado na vanguarda. A Bahia tem que ser líder neste país e não será com Rui Costa”, finalizou, deixando a tribuna para tirar selfies com os convencionais do PSDB.

12 de novembro de 2017, 11:15

EXCLUSIVA Neto e Jutahy aclamados candidatos ao governo e Senado em convenção do PSDB

Foto: Divulgação

Tucanos se reúnem com ACM Neto em convenção do PSDB

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), e o deputado federal tucano Jutahy Magalhães Jr. foram praticamente aclamados candidatos ao governo e ao Senado, respectivamente, durante a convenção estadual do PSDB que reelegeu o deputado federal João Gualberto como presidente do partido, realizada ontem pela manhã (11) na sede da Abase, no bairro de Jardim Armação. Praticamente todos os políticos que discursaram no evento fizeram referência ou defenderam seus nomes, reafirmando o compromisso de aliança entre as duas legendas para a sucessão estadual de 2018 contra o governador Rui Costa (PT), candidato à reeleição, fortemente criticado no evento.

Primeiro a discursar no encerramento da festa, o vereador tucano Tiago Correia, de Salvador, falando em nome de todos os vereadores da legenda, depois de fazer críticas à situação do Estado, disse que o processo de mudança passava por ACM Neto, a quem chamou de “nossa bóia de salvação”. O prefeito de Saúde, Sérgio Passos, também disse que Neto representa “o novo, a mudança” e, em seguida, defendeu o nome de Jutahy para candidato a senador na chapa que pode vir a ser liderada pelo democrata. O deputado estadual Adolfo Viana saudou o prefeito como “futuro governador” da Bahia e Jutahy, como “futuro senador”.

Antes, Viana disse que o Estado era o destino preferencial no país do crime organizado por falta de interesse do governo em investir na segurança pública. Ao afirmar que o governador Rui Costa faz obras no interior com “o dinheiro dos prefeitos”, o deputado Augusto Castro disse que não tinha dúvidas de que o PSDB estará ao lado de ACM Neto em 2018 com o apoio à sua chapa representado pelo candidato a senador Jutahy. Depois de elogiar o apoio que encontrou no PSDB, Carlos Geilson, que se elegeu deputado estadual pelo PTN, disse que sua chapa já estava constituída, sob a liderança de ACM Neto, e tinha dois nomes ao Senado.

Citou, além de Jutahy, o prefeito de sua terra, Feira de Santana, José Ronaldo, que prestigiou o evento. “São nomes limpos, fichas limpas”, discursou. O ex-deputado federal João Almeida, diretor-representante do PSDB na Bahia, disse que os convencionais e militantes não deveriam se preocupar com a tese de que o partido vai se esfacelar, em decorrência da briga nacional, porque “o PSDB é necessário ao Brasil mais do que nunca, porque organiza o centro político nacional”, e previu novos tempos no para a Bahia com a virtual eleição de ACM Neto ao governo, no ano que vem.

Responsável pelo discurso mais esperado da convenção, dado o seu apoio ao presidente Michel Temer (PMDB), um dos motivos da crise interna do PSDB, o ministro Antonio Imbassahy (secretaria de Governo), justificou sua presença no governo por meio da apresentação de vários números mostrando a melhoria do país sob a gestão do peemedebista e afirmou que há hoje na Bahia um clamor pela candidatura de ACM Neto ao governo. Ele observou que o prefeito fez uma revolução na cidade e que a Bahia em suas mãos vai melhorar “e melhorar bastante”. “Como (ACM Neto) é o melhor prefeito do Brasil, vai ser o melhor governador do Brasil”, declarou.

Em seu discurso, o deputado Jutahy Magalhães Jr. lembrou que o PSDB foi dos primeiros a apoiar a candidatura de ACM Neto (DEM), em Salvador, e de José Ronaldo (DEM), em Feira de Santana, em 2012, orgulhando-se de que os dois tenham sido reeleitos em 2016, com, respectivamente, 74% e 72% dos votos, disse que lutaria pelo apoio da militância para ser indicado candidato ao Senado na chapa do prefeito e ainda que a presença do democrata no evento era uma demonstração da parceria das agremiações. “Quem decide que é candidato é o candidato, mas o PSDB deseja unanimemente a candidatura de ACM Neto em 2018”, afirmou, arrancando um coro de gritos de apoio ao prefeito.

Último a falar antes de passar a palavra a ACM Neto, o presidente reeleito do PSDB, deputado federal João Gualberto, disse ter certeza de que o partido estaria ao seu lado em 2018 e que o colega Jutahy era o nome para fazer parte da chapa do prefeito como candidato a senador. Disse ainda que o partido estava dividido nacionalmente por não ser uma organização criminosa nem uma seita, em referência ao PT, e anunciou seu apoio à candidatura do governador Geraldo Alckmin à Presidência da República, em 2018. “O PSDB é o partido das pessoas que pensam o Brasil”, afirmou Gualberto.

Saudado aos gritos repetidos de “governador”, ACM Neto disse que ainda não podia prever o que acontecerá em 2018, mas destacou que quem o conhece sabe que jamais se furtou ao bom combate nem lhe falta disposição ou vontade de servir à Bahia e aos baianos e que se a vontade da sociedade for uma candidatura ao governo, dava certeza a todos de que não se furtaria ao desafio. Levou a platéia ao máximo da excitação. E anunciou que trabalharia para no ano que vem o PSDB e o DEM estare juntos não apenas na disputa da sucessão estadual, como da luta para que dividam o mesmo palanque de uma candidatura presidencial.

10 de novembro de 2017, 10:16

EXCLUSIVA Tucanos baianos dão testemunho de isenção de Alberto Goldman

Foto: Divulgação/Arquivo

Deputado federal Jutahy Magalhães Jr. é amigo pessoal de Alberto Goldman

Apesar da forte reação interna e externa à destituição do senador Tasso Jereissati (CE) da presidência do PSDB nacional, seu substituto, o ex-governador de São Paulo Alberto Goldman, goza de imenso prestígio entre os tucanos. Quem pode dar testemunho de sua isenção e compromisso com o partido são dois membros ilustres do PSDB da Bahia, o ex-deputado federal João Almeida e o deputado federal Jutahy Magalhães Jr., dois de seus maiores amigos na política.

9 de novembro de 2017, 18:23

EXCLUSIVA Ao tentar tomar PMDB Aleluia pretendia disputar espaço na chapa de Neto

Foto: Divulgação/Arquivo

Deputado federal José Carlos Aleluia

Foi o deputado federal Lúcio Vieira Lima o primeiro a saber que o colega José Carlos Aleluia (DEM) iniciou uma fracassada articulação para tentar assumir o controle do PMDB na Bahia, aproveitando-se do enfraquecimento político dele e do irmão, o ex-ministro Geddel Vieira Lima, hoje preso. Quem lhe contou sobre a iniciativa de Aleluia foi o senador Romero Jucá (RO), que foi procurado pessoalmente pelo democrata baiano. Detalhe: ACM Neto, maior líder do DEM na Bahia, não teve participação na investida de Aleluia, cujo objetivo era se fortalecer para disputar espaço na chapa com que o prefeito vai disputar a sucessão estadual no ano que vem, na condição de candidato ao Senado ou a vice.

9 de novembro de 2017, 17:36

EXCLUSIVA Golpe de Aécio em Tasso garante Imbassahy no governo Temer

Foto: Alessandro Loyola/Arquivo

Antonio Imbassahy é o ministro da Articulação Política do governo

O golpe dado pelo senador Aécio Neves no comando do PSDB, com a destituição do colega de Senado Tasso Jereissati (CE) da presidência do partido para colocar em seu lugar o ex-governador paulista Alberto Goldman, fortaleceu a manutenção dos ministros do partido no governo Michel Temer (PMDB) cuja substituição vem sendo defendida pelo Centrão na reforma ministerial já anunciada pelo presidente da República. Hoje, a análise que se faz em Brasília é que o primeiro a se safar da guilhotina é o ministro Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo), aliado de Aécio na operação montada em conjunto com o governo para destituir Tasso, desde sempre contrário à manutenção da aliança com Temer.

9 de novembro de 2017, 10:20

EXCLUSIVA Glória para Zé Neto e dificuldade para Robinson Almeida no PT em 2018

Foto: Divulgação

Zé Neto e Robinson Almeida

Petistas dizem que não passa de ficção a informação de que o governador Rui Costa (PT) elegeu, entre as candidaturas para apoiar em 2018, a do ex-secretário de Comunicação e ex-deputado Robinson Almeida, o que, na avaliação deles, vai provocar uma guerra verdadeiramente hobbesiana na Democracia Socialista entre os candidatos a deputado estadual. O deputado estadual Zé Neto, atual líder do governo na Assembleia, é o único que tem o apoio declarado de Rui para se tornar deputado federal, devendo também virar uma opção firme do PT à sucessão municipal em Feira de Santana em 2020.

9 de novembro de 2017, 09:24

EXCLUSIVA Rui e um deputado contra a invasão em Correntina, por Raul Monteiro

Foto: Divulgação/Arquivo

Deputado estadual Eduardo Salles

Os posicionamentos políticos provocados pela invasão de uma fazenda produtiva no município de Correntina no último dia 2 de novembro na base do governador Rui Costa (PT) sugerem que há uma dissonância clara entre o que pensa o chefe do executivo estadual e os parlamentares que o apóiam, especialmente aqueles de partidos como o PT e o PCdoB. Enquanto o governador realizou um pronunciamento condenando o ataque a um dos parques baianos de uma das maiores produtoras de alimentos do país, a japonesa Igarashi, petistas como Valmir Assunção, egresso do Movimento dos Trabalhadores do Sem Terra, justificaram o crime como um “protesto” político.

Mais cauteloso, o deputado federal Daniel Almeida, dos quadros mais iluminados do PCdoB local, fez discurso na Câmara dos Deputados criticando a invasão, mas ao mesmo tempo insinuando que poderia ser verdade o boato que a teria provocado, a de que o sistema de irrigação da fazenda seria o responsável pela diminuição do nível dos rios locais, afetados por uma seca sem precedentes para a qual – é evidente – o governo, principalmente o anterior, não se preparou. Antes mesmo que Rui Costa se pronunciasse, o único toque de racionalidade ao enfrentamento do problema na base havia sido dado pelo deputado estadual Eduardo Salles (PP), um governista.

Ao tomar conhecimento da ocorrência policial, Salles redigiu do próprio punho uma mensagem que distribuiu por WhatsApp condenando de forma veemente a invasão e cobrando providências policiais e judiciais contra seus mentores e executores, responsáveis por prejuízos que podem chegar à casa dos R$ 60 milhões. Ex-secretário de Agricultura do Estado na gestão passada, também petista, o hoje deputado disse que não fazia sentido a especulação que atribuía às atividades do agronegócio a queda no nível dos rios locais, colocando-a no plano lógico da mais longa estiagem que afeta já várias regiões do Estado sem solução aparente.

Bastou lembrar que o trabalho da propriedade invadida é avalizado por outorgas e licenças concedidas pelo próprio do governo do Estado que levam em conta o cuidado e o impacto com o meio ambiente para desmontar uma tese quase mística que começa a ganhar corpo, principalmente entre ambientalistas, e parece começar a ser utilizada por oportunistas de todas as espécies de que o agronegócio na Bahia é o responsável pelo flagelo da seca, idéia que pode ser desmontada pelo reconhecimento de que, pelo contrário, ela o procede em muitas décadas, quando, inclusive, ainda não se havia iniciado a exploração agrícola agrícola em escala industrial no Estado.

O lamentável é que, não fosse o discurso firme do deputado do PP, associado a mobilizações que iniciou envolvendo, entre outras instâncias, a Comissão de Agricultura, que preside no Legislativo baiano, no sentido de tornar efetivas as providências anunciadas contra o crime, o governador ficaria praticamente como uma voz isolada em seu grupo político de origem, situação tanto mais desconfortável quando se sabe que seus adversários viram em todo o episódio uma oportunidade ímpar para desgastá-lo, inclusive na campanha estadual do próximo ano, o que vai se tornar imensamente mais fácil caso as medidas anunciadas pelo governo não se tornem efetivas.

* Artigo publicado originalmente pela Tribuna da Bahia.

Raul Monteiro*

8 de novembro de 2017, 16:36

EXCLUSIVA Governo atribui boato que resultou em invasão em Correntina a “ecochatos”

Foto: Divulgação/Arquivo

Linhas de transmissão destruídas por vândalos que invadiram fazenda produtiva em Correntina

Enquanto alguns deputados federais da base governista preferem tratar a invasão de uma fazenda produtiva da Igarashi, em Correntina, como um “protesto” legítimo de uma população revoltada com a seca dos rios da região, atribuída ao sistema de irrigação da propriedade, o governador Rui Costa (PT) tem dito a assessores que não vai deixar “de barato” os atos de vandalismo que resultaram em prejuízos de mais de R$ 60 milhões e na interrupção da produção local. Ao invés de trabalhadores do Movimento dos Sem Terra, o governo culpa principalmente ambientalistas irresponsáveis, mais conhecidos como “ecochatos”, pela disseminação do boato de que a atividade da fazenda estaria secando o leito dos rios. “A empresa atua de forma legal, com todas as outorgas e licenças concedidas pelo governo”, afirma um membro da equipe do governador. A investigação do caso foi designada diretamente ao secretário estadual de Segurança Pública, Maurício Barbosa.

8 de novembro de 2017, 10:22

EXCLUSIVA Operação contra prefeitos do PSD abala força política de Otto e governo no sul

Foto: Montagem Política Livre

Irmão, mulher e marido: o trio de prefeitos do PSD na mira da Polícia Federal

Oposicionistas se apressaram em comemorar o que consideram um duro golpe político no senador Otto Alencar, controlador do PSD na Bahia e, por extensão, no governo estadual, com a operação deflagrada ontem pela Polícia Federal contra os prefeitos de Eunápolis, Robério Oliveira, de Porto Seguro, Cláudia Oliveira, sua mulher, e de Santa Cruz de Cabrália, Agnelo Santos, irmão dela, todos do PSD, por, segundo a PF, contratos fraudados da ordem de R$ 200 milhões. Acham que a força que o governador Rui Costa (PT) poderia ter no extremo sul, via Otto, ruiu.

8 de novembro de 2017, 09:07

EXCLUSIVA Walter Pinheiro estaria fazendo movimento de retorno ao PT, avalia partido

Foto: Divulgação/Arquivo

Senador Walter Pinheiro

O PT baiano identificou o interesse do senador Walter Pinheiro de retornar ao partido para concorrer à Câmara dos Deputados. O problema é a resistência que os deputados federais do partido, candidatos à reeleição, opõem ao novo entrante. Pinheiro está sem partido desde que desligou-se do PT, em março do ano passado, quando o bicho começou a pegar para o lado da então presidente Dilma Rousseff. A convite do governador Rui Costa, mesmo depois de afastado da legenda, foi chamado para assumir a secretaria de Educação em junho do mesmo ano, cargo do qual desligou-se recentemente.

1 de novembro de 2017, 10:24

EXCLUSIVA Cacá Leão diz que tendência em 2018 é por Rui e elogia Elisa Pellegrini

Foto: Reprodução/Arquivo

Deputado federal Cacá Leão, que tem fama de independente no PP, partido da base do governo

Considerado uma espécie de rebelde no PP por causa das críticas que volta e meia dirige ao governo Rui Costa (PT), o deputado federal Cacá Leão (PP), filho do vice-governador e secretário estadual de Planejamento, João Leão, parece ter feito as pazes com a administração estadual. Em conversa com este Política Livre, ele assegura que hoje a tendência no partido é pelo apoio à reeleição de Costa, em 2018, e declara que o governo melhorou seu relacionamento com a base, um dos motivos principais das críticas que dirigia à gestão. Também surpreende ao defender e elogiar a secretária particular do governador, Elisa Pelligrini, alvo de ataques de setores da base e do próprio governo, conforme noticiado por este Política Livre (ver aqui). “O governo melhorou em alguns aspectos. E, se tivesse duas Elisas, seria muito melhor. Ela tem ajudado muito a Rui. Foi com melhorou a relação com a bancada federal”, ressalta o parlamentar, que reafirma também sua independência. “Sempre terei este espírito”, declara.

1 de novembro de 2017, 09:23

EXCLUSIVA Oito querem disputar sucessão de Maria do Socorro no Tribunal de Justiça dia 16

Foto: Reprodução/Arquivo

Muita gente quer a vaga hoje ocupada pela desembargadora Maria do Socorro, que já tem candidato

Os candidatos aos cargos de presidente, 1o. vice-presidente, 2o. vice-presidente, corregedor-geral e corregedor das Comarcas do Interior do Tribunal de Justiça da Bahia, em eleições que ocorrem no próximo dia 16, já estão definidos. Em alguns casos, os magistrados disputam mais de um cargo. Para a vaga de presidente se inscreveram oito nomes: desembargadores Carlos Roberto Santos Araújo, Cynthia Maria Pina Resende, Gesivaldo Brito, Cícero Landim, José Olegário Monção Caldas, Lourival Trindade, Maria da Graça Pimentel e Rosita Falcão. Ao posto de 1o. vice, também oito desembargadores vão concorrer: Augusto Bispo, Carlos Araújo, Lisbete Santos, Maria da Graça Pimentel (que também disputa a presidência), Maurício Kertzman, Osvaldo Bonfim, Pilar de Claro e Sandra Inês Azevedo. Já ao cargo de 2o. vice, são seis os candidatos: Carlos Araújo, Lisbete Santos, Maria da Graça Pimentel, Maurício Kertezman, Osvaldo Bonfim, Sandra Inês Azevedo. Para Corregedor-Geral, inscreveram-se Carlos Araújo, Lisbete Santos, Maria da Graça Pimentel, Mauricio Kertezman, Sandra Inês Azevedo. Disputarão o cargo de corregedor das Comarcas do Interior cinco candidatos: Carlos Araújo, Salomão Resedá, Jefferson de Assis, Maria da Graça Pimentel e Osvaldo Bonfim. No TJ, se comenta, extraoficialmente, que o candidato da presidente é Gesilvado Brito.

31 de outubro de 2017, 18:47

EXCLUSIVA Schmidt comemora decisão contra Marcelo Guimarães: “Estou de alma lavada”

Foto: Divulgação/Arquivo

Fernando Schmidt foi interventor do Esporte Clube Bahia por pouco mais de um ano

O ex-presidente do Esporte Clube Bahia, Fernando Schmidt, disse há pouco a este Política Livre que a decisão da Justiça acatando a denúncia por falsidade ideológica, crime contra a ordem tributária e falsidade ideológica contra seu antecessor, Marcelo Guimarães Filho, e mais três é uma vitória que o deixa de “alma lavada”. “Isso (a decisão judicial) é a confirmação do processo de transparência que buscamos para o Clube desde o momento em que pisamos lá como interventores”, disse o ex-presidente, lembrando do trabalho que fez, segundo ele, para restabelecer a instituição depois de anos de desmandos da parte do antecessor. Schmidt lembrou ainda da perseguição que sofreu da parte de Guimarães Filho, recordando que chegou a se defender em nove instâncias – até o Supremo Tribunal de Justiça – contra ações movidas pelo ex-presidente destituído com o objetivo de tirá-lo, na época, do comando do clube. “Vencemos todas as ações e chicanas que ele (Marcelo Guimarães) tentou. Agora, temos mais esta vitória, que é uma vitória da sociedade, dos torcedores e do Ministério Público”, afirmou Schmidt, referindo-se ao fato de a denúncia ter sido feita pelo Ministério Público Estadual e acatada na sua integralidade pela Segunda Turma da 1a. Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Bahia.

Leia também: Câmara do TJ-BA aceita denuncia por formação de quadrilha contra ex-presidente do Bahia e mais três

31 de outubro de 2017, 15:19

EXCLUSIVA Ida de Carletto para PR deve selar sua aproximação com Neto, se diz no governo

Foto: Reprodução/Arquivo

Ronaldo Carletto deve deixar PP pelo PR com um grupo de políticos

No entorno do governador Rui Costa (PT), ninguém acredita que o movimento do deputado federal Ronaldo Carletto (PP) na direção do PR não inclua um plano para que passe a integrar a chapa de ACM Neto (DEM) ao governo em 2018. “Ninguém faria uma operação dessa sem apalavrar direito com quem de direito”, afirma um aliado do governador, referindo-se indiretamente ao próprio prefeito e ao presidente do PR, José Carlos Araújo, responsável pela atração de Carletto e seu grupo para o partido. A mesma fonte diz que, no governo, todo mundo sabe que Araújo tem comunicação “fluida” com o grupo do prefeito. Por isso, estão de olho nele também.

31 de outubro de 2017, 11:34

EXCLUSIVA Mais um sinal de que ACM Neto é candidato ao governo

Foto: Divulgação/Arquivo

Neto cumpre a agenda do "a cada dia sua agonia", na visão dos apoiadores de seu projeto de concorrer ao governo

Aliados do prefeito ACM Neto (DEM) aprovaram a crítica que ele fez na semana passada ao fato de o governo Michel Temer (PMDB) estar, em sua avaliação, descolado da população. Concluíram que quem busca descolar de Temer é Neto, na esteira do afastamento que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pavimenta em relação ao presidente da República. Mas por que a alegria? Porque ela aponta para mais um sinal de que Neto pretende se candidatar ao governo em 2018, uma confirmação que ainda não chegou na medida que os apoiadores do prefeito gostariam.